Duke Nukem 3D

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Duke Nukem 3D
Desenvolvedora 3D Realms(PC)

Tiger Electronics (Game.com)

Lion Entertainment (Mac OS)

Lobotomy Software (SS)

Aardvark Software (PS)

Eurocom (N64)

Tec Toy (MD)

MachineWorks Northwest (iOS & AND)

General Arcade (Steam)

Abstraction Games (PS3, Vita)

Publicadora(s) GT Interactive Software

MacSoft Games (Mac OS)

Sega (SS)

Tec Toy (MD)

3D Realms (XBLA)

MachineWorks Northwest (iOS & AND)

Devolver Digital (Steam, PS3, Vita)

Designer

George Broussard

Allen H. Blum III

Todd Replogle

Compositor(es)

Robert Prince

Lee Jackson

Licença Comercial
Motor Build Engine

SlaveDriver (SS)

Zero Tolerance Engine (Adaptada)(MD)

Plataforma(s) MS-DOS, Game.com, Mac OS, Saturn, PlayStation, Nintendo 64, Sega Mega Drive, Xbox Live Arcade, iOS, Android, Windows, OS X, Linux, PlayStation 3, PlayStation Vita
Série Duke Nukem
Data(s) de lançamento
Gênero(s) Tiro em primeira pessoa
Modos de jogo Um jogador, Multijogador
Número de jogadores 1 - 8 (LAN)
Classificação Inadequado para menores de 14 anos i DEJUS (Brasil)
Inadequado para menores de 17 anos i ESRB (América do Norte)
Mídia CD, Cartucho, Download
Controles Teclado, Mouse
Idioma Inglês
Hardware
Versão 1.5
Último
Último
Duke Nukem 2 (1993)
Duke Nukem Forever (2011)
Próximo
Próximo

Duke Nukem 3D é um jogo eletrônico de tiro em primeira pessoa desenvolvido pela 3D Realms e publicado pela GT Interactive em Maio de 1996.

É uma sequência dos jogos de plataforma da série Duke Nukem. Apesar disso, o jogo apresenta elementos totalmente diferentes de seus antecessores.

Um pacote de expansão chamado Plutonium Pak(Também conhecido como Atomic Edition), foi liberado em Novembro de 1996, trazendo um novo episódio chamado The Birth, que possuía novos inimigos, chefes, e claro, novos cenários. A versão do jogo também foi mudada de 1.3d para 1.4 com o pacote, e mais tarde para 1.5 para correção de pequenos bugs. Este pacote também possibilitou aos jogadores também criarem partidas multijogador contra bots.

Duke Nukem 3D trouxe inovação para os jogos de tiro em primeira pessoa, passando assim à se tornar um dos jogos mais famosos de sua época, pois sua concepção era totalmente diferente dos demais jogos do mesmo gênero. Trazendo os bordões do protagonista Duke, que consiste em falas sarcásticas e pejorativas, palavreados de baixo calão, o erotismo humorado e o excesso de machismo, algo nunca visto antes nos games.

Os cenários se passavam em ruas de cidades famosas, bases militares, desertos, estações espaciais, bases lunares, supermercados e até mesmo, um restaurante japonês.

Apesar do jogo ter sido lançado para DOS na sua época, hoje em dia ainda é possível jogá-lo utilizando uma source port compatível com o seu sistema operacional. A mais famosa delas é Eduke32.

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

Sendo um jogo de tiro em primeira pessoa, a jogabilidade de Duke Nukem 3D envolve mover pelos níveis através do ponto de vista do protagonista, atirando nos inimigos que aparecem, até achar uma saída para outros níveis.

O diferencial de Duke Nukem 3D para sua época, é que agora o jogador possuía maior liberdade, podendo se abaixar, pular, nadar, voar e muito mais.

Com a entrada do Mouse na utilização dos computadores pessoais, Duke Nukem 3D apresentou suporte pleno para o periférico, tornando possível ao jogador mirar verticalmente em inimigos e objetos, sem a necessidade de usar o teclado.

Os cenários foram desenvolvidos de forma não linear, fazendo com que os jogadores acabem utilizando dutos de ar, esgotos, portas dos fundos, para evitarem contato com o inimigo, ou até mesmo encontrarem áreas secretas.

Estas áreas são repletas de objetos para o jogador interagir, entre eles, botões de luz, para iluminar salas escuras, bebedouros para restaurar alguns pontos de vida, ou até mesmo privadas, para o protagonista urinar. Ainda assim, era possível encontrar algumas pessoas pelo cenário do jogo, quase sempre do sexo feminino. Interagindo com elas, o protagonista acabava falando algumas frases eróticas e sarcásticas.

