Dzi Croquettes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Dzi Croquettes
 Brasil
2009 • p&b / cor • 110 min 
Direção Tatiana Issa & Raphael Alvarez
Roteiro Tatiana Issa
Elenco Liza Minnelli
Gilberto Gil
Marília Pêra
Nelson Motta
Cláudia Raia
Pedro Cardoso
Betty Faria
Género Documentário
Idioma Português, Inglês e Francês
Página no IMDb (em inglês)

Dzi Croquettes é um grupo de teatro e dança de importancia histórica para o Brasil. O nome do grupo foi utilizado como título para filme documentário brasileiro de 2009 sobre os mesmos, dirigido por Tatiana Issa & Raphael Alvarez.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Dzi Croquettes – Direção de Tatiana Issa e Raphael Alvarez (Brasil, 2009). Com depoimentos de Gilberto Gil, Nelson Motta, Pedro Cardoso, Miguel Falabella, Ney Matogrosso, Marília Pera, Cláudia Raia, Liza Minnelli, entre outros. O documentário resgata a trajetória dos atores/bailarinos que se tornaram símbolos da contracultura ao confrontar a ditadura usando a ironia e a inteligência. Os espetáculos revolucionaram os palcos com performances de homens com barba cultivada e pernas cabeludas, que contrastavam com sapatos de salto alto e roupas femininas. O grupo se tornou um enorme mito na cena teatral brasileira e parisiense nos anos 70.

A década de 70 foi de rompimento, de mudança, de fugir de padrões e buscar o novo, o desconhecido. A contracultura abriu espaço para questionamentos sobre a realidade, a ruptura ideológica e a transformação social. Nesse contexto um Americano desembarca no Rio de Janeiro: Lennie Dale unia a bossa nova a um swing do jazz novaiorquino; o encontro de 13 homens, 13 talentos. Surgia então o furacão que iria abalar as estruturas sexuais das pessoas, abrir portas, quebrar tabus, mudar a cena teatral Brasileira e Internacional. Surgia então os Dzi Croquettes.

O grupo revolucionou os palcos cariocas com seus espetáculos andróginos (semelhantes aos do grupo norte americano The Cockettes, famosos pelo visual andrógino e psicodélico). Desobedientes e debochados, decidiram desrespeitar a ordem do regime militar com inteligência. Os sapatos de salto alto e as roupas femininas propositalmente exibiam as pernas cabeludas e a barba cultivada pelos homens do grupo. O primeiro show, em 1972, foi um grande sucesso, apesar de ter sido banido pelo Serviço Nacional de Teatro. A comédia de costumes era um deboche ao sistema de ditadura e à realidade brasileira. O grupo também fez muito sucesso na Europa, especialmente na França, onde levou platéias parisienses à loucura.

Esse documentário conseguiu reunir os integrantes do grupo, assim como amigos e admiradores para uma bateria de entrevistas exclusivas sobre o que é ser um dzi croquette, a formação, os textos, a censura, o sucesso até a desintegração do grupo, mas nunca da idéia. O documentário conta com depoimentos de amigos e artistas consagrados no cenário artístico brasileiro e internacional, como o diretor e coreógrafo americano Ron Lewis, Gilberto Gil, Nelson Motta, Marília Pêra, Ney Matogrosso, Betty Faria, José Possi Neto, Miéle, Aderbal Freire Filho, Jorge Fernando, César Camargo Mariano, Elke Maravilha, Cláudia Raia, Miguel Falabella, Liza Minnelli (grande admiradora e amiga do grupo), Pedro Cardoso, Norma Bengell, entre tantos, e ainda os integrantes originais do grupo: Claudio Tovar, Ciro Barcelos, Bayard Tonelli, Rogério de Poly e Benedito Lacerda.

Mais de 45 depoimentos colhidos no Rio de Janeiro, Nova York e Paris contam a trajetória desse grupo em uma trajetória fascinante recheada de sucessos, fracassos, assassinatos, grandes voltas por cima e a recuperação de uma parte da nossa história que não deveria jamais ser esquecida.

Dzi Croquettes é hoje o documentário mais premiado do Brasil.

Dzi Croquettes teve sua estreia nos EUA em Novembro de 2011, no IFC Village Cinemas em Nova Iorque e no Sunset 5 Cinemas em Los Angeles, obtendo excelentes críticas nos principais jornais e veículos do gênero como Los Angeles Times by Kevin Thomas , Village Voice, NY by Ernest Hardy , New York Times by Neil Genzlinger , Time Out New York by Andrew Schenker , LA Weekly by Ernest Hardy ,Film Journal International by David Noh , Cultural Weekly by Campbell Britton entre outros.

