Edward William Lane

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Edward William Lane, em trajes turcos.

Edward William Lane (Hereford, 17 de setembro de 1801Worthing, 10 de agosto de 1876) foi um escritor, tradutor, lexicógrafo e orientalista britânico.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Formação[editar | editar código-fonte]

Lane foi o terceiro filho do reverendo Theophilus Lane, e sobrinho do pintor Thomas Gainsborough por parte de mãe [1] . Após a morte de seu pai em 1814, Lane foi mandado para uma Grammar School na cidade de Bath e depois novamente para Hereford onde demonstrou talento para matemática. Ele visitou a Universidade de Cambridge mas não se matriculou em nenhuma faculdade [2] . Ao invés disso, Lane se juntou ao seu irmão Richard em Londres par estudar gravura. Ao mesmo tempo Lane começou seu estudo de árabe autodidadamente. Entretanto sua saúde logo se deteriorou. E pelo bem de sua saúde e carreira ele viajou para o Egito[3] .

No Egito[editar | editar código-fonte]

Lane aportou em Alexandria em setembro de 1825, e logo partiu para o Cairo. Ele permaneceu no Egito por dois anos e meio confundindo-se com os locais por usar trajes turcos — a etnia dominante no Egito de então — e tomou nota e estudou tudo o que viu e ouviu lá. Na Velha Cairo ele viveu perto de Bab al-Hadid estudando várias línguas com o Sheik Muhammad 'Ayyad al-Tantawi, que foi mais tarde convidado a lecionar em São Petersburgo, Rússia. Lane retornou para Londres com volumosas notas de seus estudos em 1828 [4] [5] .

O interesse de Lane pelo Antigo Egito pode ter sido despertado por ver uma apresentação de Giovanni Battista Belzoni[6] [7] . Sua ambição original era publicar um artigo sobre o que tinha permanecido do Antigo Egito. E, um editor londrino, John Murray, demontrou grande interesse em publicara um grandioso projeto, mas depois voltou atrás. Por sugestão de Murray, Lane expandiu um capítulo do projeto original em um livro inteiro. O resultado foi o livro Manners and Customs of the Modern Egyptians[8] (1836), publicado pela Society for the Diffusion of Useful Knowledge. Este trabalho foi parcialmente baseado no livro The Natural History of Aleppo (1756) de Alexander Russell.[9] .

Trabalhos[editar | editar código-fonte]

Lane visitou o Egito novamente a fim de coletar materiais para expandit e revisar seu trabalho, após a Society aceitar a publicação[10] . O livro tornou-se um Best-Seller e deu a Lane grande reputação.

Lane estava consciente de que sua pesquisa estava deficiente pelo fato de ele não ter conseguido dar uma visão mais apurada da mulher egípcia, um aspecto da vida egícia que tinha particular interesse de seus leitores. Assim, ele foi forçado a confiar em informações passadas por um homem egípcio, como ele explica[11] :

Cquote1.svg Muitos esposos de classe média, e alguns outros da alta, falam livremente dos assuntos de harém com quem diga concordar com seus sentimentos morais se eles não tiverem que conversar através de um mediador ou intérprete Cquote2.svg
Lane [12]

Entretanto, Lane iria enviar sua irmã Sophia Lane Poole, que teria acesso a areás resritas a mulheres como haréns e casas de banho, para reportar o que ela encontrasse[13] . Este esforço resultou no livro The Englishwoman in Egypt: Letters from Cairo, written during a residence there in 1842, 3 & 4, with E.W. Lane, Author of "The Modern Egyptians" By His Sister[14] (o nome da irmã de Poole acabou não aparecendo). The Englishwoman in Egypt contém uma série de trabalhos nãopublicados de Lane alterados de tal forma que parecesse a perspectiva de Poole.[15]

O seguinte maior projeto de Lane foi a tradução de As Mil e uma Noites. Sua primeira versão viria em partes mensais publicas entre 1838 e 1840, publicado em 3 volumes em 1840 e uma edição revisada em 1859. As opiniões variaram muito sobre a qualidade desta tradução, desde pessoas que adoraram até pessoas que recriminaram-na. As anotações enciclopédicas desta obra foram publicadas póstumamente em 1883 por seu sobrinho Stanley Lane-Poole com o título de Arabian Society in the Middle Ages [16] [17] .

Capa do Arabic-English Lexicon.