Apesar do ambiente "bem-humorado", o jogo contém um nível muito alto de violência. Ao efetuar disparos contra inimigos, é possível ver sangue espirrando nas paredes. Se o jogador optar por armas mais "poderosas", como por exemplo um RPG, será possível explodir os inimigos pelos ares.

Desde o primeiro lançamento, existe uma opção de bloqueio para o conteúdo adulto, chamado "Parental-Lock", que remove do jogo as falas mais pesadas, e parte do conteúdo gráfico.

História[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Logo após os acontecimentos de Duke Nukem II, Duke está em sua nave espacial voltando para Terra, à fim de tirar umas férias.

Assim que ele se aproxima de Los Angeles, a sua nave é atingida e derrubada por hostis desconhecidos. Ao enviar um sinal de socorro, Duke descobre que Los Angeles foi atacada por Aliens, e que os policiais do departamento de polícia (LAPD) foram transformados em porcos.

Com os seus planos arruinados de uma vez, Duke pressiona o botão "ejetar" e embarca na tentativa de parar a invasão e salvar a terra.

Episódio 1 - L.A. Meltdown.[editar | editar código-fonte]

Após sua aterrissagem, Duke está em Hollywood, vivenciando uma distopia na cidade.

Chegando ao distrito da luz vermelha, acaba sendo preso por alguns "policiais porcos", mas consegue se libertar da prisão, onde toma rumo até uma nave alienígena, em San Andreas Fault.

Duke descobre que os aliens estavam capturando mulheres para reproduzirem. Revoltado com isso, ele explode a nave.

Episódio 2 - Lunar Apocalypse.[editar | editar código-fonte]

Após destruir a nave alienígena, Duke embarca para o espaço, onde encontra várias mulheres em incubadoras, dentro de estações que foram dominadas pelos aliens.

Então Duke chega à nave mãe, localizada na Lua, onde mata um alien gigante, chamado "Overlord".

Após matá-lo, Duke descobre que os aliens usaram as mulheres apenas para distraí-lo. Enquanto ele estava no espaço, eles haviam iniciado um ataque mortal na terra.

Episódio 3 - Shrapnel City.[editar | editar código-fonte]

Mais uma vez, em Los Angeles, Duke luta contra uma força maior ainda de aliens, e mata o líder da invasão alien, o gigantesco Emperador "Cicloyd". Após isso, Duke declara que precisa descansar um pouco, porém em breve estará pronto para "mais ação".

Episódio 4 - The Birth (Atomic Edition).[editar | editar código-fonte]

Quando Duke estava pronto para entrar de férias, descobre-se que os aliens estavam tramando novamente. Agora, usaram uma mulher para criar uma "Rainha Alien".

Mais uma vez, Duke retorna à Los Angeles, para destruir os aliens de uma vez por todas... Por enquanto!

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Armas[editar | editar código-fonte]

Na versão Atomic Edition, o jogador possuí no total um arsenal de 11 armas. As demais versões apenas 10.

Sendo elas:

  1. Mighty Foot - Bota poderosa: Para combate corpo a corpo, onde o jogador utiliza para "chutar" os inimigos e outros objetos no jogo, sendo possível usá-la segurando outra arma nas mãos.
  2. Pistol - Pistola: Uma pistola semiautomática, com um magazine de 12 balas cada, acumulando um total de 200 balas.
  3. Shotgun - Escopeta: Muito forte para combate fechado, capaz de utilizar 50 balas.
  4. Ripper - Metralhadora: Com uma alta capacidade de fogo, sendo possível carregar 200 balas, é uma arma letal à distâncias médias.
  5. RPG: Lança-foguetes muito poderoso, utilizado para explodir quantidades massivas de inimigos, além de, também destruir partes do cenário. Tem uma capacidade de 50 foguetes.
  6. Pipe-bombs: São pequenas granadas de mão, que são detonadas pelo jogador. É possível carregar 50 delas.
  7. Shrinker - Encolhedor: Uma arma que é capaz de encolher as coisas ao seu redor. Após usá-la é só pisar em seus inimigos. Dispara até 50 projéteis.
  8. Microwave Expander - Expansor: É uma arma semelhante ao encolhedor, porém com o efeito contrário. Faz os inimigos crescerem até explodir. Não fique muito perto. Também tem capacidade para 50 projéteis. Esta arma esta presente apenas na versão Atomic Edition.
  9. Laser Tripbomb: São pequenas bombas que o jogador coloca nas paredes do cenário. Quando qualquer objeto passa por seu laser, ela é ativada, causando um dano equivalente à pipe-bomb.
  10. Devastator - Devastador: A arma mais mortífera do jogo. Ela é semiautomática e dispara pequenos projéteis de RPG, dando o dano equivalente aos seus inimigos. O nome já diz tudo. A sua capacidade é de 99 projéteis.
  11. Freeze-thrower - Disparador de Gelo: Uma arma que é capaz de congelar seu inimigos. Esta arma pode até mesmo resvalar as paredes. Tem uma capacidade de 99 projéteis.

