Edward Heath

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O Muito Honorável
Sir Edward Heath
KG MBE
Primeiro-Ministro do Reino Unido Reino Unido
Período de governo 19 de junho de 1970
a 4 de março de 1974
Monarca Isabel II
Antecessor(a) Harold Wilson
Sucessor(a) Harold Wilson
Líder da Oposição
Período de governo 4 de março de 1974
a 11 de fevereiro de 1975
Monarca Isabel II
Antecessor(a) Harold Wilson
Sucessor(a) Margaret Thatcher
Período de governo 28 de julho de 1965
a 19 de junho de 1970
Monarca Isabel II
Antecessor(a) Sir Alec Douglas-Home
Sucessor(a) Harold Wilson
Secretário de Estado para a Indústria, Comércio e Desenvolvimento Regional
Período de governo 20 de outubro de 1963
a 16 de outubro de 1964
Monarca Isabel II
Antecessor(a) Frederick Erroll
Sucessor(a) Douglas Jay
Lorde do Selo Privado
Período de governo 14 de fevereiro de 1960
a 18 de março de 1963
Monarca Isabel II
Antecessor(a) O Visconde Hailsham
Sucessor(a) Selwyn Lloyd
Ministro do Trabalho
Período de governo 19 de outubro de 1959
a 27 de julho de 1960
Monarca Isabel II
Antecessor(a) Iain Macleod
Sucessor(a) John Hare
Vida
Nome completo Edward Richard George Heath
Nascimento 9 de julho de 1916
Broadstairs, Kent,
 Reino Unido
Morte 17 de julho de 2005 (89 anos)
Salisbury, Wiltshire,
 Reino Unido
Progenitores Mãe: Edith Anne Pantony
Pai: William George Heath
Dados pessoais
Alma mater Balliol College, Oxford
Partido Conservador
Religião Anglicanismo
Profissão Jornalista
Serviço militar
Serviço/ramo Exército Britânico
Anos de serviço 1940–1946
Graduação Tenente Coronel
Batalhas/guerras Segunda Guerra Mundial

Sir Edward Richard George Heath, KG MBE (Broadstairs, 9 de julho de 1916 - Salisbury, 17 de julho de 2005), foi um político britânico, foi líder do Partido Conservador de 1965 a 1975 e primeiro-ministro do Reino Unido, de 1970 a 1974.

Heath era um velejador de classe mundial e um músico de quase padrão profissional. Ele também foi um dos quatro primeiros-ministros britânicos a nunca se casarem.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de pais pobres, conseguiu terminar sua graduação em Balliol College, Oxford, sendo formado em política. Devido as suas habilidades musicais com o órgão e encorajado pela mãe, começou a aprender piano muito cedo e apaixonou-se pela música para o resto da vida. Enquanto primeiro-ministro e líder da oposição, Heath conduziu orquestras sinfônicas, escrevendo em 1976 o livro "Música, um amor para a vida", que foi um êxito de vendas e foi eleito membro honorífico da Orquestra Sinfônica de Londres[1] .

Quando na universidade, se tornou ativo na política conservadora, com um interesse particular em casos estrangeiros e geralmente com um discurso um tanto mais à esquerda do que aquele do governo Conservador de então[2] .

Durante a Segunda Guerra Mundial, serviu na artilharia do exército britânico em Liverpool (que sofreu um bombardeio alemão pesado em maio de 1941), de onde saiu com a patente de Tenente-Coronel[3] . Durante uma inspeção do Exército, quando era primeiro-ministro, fez questão de usar seu uniforme e suas patentes[4] .

Era um entusiasta da União Europeia, entretanto, falharam as negociações em que ele participou como representante do Reino Unido, da inserção na Comunidade Europeia, em 1960.

Política[editar | editar código-fonte]

Foi parlamentar da Câmara dos Comuns pelo distrito londrino de Bexley durante mais de 50 anos, tendo sido eleito 14 vezes consecutivas para o cargo. Decidiu retirar-se nas eleições de julho de 2001 por vontade própria[5] . Foi eleito deputado pela primeira vez em 1950.

A sua maior conquista nos quatro anos como primeiro-ministro foi ter negociado, em 1973, a entrada da Grã-Bretanha na comunidade europeia. Europeísta convicto, o dirigente conservador viu assim concretizado o sonho de ver o Reino Unido entrar no mercado comum europeu enquanto dirigia o Governo britânico[6] .

Seu maior desafio foi enfrentar o descontentamento da Irlanda do Norte, que queria uma maior autonomia, por conta das diferenças religiosas com o restante do reino, e os ataques terroristas do IRA[7] . Foi durante o seu mandato que ocorreu o Domingo Sangrento de 1972.

Depois do mandato como primeiro-ministro, Edward Heath voltou a ser líder da oposição, até que foi afastado em 1975 da frente do Partido Conservador por Margaret Thatcher, a quem sempre dirigiu duras críticas e nunca aceitou um cargo no seu gabinete[8] .

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Heath, Edward. Sailing: A Course of My Life. London: Sidgwick & Jackson, 1975.
  • Heath, Edward. Music: A Joy for Life. London: Sidgwick & Jackson, 1976.
  • Heath, Edward. Travels: People and Places in My Life. London: Sidgwick & Jackson, 1977.
  • Heath, Edward. The Course of My Life. London: Hodder & Stoughton, 1998.

Referências

  1. Heath, Edward. The Course of My Life. London: Hodder & Stoughton, 1998, p58
  2. House of Commons Hansard Debates for 18 July 2005 (pt. 6) (em inglês) (2005). Visitado em 13 de julho de 2012.
  3. Heath, Edward. The Course of My Life. London: Hodder & Stoughton, 1998, p111
  4. Edward Heath (1916 - 2005) (em inglês) BBC - History. Visitado em 13 de julho de 2012.
  5. Young, Hugo. One Of Us London: MacMillan, 1989
  6. Jonathan Green. Dictionary of Jargon. [S.l.]: Routledge, 1987. 482 pp. ISBN 978-0-7100-9919-8.
  7. The Five Giants: A Biography of the Welfare State by Nicholas Timmins
  8. Poverty, inequality and health in Britain, 1800-2000: a reader edited by George Davey Smith, Daniel Dorling, and Mary Shaw
Precedido por
Harold Wilson
(primeiro mandato)
Primeiro-ministro do Reino Unido
19701974
Sucedido por
Harold Wilson
(segundo mandato)