Em 1840, Lane casou-se com Nafeesah, uma mulher com ascêndencia grega e egípcias que foi apresentada ou comprada por Lane quando ela tinha oito anos e quem ele tinha empreendido educar[13] .

A partir de 1842, ele devotou-se ao monumental Arabic-English Lexicon, dicionário arábe-inglês, e encontrou tempo para contribuir com muitos artigos para a revista da German Oriental Society[18] .

O livro Selections from the Kur'an[19] surgiu em 1843 e não foi sucesso nem de crítica nem comercial e estava repleto de erros de impressão. E, nessa época, Lane foi ao Egito pela terceira vez, juntamento com sua esposa, irmã e dois sobrinhos, para coletar materiais para um planejado dicionário[20] . Lane não consegui completar seu dicionário, ele estava na letra Qoph, a 21ª letra do alfabeto árabe, quando morreu em 1876.[21]

Em 1854, um trabalho anônimo intitulado The Genesis of the Earth and of Man[22] foi editado e publicado pelo neto de Lane, Reginald Stuart Poole. Este trabalho é atribuído por alguns à Lane[23] .

A parte relativa a história e topografia de Cairo no livro Description of Egypt, baseado no trabalho de Al-Maqrizi e observações próprias de Lane, foi revisto em 1847 e publicado em 1896 por Reginald Stuart Poole com o título de Cairo Fifty Years Ago[24] [25] . O livro inteiro Description of Egypt foi publicado pela American University in Cairo no ano 2000.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Arberry, A.J. (1960, Londres). Oriental Essays, George Allen & Unwin.
  • Irwin, Robert (1994, Londres). The Arabian Nights: A Companion, Allen Lane.
  • Irwin, Robert (2006, Londres). For Lust of Knowing, Allen Lane.
  • Lane, Edward William (1973, Nova York). An Account of the Manners and Customs of the Modern Egyptians. Com introdução de John Manchip White, Dover Publications.
  • Roper, Geoffrey (1998, Londres e N.Y.). "Texts from Nineteenth-Century Egypt: The Role of E. W. Lane", no livro Travellers in Egypt de Paul and Janet Starky, I.B. Tauris, pp. 244–254.
  • Thompson, Jason (1996). "Edward William Lane's 'Description of Egypt'". International Journal Of Middle East Studies.

Notas

  1. Arberry, A.J. (1960). Oriental Essays, pg. 87
  2. Arberry, pg. 87-8
  3. Arberry, pg. 88
  4. Arberry, 89-92
  5. Irwin, Robert (2006). For Lust of Knowing, pg. 164
  6. Roper, Geoffrey (1998). "Texts from Nineteenth-Century Egypt: The Role of E. W. Lane", no livro Travellers in Egypt de Paul and Janet Starky, pg. 244
  7. Irwin (2006), pg. 163
  8. Tradução: Modos e costumes dos modernos egípcios.
  9. Roper, pg. 244; Irwin (2006), pgs. 122 & 164
  10. Arberry, 92
  11. Lane, Edward William (1973, New York). An Account of the Manners and Customs of the Modern Egyptians.
  12. No original: Many husbands of the middle classes, and some of the higher orders, freely talk of the affairs of the ḥareem with one who professes to agree with them in their general moral sentiments, if they have not to converse through the medium of an interpreter.
  13. a b Thompson, Jason. An Account of the Journeys and Writings of the Indefagitable Mr. Lane Saudi Aramco World. Visitado em 2008-06-22.
  14. Tradução: Uma mulher britânica no Egito: Cartas do Cairo escritas durante sua estada lá em 1842, 43 e 44, com E.W. Lane, autor do "Os modernos egípcios", feitas por sua irmã.
  15. Thompson, Jason (1996). "Edward William Lane's 'Description of Egypt'". International Journal Of Middle East Studies, pg. 574
  16. Tradução: A Sociedade Árabe na Idade Média.
  17. Arberry, pg. 104
  18. Roper, pg. 249
  19. Tradução: Seleções do Alcorão.
  20. Arberry, pgs. 106-7
  21. Arberry, 115
  22. Tradução: A Gênese da Terra e do Homem.
  23. Roper, 249
  24. Tradução: Cairo há cinquenta anos.
  25. Roper, 245

Biografias[editar | editar código-fonte]

  • Ahmed, Leila (1978, Londres). Edward W Lane, Longman.
  • Lane-Poole, Stanley (1877, Londres). Life of Edward William Lane, Williams and Norgate.