Prêmios[editar | editar código-fonte]

  • 2011 - Grande Prêmio do Cinema Brasileiro - Melhor Documentário Voto Popular
  • 2011 - Grande Prêmio do Cinema Brasileiro - Melhor Montagem Juri Oficial
  • 2011 - Prêmio ACIE Associação dos Correspondentes de Imprensa Estrangeira– Melhor filme Juri Oficial
  • 2010 - LONDON Brazilian Film Festival – Melhor Documentário Voto Popular
  • 2010 - DANCE,CAMERA,WEST- Los Angeles/USA– Melhor Documentário pelo Juri Oficial
  • 2010 - TORINO Int'l Glbt Film Festival – Melhor Documentário Voto Popular
  • 2010 - FRAMELINE 34- San Francisco/USA– Melhor Documentário pelo Juri Oficial
  • 2010 - 14th MIAMI Brazilian Film Festival – Melhor Filme Voto Popular
  • 2010 - LABRFF 2010 - Los Angeles Brazilian Film Festival – Melhor Documentário Juri Oficial
  • 2010 - FOR RAINBOW 2010 - Melhor Documentário pelo Juri Oficial
  • 2010 - IN-EDIT Int'l Documentary Film Festival – Melhor Documentário
  • 2009 - Festival do Rio (Rio Int'l Film Festival) - Dzi Croquettes- Melhor Documentário Juri Oficial
  • 2009 - Festival do Rio (Rio Int'l Film Festival) - Dzi Croquettes- Melhor Documentário Voto Popular
  • 2009 - 33° Mostra Internacional de São Paulo (33th São Paulo Int'l Film Festival) - Dzi Croquettes- Melhor Documentário Grande Prêmio do Itamaraty (Ministério das Relações Exteriores - MRE)
  • 2009 - 33° Mostra Internacional de São Paulo (33th São Paulo Int'l Film Festival)- Dzi Croquettes- Melhor Documentário Voto Popular
  • 2009 - 17° Festival Mix Brasil Internacional (17th Mix Brazil Int'l Film Festival)- Dzi Croquettes- Melhor Documentário Voto Popular
  • 2009 - 5° Festcine Goiânia – Melhor Edição

Créditos[editar | editar código-fonte]

  • Direção: Tatiana Issa, Raphael Alvarez
  • Produção: TRIA Productions, Canal Brasil
  • Edição: Raphael Alvarez
  • Roteiro: Tatiana Issa
  • Cinematografia: Jorge Galo, Raphael Alvarez, Tatiana Issa
  • Elenco: Liza Minnelli, Gilberto Gil, Marília Pêra, Ney Matogrosso, Cláudia Raia, Miguel Falabella, Pedro Cardoso, César Camargo Mariano, Betty Faria, Miéle, Elke Maravilha, Norma Bengell, Nelson Motta, e grande elenco. Com os Dzi Croquettes originais: Cláudio Tovar, Bayard Tonelli, Ciro Barcelos, Benedicto Lacerda e Rogério de Poly.
  • Narração: Tatiana Issa.
  • Trilha Sonora: "Tá Boa Santa?” (Cláudio Lins e Cláudio Tovar) – música tema

“Goodnight Ladies” – Lou Reed “Lili Marlene” – Norbert Schultze “Roda Viva” – Chico Buarque “Tango – Cirque Du Soleil” – René Duperé “Assim Falou Zaratustra” – Richard Strauss “Dois Pra Lá, Dois Pra Cá” – Elis Regina “Mister Magic” – Grover Washington Jr. “Transmorgrapfication” – James Brown “O Pato” – Lannie Dale “Me Deixa Em Paz” – Lannie Dale e Elis Regina “El Cayuco” – Tito Puente “It’s Ecstasy Whem You Lay Down Next To Me” – Barry White “Spinning Wheel” – Blood, Sweat & Tears “Cantoras do Rádio” – Dzi Croquettes “20th Century Fox Fanfare” – Alfred Newman “Frère Jacques” – Roberto de Rodrigues “Let Me Entertain You” – Gypsy Original Cast 1958 “My Heart Belongs To Daddy” – Marilyn Monroe “Relance” – Gal Costa “Limelight” – instrumental “Ne Me Quite Pas” – Paulo Bacellar (Paoletti) “God Bless The Child” – Billie Holiday “Ela Diz Que Tem” – Carmen Miranda “Hot Pants... I’m Coming. Coming. I’m Coming” – James Brown “That’s Entertainment” – Lennie Dale “Ye-Me-Le” – Sérgio Mendes & Brasil 66 “There It Is” – James Brown “Dancing Days” – As Frenéticas “Amor Até O Fim” – Elis Regina

Ligações externas[editar | editar código-fonte]