Efeito da oposição

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O efeito da oposição é o aumento do brilho de uma superfície, ou um objeto com muitas partículas, quando iluminado diretamente atrás do observador. O termo é mais usado na astronomia, onde ele se refere a uma mudança repentina no brilho de um corpo celeste como um planeta, satélite natural, ou cometa enquanto seu ângulo de fase se aproxima de zero.

A existência do efeito da oposição foi relatada pela primeira vez em 1956 por Tom Gehrels durante seus estudos da luz refletida de um asteroide.[1] Mais tarde outros estudos de Gehrels mostraram que o mesmo efeito poderia ser mostrado no brilho da Lua.[2]

Referências

  1. Gehrels, T. (1956) "Photometric Studies of Asteroids. V: The Light-Curve and Phase Function of 20 Massalia". Astrophysical Journal 195: 331-338.
  2. Gehrels, T.; Coffeen, T.; & Owings, D. (1964) "Wavelength dependence of polarization. III. The lunar surface". Astron. J. 69: 826-852.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]