Ecocídio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Ecocídio é uma expressão que pode ser usada para fazer referência a qualquer destruição em larga escala do meio ambiente ou à sobreexploração de recursos não-renováveis.[1] O termo foi também usado em relação aos danos ambientais devidos à guerra, como por exemplo o uso de desfolhantes na Guerra do Vietname.[2] Ecocida é também um termo utilizado para uma substância que dizima espécies num ecossistema o suficiente para desestabilizar a sua estrutura e função.Cunningham, W; et al.. Environmental encyclopedia. Detroit: Gale, 1998. ISBN 0-8013-9314-X. </ref> Uma exemplo pode ser uma alta concentração de um pesticida no meio ambiente devido a um derrame.

O teórico e activista ambiental Patrick Hossay[3] acredita que a espécie humana está a cometer ecocídio, por via dos efeitos da civilização industrial no ambiente global. Muito do movimento ambientalista moderno pega neste conceito como um preceito. Críticos do ecocídio normalmente dizem que os impactos causados pelos humanos não são suficientemente sérios a ponto de ameaçar a habilidade da Terra para suportar vida complexa.

Uma outra definição de ecocídio é aquela em que um organismo destrói outros ecossistemas que o dele próprio (exemplo: cancro). Por exemplo, pode ser dito que durante o Pré-Câmbrico, as cianobactérias cometeram ecocídio sobre a ecologia prevalencente, através da libertação de oxigénio no meio ambiente. Organismo para os quais o oxigénio era venenoso desapareceram, enquanto que as algas e outros organismos adaptaram-se.

De acordo com esta interpretação, a espécie humana pode estar a cometer ecocídio em vários sistemas ecológicos à volta do mundo, mas a destruição destes ecossistemas menores não tem impacto material na sobrevivência humana. Sob este ponto de vista, o ecocídio pode ser estetica e moralmente reprovável, mas não material e economicamente.

No coração do conceito de ecocídio estão questões práticas e morais: está a actividade humana a destruir sistemas ecológicos que suportam a sua própria sobrevivência?

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Random House (2006) Unabridged Dictionary
  2. Modern warfare equals environmental damage. USA Today Magazine, January 2008, Vol. 136 Issue 2752, p6-6,
  3. in Unsustainable A Primer for Global Environmental and Social Justice, Zed Books: London, 2006,see 'Ecocide' and 'Toxic Planet', pp. 22-34.

Notas[editar | editar código-fonte]

Leitura adicional[editar | editar código-fonte]