Dunked in the Deep

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Dunked in the Deep
Espiando os espiões (BR)
 Estados Unidos
1949 • pb • 16 min 
Direção Jules White
Roteiro Felix Adler
Elenco Moe Howard
Larry Fine
Shemp Howard
Gene Roth
Género Comédia
Idioma Inglês
Página no IMDb (em inglês)

Dunked in the Deep (br.: Espiando os espiões) é um filme estadunidense de 1949 do gênero comédia, dirigido por Jules White. É o 119º de um total de 190 filmes da série com os Três Patetas produzida pela Columbia Pictures entre 1934 e 1959.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Os Três Patetas vão visitar seu vizinho Senhor Borscht (Gene Roth), que lhes avisa que irá retornar ao seu país pois seu visto de imigrante expirou. Ele na verdade é um espião de um país comunista que esconde microfilmes em três melancias. Ao irem ao navio para se despedirem de Borscht os Patetas acabam presos com ele e se tornam clandestinos. Em alto-mar, os famintos Patetas enganam Borscht e ficam com seu salame mas logo depois de o comerem, são vítimas de fortes enjoos. Shemp abre uma escotilha tentando melhorar com a entrada de ar, mas toda vez que faz isso é molhado por um esguicho da água. Depois, ao tentarem roubar as melancias para comerem, os Patetas descobrem os microfilmes e percebem que seu amigo é um espião. Eles tentam deter Borsch e depois de uma luta atrapalhada, conseguem prendê-lo. No final, Shemp abre a escotilha e recebe um jato de lama. Feliz, ele grita aos amigos: "Terra!".

Notas[editar | editar código-fonte]

  • Dunked in the Deep foi refilmado em 1956 com o título de Commotion on the Ocean, quando foram reaproveitadas muitas cenas do original.
  • Os microfilmes escondidos nas melancias são uma alusão a um caso de espionagem real ocorrido no ano anterior (1948). Nessa época, o editor da revista Time Magazine, Whittaker Chambers, um ex-espião comunista que se tornara informante do governo, acusou Alger Hiss de ser um membro do Partido Comunista e um espião da União Soviética. Como provas contra Hiss, Chambers apresentou o Pumpkin Papers (papeis abóboras): quatro rolos de microfilmes com documentos do Departamento de Estado, que alegara ter recebido de Hiss e escondido dentro de abóboras de sua fazenda em Maryland.[1]

Referências

  1. [[1]]. Witness. [S.l.]: Random House, 1952. 751–755 pp. ISBN 0-89526-571-0

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]