Conversões[editar | editar código-fonte]

Duke Nukem 3D foi portado para diversas outras plataformas.Todas apresentam conteúdo exclusivo.

Duke Nukem 3D (Game.com) foi lançado em 1997 apenas nos Estados Unidos.Diferente de todas as outras versões para console, Duke Nukem não pode rotacionar; ele se move apenas para frente e para trás, e pode desviar para esquerda e direita.Possui 3 episódios e um total de 12 levels, todos modificados para melhor conforto e fácilidade devido a impossibilidade de rotação.

Duke Nukem 3D (Sega Saturn) - A versão para Sega Saturn foi portada pela Lobotomy Software e publicada pela Sega.Essa versão usa o Sega NetLink para partidas on-line, e também adiciona um suporte especial para o analógico do Sega Saturn.Tambem inclui um multiplayer escondido chamado de Death Tank Zwei e um level exclusivo bonus com o nome de "Urea 51".

Duke Nukem: Total Meltdown (com o nome simplificado para Duke Nukem na europa) é a versão do jogo para Playstation que contém todos os três episódios originais além de um novo, intitulado Plug 'n' Pray, que inclui 6 novos levels e um secreto, sendo esse último também incluso na versão para PC.Muitas das músicas foram remixadas e outras originais/exclusivas para essa versão.

Duke Nukem 64 é a versão portada para o Nintendo 64 tendo uma nova carácteristica que é o multiplayer simultaneo para 4-Jogadores.Devido a pequena quantidade de espaço que o cartucho do Nintendo 64 suportava, a música foi removida e muitas características foram censuradas desta versão.Outras novidades incluem um chefe final totalmente em 3D e novas armas.O "Alien Beast" visto no Plutonium Pak, aparece eventualmente nas fases.

Duke Nukem 3D (Mega Drive) foi lançado em 1998 pela empresa brasileira Tectoy.O visual foi drasticamente modificado devido o hardware do console, fazendo-nos lembrar dos antigos jogos do gênero FPS, como Wolfenstein 3D.As fases são totalmente baseadas no episódio Lunar Apocalypse.Esta versão foi lançada apenas na América do Sul.

Duke Nukem 3D (Xbox Live) - A versão para Xbox 360 foi lançada em 24 de Setembro de 2008.Foram adicionadas várias carácteristicas como a possiblidade de voltar até onde o jogador morreu, salvar vídeos do gameplay, um modo cooperative para partidas multiplayer e o "DukeMatch", tambem para partidas on-line.A música recebeu uma qualidade significante devido as modernas ferramentas de MIDI.

Duke Nukem 3D (iPhone/iPod Touch) - Nesta versão temos os três principais episódios e um som principal agora em FX, mais não há música de fundo durante o gameplay. Não há também multiplayer e os quadros-por-segundo caem drasticamente quando se está em um combate com muitos inimigos.

Duke Nukem 3D (Nokia N900) - A versão para o Nokia N900 foi lançada em 29 de Dezembro de 2009.Duke Nukem é controlado usando o teclado Qwerty ou até mesmo a tela touch screen.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Duke Nukem 3D foi muito bem recebido, vendendo aproximadamente 3,5 milhões de cópias por todo mundo.

Foi colocado em 37º lugar no ranking de melhores jogos de todos os tempos.

Apesar do conteúdo "ofensivo" do jogo, ele não é considerado um jogo onde você ganha pontos por explodir, esquartejar ou matar pessoas inocentes... Muito pelo contrário, ao matar uma mulher, por exemplo, ainda mais inimigos aparecem contra o jogador.

Apesar disso, em alguns países o jogo foi censurado, para evitar "sair de circulação".

Polêmica[editar | editar código-fonte]

Em 3 de novembro de 1999, um estudante de medicina Mateus da Costa Meira, então com 29 anos, matou três pessoas e feriu outras quatro durante uma sessão do filme “Clube da Luta” em um cinema de São Paulo. Mateus ficou conhecido como "o atirador do shopping". Foi condenado em 2004 a 120 anos de prisão. Em depoimentos ele teria citado o jogo Duke Nukem 3D, que traz um cinema em um trecho da primeira fase. Mesmo quase quatro anos depois de lançado, o jogo teve a venda proibida.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Duke Nukem 3D