Edmond Albius

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Edmond Albius colhendo vanila, em 1863, do álbum de Antoine Roussin.

Edmond Albius (Sainte-Suzanne, Reunião, 1829 - Sainte-Suzanne, 1880) foi um horticultor reuniense.

Escravo e órfão de nascença, foi recolhido por Féréol Bellier Beaumont que o iniciou na horticultura e botânica. Em 1841, com apenas doze anos, descobriu o método prático para a polinização da Baunilha (Vanila), um procedimento que revolucionou a cultura deste tempero permitindo que Reunião se tornasse, por um tempo, o primeiro produtor mundial, e o berço divulgador de um novo conhecimento técnico. A fecundação artificial da Vanila foi realizado originalmente por Charles Morren em 1836.

Por ser uma criança, negro e escravo, a paternidade da descoberta foi rapidamente impugnada. O autor do grande desenvolvimento inicial do atual Jardim do Estado de Saint-Denis, o botânico Jean Michel Claude Richard pretendeu alegar ter ensinado a técnica ao escravo três ou quatro anos antes. O jovem Edmond foi vigorosamente defendido por Ferréol Bellier Beaumont, pelo naturalista Volsy Focard e por um certo Mézières de Lépervenche. Apesar deste apoio, a controvérsia persistiu, mesmo após a morte dos dois protagonistas.

Com a abolição da escravatura, em 1848, foi dado ao ex-escravo o sobrenome "Albius", em referência a cor branca (alba) da flor da vanila. No inicio do século XX, um artigo de imprensa chegou até à afirmar, sem razão, que Edmond era um homem branco.

Edmond Albius não tirou nenhum benefício de uma invenção que fez a fortuna dos cultivadores. Morreu na miséria em 1880.

As dúvidas só foram afastadas definitivamente no fim do século XX, dando a Edmond o reconhecimento e a paternidade da descoberta.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Le DB. Dictionnaire biographique de La Réunion, sous la direction de Michel Verguin et Mario Serviable, Édition Communication Loisir Information Presse / ARS Terres Créoles, tome 1, 1993.
  • Hazen, J. (1995) Vanilla. Chronicle Books. San Francisco, CA.
  • Rain, P. (1986) The Vanilla Cookbook. Celestial Arts. Berkeley, CA.

Ligação externa[editar | editar código-fonte]