Ecdysozoa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaEcdysozoa
Ocorrência: Cambriano Inferior - Recente
Quilópode

Quilópode
Classificação científica
Domínio: Eukaryota
Reino: Animalia
Subreino: Eumetazoa
(sem classif.) Bilateria
Protostomia
Superfilo: Ecdysozoa
Aguinaldo et al., 1997
Filos
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Ecdysozoa

Ecdysozoa é um clado de animais protostômios que reune os artrópodes, nemátodes e outros sete filos. Inclui organismos que têm de se desfazer do exosqueleto "apertado" e formar um novo para poderem crescer, um processo designado muda ou ecdise. O grupo foi definido por Aguinaldo e colaboradores em 1997, baseado em análise molecular principalmente de genes 18S RNA ribossomal.1 Dunn e colaboradores em 2008, confirmaram a monofilia do clado.2

O grupo Ecdysozoa é uma das duas grandes divisões dos Protostomia, os animais em que a boca se forma primeiro que o ânus no desenvolvimento embrionário. Por sua vez, os Protostomia pertencem ao grupo dos Bilateria, os animais com simetria bilateral.

O grupo tem sido contestado por uma significante minoria de biólogos. Alguns têm se mantido fiéis ao agrupamento taxonômico tradicional,3 enquanto outros têm contestado a interpretação dos dados moleculares.4 5

Características[editar | editar código-fonte]

A mais notável característica compartilhada pelos ecdisozoários é a cutícula de três camadas composta por material orgânico, que é periodicamente trocada a medida que o animal cresce. Este processo de muda é denominado ecdise e deu origem ao nome do grupo. Os Ecdysozoa não possuem cílio locomotor, produzem esperma amebóide, e seus embriões não sofrem clivagem como em muitos outros protostômios.

O grupo reune os seguintes filos: Arthropoda, Onychophora, Tardigrada, Kinorhyncha, Priapulida, Loricifera, Nematoda e Nematomorpha. Outros grupos, como o Gastrotricha, foram considerados como possíveis membros, entretanto, tais grupos não compartilham a principal característica do clado, e são agrupados em outras categorias. Os filos Arthropoda, Onychophora e Tardigrada têm sido agrupados juntos no Panarthropoda por causa de sua distinguível segmentação corporal.6 Dunn et al. em 2008 sugeriram que os tardígrados podem ser agrupados com os nemátodes, deixando o Onychophora como grupo-irmão dos artrópodes.2

Os demais filos do grupo foram agrupados no Cycloneuralia, mas este agrupamento é parafilético.

Críticas[editar | editar código-fonte]

O grupo proposto por Aguinaldo e colaboradores não é universalmente aceito. Alguns zoólogos ainda mantém a visão tradicional de agrupar o Panarthropoda e o Annelida no grupo denominado Articulata , e que o Ecdysozoa é polifilético. Os nemátodes, com seus muitos táxons parasitas e com um considerado número de autapomorfias constitui o principal ponto de contestação do agrupamento filogenético.


Deuterostomia



Ecdysozoa



Tardigrada




Nematoda



Nematomorpha






Priapulida



Kinorhyncha






Onychophora




Tetraconata




Myriapoda



Chelicerata







Lophotrochozoa



Árvore filogenética do clado Ecdysozoa proposto por Dunn et al. (2008)
  1. O epitélio cuticular está amplamente distribuído em outros filos de invertebrados (incluindo alguns anelídeos e moluscos) e mostra um considerável grau de variação. Acredita-se que ele evolui independentemente, ao menos em alguns grupos. No Nematoda e Panarthropoda, a cutícula é diferente tanto na composição química quanto na ultra-estrutura. Enquanto a cutícula dos artrópodes contêm quitina, ou pode ser uma combinação de quitina e queratina nos crustáceos; a quitina nunca foi encontrada no complexo cuticular dos nemátodes, que possui uma cutícula fibrosa e multi-laminar feita de colágeno e tipos de queratinas únicas na Nematoda.
  2. A evidência molecular da monofilia do Ecdysozoa é ambígua.4 7

Uma das propostas é considerar o Ecdysozoa como grupo-irmão do Annelida,8 entretanto a controvérsia está longe de terminar.9

Referências

  1. Aguinaldo, A.M.A.; Turbeville, J.M.; Linford, L.S.; Rivera, M.C.; Garey, J.R.; Raff, R.A.; Lake, J.A.. (1997). "Evidence for a clade of nematodes, arthropods and other moulting animals". Nature 387: 489–493. DOI:10.1038/387489a0.
  2. a b Dunn et al.. (2008). "Broad phylogenomic sampling improves resolution of the animal tree of life". Nature 452: 745–749. DOI:10.1038/nature06614.
  3. Nielsen, Claus. Animal Evolution: Interrelationships of the Living Phyla. [S.l.]: Oxford University Press, 1995. ISBN 9780198506829
  4. a b Blair, J. E.; Kazuho Ikeo, Takashi Gojobori and S. Blair Hedges. (2002). "The evolutionary position of nematodes". BMC Evolutionary Biology 2: 7. DOI:10.1186/1471-2148-2-7.
  5. Wägele, J. W.; T. Erikson, P. Lockhart, & B. Misof. (1999). "The Ecdysozoa: Artifact or monophylum?". Journal of Zoological Systematics and Evolutionary Research 37: 211–223.
  6. Paleos Invertebrates: Panarthropoda - URL retrieved February 17, 2007
  7. Wägele, J. W.; B. Misof. (2001). "On quality of evidence in phylogeny reconstruction: a reply to Zrzavý's defence of the 'Ecdysozoa' hypothesis". J. Zool. Syst. Evol. Research 39 (3): 165–176. DOI:10.1046/j.1439-0469.2001.00177.x.
  8. Nielsen, C. (2003) Proposing a solution to the Articulata–Ecdysozoa controversy. Zoologica Scripta 32:5, 475-482
  9. Jenner, Ronald A. Unleashing the force of cladistics? Metazoan phylogenetics and hypothesis testing. Integrative and Comparative Biology, Feb 2003