Eduardo Bueno

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Eduardo Bueno
Nome completo Eduardo Bueno
Nascimento 30 de Maio de 1958 (56 anos)
Porto Alegre
Nacionalidade Brasil Brasileiro
Ocupação Jornalista
Magnum opus Brasil: Uma História
Escola/tradição Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Jornalismo)

Eduardo Bueno (Porto Alegre, 30 de maio de 1958) é um jornalista, escritor e tradutor brasileiro.

Iniciou a sua vida profissional aos dezessete anos, como repórter do jornal gaúcho Zero Hora, onde ganhou o apelido de "Peninha", o personagem da Disney que trabalha no jornal A Patada. Atuou como editor, roteirista, tradutor, e trabalhou em diversos veículos de comunicação. Ficou conhecido do público jovem gaúcho pela sua participação no programa "Pra Começo de Conversa", da TV Educativa de Porto Alegre. Em 1988 teve também um quadro em outro programa daquela emissora educativa gaúcha, no horário do almoço, ao lado de Maria do Carmo Bueno, Zé Pedro Goulart, Cândido Norberto e outros. Quando o jornalista paulista Augusto Nunes veio revolucionar o jornal Zero Hora, Peninha foi um dos principais nomes de sua equipe, apesar da diferença ideológica entre os dois.[carece de fontes?]

Ficou conhecido nacionalmente por traduzir "On the Road", de Jack Kerouac, um clássico da cultura beatnik da década de 1950, que traduziu para o português como "Pé na Estrada". À época (sua tradução é da década de 1980), não apenas aderiu ao movimento, como também se tornou um de seus maiores divulgadores no país.[carece de fontes?]

Aproveitando o contexto de preparação das comemorações pelos quinhentos anos do descobrimento do Brasil, fechou contrato com a Editora Objetiva para a redação de cinco livros sobre História do Brasil voltada para leigos, a Coleção Terra Brasilis:

  1. A Viagem do Descobrimento (1998)
  2. Náufragos, Traficantes e Degredados (1998)
  3. Capitães do Brasil (1999)
  4. A Coroa, a Cruz e a Espada (2006)
  5. A França Antártica (previsto para 2007)

Apenas a vendagem dos três primeiros títulos alcançou 500 000 exemplares até 2006. Nesse período, o autor lançou outras doze obras de cunho histórico, entre as quais sobre a Caixa Econômica Federal ("Caixa - uma História Brasileira"), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária ("À Sua Saúde - a Vigilância Sanitária na História do Brasil"[1] ), o Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense ("Grêmio - Nada Pode Ser Maior"[2] ), a Avenida Central ("Avenida Rio Branco"[3] ), a Kimberly & Clark ("Passado a Limpo"[3] ), a Confederação Nacional da Indústria ("Produto Nacional"[3] ) e os Mamonas Assassinas ("Mamonas Assassinas - Blá, Blá, Blá: a Biografia Autorizada"[4] ), além de ter participado de um projeto sobre a biografia de Bob Dylan (artista pelo qual nutre uma admiração obsessiva).

Embora suas obras sejam utilizadas no cotidiano das salas de aula brasileiras e Bueno seja, por vezes, confundido com um historiador, sua formação acadêmica e experiência profissional são na área de jornalismo, o que lhe rende críticas por parte de quase todos os historiadores, que avaliam seus livros como superficiais e presos ao campo da memória e curiosidades na história, prejudicando a publicação de trabalhos sérios do campo historiográfico. Porém, o seu sucesso como escritor, ao menos em termos de vendagem de livros, é indiscutível.

O autor considera, ainda, que há espaço para outras obras e afirma ter desejo de escrever ainda sobre o período pré-Cabralino, sobre as bandeiras e sobre o Brasil Holandês.[5]

Eduardo Bueno é torcedor doente do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense e é conhecido por ser defensor do chamado "futebol-força".[6] Tem uma filha chamada Lízia Bueno.

Obra[editar | editar código-fonte]

  • BUENO, Eduardo. A viagem do Descobrimento: a Verdadeira História da Expedição de Cabral. Rio de Janeiro: Objetiva, 1998. 140p. il. ISBN 8573022027
  • BUENO, Eduardo. Náufragos, Traficantes e Degredados: as Primeiras Expedições ao Brasil, 1500-1531. Rio de Janeiro: Objetiva, 1998. 204p. il. ISBN 8573022167
  • BUENO, Eduardo. Capitães do Brasil: a Saga dos Primeiros Colonizadores. Rio de Janeiro: Objetiva, 1999. 288p. il. ISBN 8573022523
  • BUENO, Eduardo. Brasil: Terra à Vista! A Aventura Ilustrada do Descobrimento. Porto Alegre (RS): L&PM Editores, 2000. 112p. il.
  • BUENO, Eduardo. Brasil: uma História - a Incrível Saga de um País. São Paulo: Ática, 2003. 448p. il. ISBN 8508089538
  • BUENO, Eduardo. Pau-brasil. São Paulo: Axis Mundi, 2003. il. ISBN 8585554223
  • BUENO, Eduardo. Grêmio: Nada Pode Ser maior. Rio de Janeiro: Ediouro, 2004. ISBN 8500016000
  • BUENO, Eduardo. Blá, Blá, Blá: a Biografia Autorizada dos Mamonas Assassinas. Porto Alegre, L&PM Editores.
  • BUENO, Eduardo. À sua Saúde: a Vigilância Sanitária na História do Brasil. Brasília: ANVISA, 2008. 106p. il. ISBN 8533410069

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.