Economia socialista de mercado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde outubro de 2011)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.

A economia socialista de mercado é consequência não apenas de uma função reguladora do Governo, mas do domínio absoluto pelo Estado, de todos os bens produtivos, ou seja, pela prática da colectivização de todos os meios e bens de produção.

Assim, caracteriza-se pela assunção por parte do Governo de toda a responsabilidade pela economia, por intermédio de um amplo sistema de planeamento e verificação. O Estado para além de todos os sectores produtivos, possui ainda toda a terra, o gado e o equipamento agrícola, constituindo os camponeses que trabalham a terra, à semelhança dos outros trabalhadores, um proletariado agrícola.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  • CAMERON, Rondo, História Económica do Mundo, 2ª Edição, Lisboa, Publicações Europa-América, 2004;
  • MARTÍNEZ, Soares, Economia Política, 8ª Edição, Coimbra, Livraria Almedina, 1998.
Ícone de esboço Este artigo sobre economia é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.