EXE

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde Dezembro de 2008). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
exe
Extensão do arquivo .exe
Type code Executável
Desenvolvido por Microsoft

EXE é uma extensão de arquivos (português brasileiro) ou ficheiros (português europeu) que podem ser executados por computadores que estejam executando algum sistema operacional Microsoft Windows[nota 1] .

Em tais sistemas, aplicações podem ser iniciadas a partir de um ficheiro com extensão EXE. Porém, atualmente as aplicações são modulares, e por isto contêm diversos ficheiros auxiliares, com extensões tais como DLL, INI, CFG e DAT. Em tais situações, o ficheiro EXE somente será corretamente executado caso seus módulos estejam presentes e nos locais corretos.

Quando se executa um ficheiro com a extensão EXE, o usuário está dando autorização ao sistema para executar todas as instruções contidas dentro dele. Quando tal ficheiro é de origem desconhecida ou não confiável, como por exemplo o que vem anexado a um e-mail de remetente desconhecido, é possível que este ficheiro instrua o computador a realizar tarefas indesejadas pelo usuário, tais como a instalação de vírus ou spywares.

Certas vezes,a extensão .exe é utilizada para denominar "hacks" de terror de jogos,como Sonic.EXE

Versões[editar | editar código-fonte]

Existem diversos tipos de ficheiros EXE, estes diversos tipos evoluíram de forma a acomodar capacidades não previstas anteriormente. Os diversos tipos são identificados pelos seus respectivos números mágicos ou "magic number" em inglês.

  • "DOS Executable": tem como número mágico a string "MZ" em ASCII e é a encarnação mais simples dos ficheiros EXE. Esta é a única versão usada no DOS sem extensões de 32 bits.
  • "16-bit New Executable": identificados pela string "NE" pode ser executado pelo OS/2 e todas as versões de Windows.
  • "Mixed 16/32-bit Linear Executable": identificados pelas iniciais "LE" em ASCII. Este formato não é usado por aplicações, ele é usado para drivers do tipo VxD no Windows 3.x e Windows 9x.
  • "32-bit Linear Executable": identificados pelas iniciais "LX" em ASCII. Formato exclusivo do OS/2 nas versões 2.0 ou mais recentes. Alguns extensores do DOS para 32 bits usavam este formato também.
  • "32-bit Portable Executable": identificados pelas iniciais "PE" in ASCII. Este é o formato mais complexo de ficheiros EXE e podem ser executados por todas as versões do Windows NT e pelos Windows 95 e mais recentes. O BeOS também usa este formato, porém este sistema viola a especificação de uma forma sutil.
  • "64-bit": Similares aos ficheiros EXE "32-bit Portable Executable" porém usam as extensões de 64-bits das CPUs. Estes só podem ser executados nas edições dos Windows 64-bits.

Além destas existem algumas versões customizadas do EXE, elas eram criadas pelos extensores do DOS.

Os ficheiros EXE em formatos mais novos que são incompatíveis com o DOS, são precedidos por um programa executável que pode ser entendido pelo DOS. Isso é feito para que os arquivos não provoquem um "crash" no DOS quando executados nesta plataforma e normalmente eles simplesmente informam ao usuário que o programa deve ser executado em uma versão do Windows. Alguns programas, como o editor de registros do Windows (regedit), têm um programa funcional em DOS.

Notas

  1. Os antigos sistemas operacionais DOS (de fabricantes como IBM e Microsoft), assim como o IBM OS/2, também eram capazes de executar arquivos EXE (de 16 bits).