Eärendil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ëarendil
Personagem da Terra Média
Raça Meio-elfos
Divisão Tuor e Idril
Família Casa de Hador, Casa de Fingolfin
Outros Nomes O Abençoado, O Marinheiro
Data de Nascimento c. F.A. 503
Gondolin
Data de Falecimento  ?
Primeira aparição
em Livro
O Silmarillion
Personagems Criados por J.R.R. Tolkien


Ëarendil ("Amante do Mar") dito O Abençoado, O Marinheiro é uma personagem fictício da obra O Silmarillion criado postumamente por J. R. R. Tolkien.[1] [2] Ëarendil é um meio-elfo da família dos Edain (pelo seu pai), Noldor (pela sua mãe).

Nascido no final da Primeira Era do Sol, Eärendil ainda eram uma criança na queda de Gondolin e fugiu com seus pais para o porto de Arvernien[3] . Ele cresceu e conheceu sua esposa Elwing, que vêm para as terras escondidas Aman, a fim de pedir a ajuda dos Valar na luta que Edain e elfos realizadas contra Morgoth.[4]

Foi o primeiro personagem idelizado por J. R. R. Tolkien para formar parte de sua extensa mitologia, basada em Arda e cujas narrações se centram principalmente no continente conhecido como Terra Média. A criação de Eärendil (chamado durante muitos anos de Eärendel) foi inspirada pelo poema religioso anônimo «Christ I».[5] Ademais, a história do personagem esteve submetida a uma constante evolução através de décadas antes de que o autor escrevesse a versão definitiva de El Silmarillion.

História[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Filho de Idril Celebrindal, filha de Turgon dos Noldor, e de Tuor, filho de Huor dos Edain, nasceu em Gondolin, a Branca, no ano 503 da Primeira Era. Tinha apenas 7 anos quando a cidade foi atacada e destruída pela exército de Morgoth, o Senhor da Escuridão. Fugiu com a sua família para a costa de Beleriand, de onde os seus país partiram para o Ocidente passado um tempo lá.

Mais tarde, era então senhor do povo que habitava na zona circundante da Foz do Sirion, casou-se com Elwing, filha de Dior Eluchil e portanto neta direta de Beren e Lúthien. Teve dela dois filhos, Elrond e Elros, chamados de meio-elfos.

Com o tempo começou a crescer no seu coração o desejo pelo mar, aliado ao intento de conseguir alcançar as Terras Imortais, tendo como propósitos reencontrar os seus pais, Tuor e Idril, e enviar aos Valar o pedido de auxílio dos Homens e Elfos da Terra-média, o pedido que despertaria no coração dos poderes o compadecimento pelo sofrimento dos Filhos de Eru.

Travou amizade com Círdan, que habitava na Ilha de Balar, e com a sua ajuda construiu, a partir das bétulas de Nimbrethil, Vingilot (Flor de Espuma), tido como o mais belo barco de sempre. Assim iniciou as suas longas e fatigantes viagens pelo mar, sempre em busca do seu objetivo: Valinor. Três vezes tentou passar as sombras que protegiam o Reino Abençoado, e três vezes regressou, derrotado.

Então, andava Eärendil nas suas viagens pelo mar, os restantes Filhos de Fëanor, entre eles Maedhros e Maglor, decidiram atacar os exilados de Gondolin e Doriath, para recuperarem as Silmarils que sabiam estar com eles. Assim se deu mais uma grande chacina entre Elfos, e Elrond e Elros foram feitos prisioneiros. Elwing atirou-se ao mar com o Silmaril, mas Ulmo levantou-a das águas e ela tomou a forma de uma ave branca e alcançou Vingilot, o barco de Eärendil.

Assim este, quase sem esperanças, tentou mais uma vez trespassar as sombras e encantamentos que cobriam Valinor. Pensa-se que foi graças à luz da jóia que Eärendil conseguiu então transpor com o seu barco esta barreira, alcançando a Terra Abençoada, onde trasmitiu finalmente a mensagem de auxílio de todos os Elfos e Homens livres da Terra-média. E teve sucesso, pois os Valar compadeceram-se deles, e enviaram o seu exército para a Terra-média.

Longamente os exércitos dos Valar e Morgoth guerrearam, durante 43 anos. Finalmente o exército do Ocidente prevaleceu sobre o do Norte, os Balrogs foram quase todos destruídos, e o Senhor Escuro, desesperado, lançou um último e impiedoso ataque, e os seus dragões alados, liderados por Ancalagon, fizeram recuar a hoste dos Valar. Mas Eärendil chegou no seu barco, juntamente com todas as águias, e assim matou Ancalagon e venceu de vez o exército de Morgoth, que foi finalmente derrotado e lançado para o vácuo.

Foi dada a Eärendil e Elwing a oportunidade de escolherem o seu destino, e assim estes optaram pelo caminho dos elfos. Todos os seus filhos e os descendentes dos mesmos passaram também a poder efetuar esta escolha. Deste então que Eärendil viaja pelos céus, em Vingilot, e a sua estrela é sinal de esperança entre todos os povos da Terra-média.

Árvore genealógica dos Meio-Elfos[editar | editar código-fonte]

Finwë
 
Indis
 
 
Casa de Hador
 
 
Casa de Bëor
 
 
Thingol
 
Melian
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Fingolfin
 
Anairë
 
Galdor
 
 
Barahir
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Elenwë
 
Turgon
 
 
Huor
 
 
Beren
 
 
 
 
 
Lúthien
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Idril
 
 
 
Tuor
 
 
Nimloth
 
 
 
Dior
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Eärendil
 
 
 
Elwing
 
 
 
 
Eluréd e Elurín
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Galadriel
 
Celeborn
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Elros
 
 
 
Elrond
 
 
 
Celebrían
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Reis de Númenor
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Reis de Arnor
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Aragorn
 
 
 
 
 
Arwen
 
 
Elladan e Elrohir
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Eldarion
 
 
 
No mínimo 3 filhas

Referências

  1. TOLKIEN, J. R. R.. El Silmarillion. CapelladesMinotauro (ed.), 1984. Capítulo: Índice de nombres. , ISBN 84-450-7038-X
  2. Lista de palabras quenya (em español) Ardalambion. Página visitada em 21 de noviembre de 2009.
  3. TOLKIEN, J. R. R.. El Silmarillion. BarcelonaMinotauro (ed.), 1984. Capítulo: De Tuor y la caída de Gondolin. , ISBN 84-450-7038-X
  4. TOLKIEN, J. R. R.. El Silmarillion. BarcelonaMinotauro (ed.), 1984. Capítulo: Del viaje de Eärendil y la Guerra de la Cólera. , ISBN 84-450-7038-X
  5. CARPENTER, Humphrey. J. R. R. Tolkien, una biografía. BarcelonaMinotauro (ed.), 1990. Capítulo: Reunión. , ISBN 84-450-7157-2

Ligações externas[editar | editar código-fonte]