Duque de Edimburgo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Duque de Edimburgo
Brasão de amrmas do Duque de Edimburgo
Residência Palácio de Buckingham, Palácio de Holyrood, Castelo de Windsor
Duração Indeterminado
Inaugurado por Frederico, Príncipe de Gales
Criado em 26 de julho de 1726
Website www.ukdukes.co.uk

O Duque de Edimburgo é um título nobiliárquico britânico associado com a cidade escocesa de Edimburgo. Existem três criações (gerações) do ducado desde 1726. O atual titular é o Príncipe Filipe, marido e o consorte real da Rainha Elizabeth II.

História[editar | editar código-fonte]

O ducado foi primeiramente criado em 26 de julho de 1726, no Pariato da Grã-Bretanha. O título foi concedido ao Príncipe Frederico, filho mais velho do então Príncipe de Gales, futuro Jorge II. Com a morte de Frederico, que também tinha se tornado Príncipe de Gales, o título foi herdado por seu filho mais velho, o Príncipe Jorge. Quando Jorge tornou-se Jorge III, o ducado incorporou-se à coroa e deixou de existir.

O Rei Jorge III recriou o título em 19 de novembro de 1764, para seu irmão menor, o Príncipe Guilherme de Gales. Porém, a forma completa deste título seria "Duque de Gloucester e Edimburgo". Subseqüentemente, o título passou para o único filho do Duque, Guilherme Frederico, que não deixou um herdeiro ao morrer, causando a extinção do título.

Em 24 de maio de 1866, o segundo filho da Rainha Vitória, Alfredo, foi titulado Duque de Edimburgo. Em 1947, um dia antes de seu casamento, o Príncipe Filipe foi titulado Duque de Edimburgo por seu sogro, Jorge VI.

Duques de Gloucester e Edimburgo (1764)[editar | editar código-fonte]

títulos subsidiários: Conde de Connaught (no Pariato da Irlanda)

Duques de Edimburgo, segunda criação (1866)[editar | editar código-fonte]

títulos subsidiários: Conde de Kent, Conde de Ulster

Duques de Edimburgo, terceira criação (1947)[editar | editar código-fonte]

títulos subsidiários: Conde de Merioneth, Barão Greenwich