El Salvador

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
República de El Salvador
Bandeira de El Salvador
Brasão de armas de El Salvador
Bandeira Brasão de armas
Lema: "Dios, Unión, Libertad"
("Deus, União, Liberdade")
Hino nacional: Himno Nacional de El Salvador
("Hino Nacional de El Salvador")
Gentílico: salvadorenho(a)

Localização  República de El Salvador

Capital San Salvador
13° 40' N 89° 10' O
Cidade mais populosa San Salvador
Língua oficial Espanhol
Governo República presidencialista
 - Presidente Salvador Sánchez Cerén
 - Vice-presidente Óscar Ortiz
Independência da Espanha 
 - Data 15 de setembro de 1821 
Área  
 - Total 21.041 km² (148.º)
 - Água (%) 1,4
 Fronteira Honduras (N e E), e Guatemala (W)
População  
 - Estimativa de 2008 7.066.403 hab. (99.º)
 - Densidade 318 hab./km² (22.º)
PIB (base PPC) Estimativa de 2007
 - Total US$ : 41,652 bilhões (85.º)
 - Per capita US$ : 5.842 (95.º)
IDH (2010) 0,659[1]  (90.º) – médio
Gini (2002) 52,4 [2]
Moeda Dólar americano1 (USD)
Fuso horário (UTC-6)
 - Verão (DST) não observado (UTC-6)
Clima Tropical
Org. internacionais ONU, OMC, OEA, AEC, OEI, Grupo do Rio, União Latina, Conferência Ibero-Americana
Cód. ISO SLV
Cód. Internet .sv
Cód. telef. +503
Website governamental http://www.presidencia.gob.sv/

Mapa  República de El Salvador

1 Desde 2001.

El Salvador ou Salvador[3] [4] [5] , oficialmente República de El Salvador, é um país da América Central. Faz fronteira com o Oceano Pacífico, a sul, a Guatemala a oeste e Honduras para o norte e leste. Sua região oriental fica na costa do Golfo de Fonseca, em frente a Nicarágua. Sua população, de acordo com dados de 2014, era de 6 279 783 habitantes, sendo o país mais densamente povoado do subcontinente. Sua área territorial, de 21.040 km², faz deste o menor país da América Central. Sua capital e maior cidade é San Salvador.

O território de El Salvador compreende o que antes era a província de Sonsonate, o qual juntou-se ao município de San Salvador, formando a maior parte do território atual do país. Ambas as províncias ganharam a independência da Espanha, em 1821, pela Capitania-geral da Guatemala, e em 1824 se fundiram para formar o "Estado de El Salvador", como parte dos Estados Unidos da América Central. Em tempos pré-colombianos, houve um importante núcleo indígena conhecido como o Senhorio de Cuzcatlán, que significa "Lugar de jóias ou colares", na língua nahuatl.[6]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O nome oficial de El Salvador foi adotado na primeira constituição do país, promulgada em 12 de junho de 1824. Entretanto, a maneira de fazer-se contração da primeira palavra provocou a inscrição "República Del Salvador". Essa mesma constituição estipulava, ainda, que "O Estado se chamaria Estado del Salvador" (art. 7).[7]

Isso permaneceria até 7 de junho de 1915, quando por meio de um Decreto Legislativo, foi estabelecido definitivamente como nome oficial "El Salvador". Apesar do preceito, em documentos oficiais internacionais, continuava a prática de omitir a primeira parte do nome. Em 1958, por gestões do secretário de cultura Jorge Lardé y Larín, foi emitido outro Decreto Legislativo, com a data 23 de outubro, no qual adicionou-se ao texto de 1915 a proibição de suprimir a palavra El quando associada às palavras "República" ou "Estado". Também foi determinada a reserva do direito de contestar qualquer documento ou inscrever-se em qualquer acordo onde aparecesse escrito incorretamente o nome oficial da república.[7]

História[editar | editar código-fonte]

A estátua ícone de Jesus Cristo para a cova do globo planetário globo faz parte do Monumento al Divino Salvador del Mundo (Monumento ao Divino Salvador do Mundo) no Plaza El Salvador do mundo, é um marco localizado na capital San Salvador. É um símbolo que identifica e representa tanto a El Salvador e salvadorenhos em todo o mundo..

El Salvador tornou-se independente da Espanha em 1821 e logo após entrou na Federação Centro-Americana, obtendo a independência da mesma em 1839. Uma guerra civil de 12 anos, custou as vidas de aproximadamente 75 000 pessoas. Este número porém, não conta os desaparecidos que se estima estejam ao redor de 20 a 40 mil. A guerra chegou ao fim em 1992, quando o governo de direita e a guerrilha de esquerda assinaram um tratado que levou a reformas militares e políticas.

El Salvador foi conquistado pela Espanha por Pedro De Alvarado Y Contreras. A conquista foi uma das mais difíceis na história colonial tendo com adversário principal um indígena chamado Atlacatl que lutou durante 15 anos contra a invasão Espanhola e os seu aliados da região recém conquista no território Mexicano. Alguns séculos antes da chegada dos conquistadores espanhóis, a parte ocidental de El Salvador era habitada pelos Maias.Durante o período colonial, a região fazia parte do vice-reino da Nova Espanha (capitania geral da Guatemala), mas estava sujeita à jurisdição do comandante-geral estabelecido na cidade de Guatemala. O primeiro movimento de independência em relação à Espanha ocorreu em San Salvador em 1811, mas sua conquista só se verificou em 1821, quando passou ao domínio do México. Em 1823, quando o império mexicano se dissolveu, El Salvador tornou-se um dos estados membros da Federação das Províncias Unidas da América Central (juntamente com Guatemala, Honduras, Nicarágua e Costa Rica) e, com a ruptura da entidade, em 1838, tornou-se uma república independente.

Conflitos internos entre liberais e conservadores, e uma série de choques nas fronteiras com os vizinhos, retardaram o desenvolvimento durante o século XIX. No começo do século XX, os conservadores ganharam influência política e a presidência permaneceu em mãos de famílias da elite como se fosse seu patrimônio pessoal. A primeira parte do século XX foi um período de relativa estabilidade e a economia obteve progressos consideráveis. A história de El Salvador no século XX foi regida por uma série de presidentes militares. Entre 1931 e 1944, o país esteve sob a ditadura de Maximiliano Hernández Martínez. Sucederam-se vários outros governos militares, em meio a uma crise econômica que provocou a emigração de milhares de salvadorenhos e, em 1969, uma breve guerra com a vizinha Honduras, apaziguada pela intervenção da Organização dos Estados Americanos com a criação de uma zona desmilitarizada (1971). Alguns dos presidentes militares, como Oscar Osorio (1950-1956) e José M. Lemos (1956-1960), mostraram-se um tanto simpáticos às extremamente necessárias reformas sociais e foram mantidos em xeque por seus colegas militares mais conservadores, em comum acordo com as oligarquias civis.

A revolução cubana de Fidel Castro e a guerrilha de esquerda nos outros países da América Central empurraram o exército salvadorenho firmemente para a direita. A miséria no campo facilitou o surgimento de vários movimentos guerrilheiros de esquerda. Medidas repressivas e violação dos direitos humanos pelo exército durante os anos 70 e 80 foram documentadas por várias agências internacionais e o número de refugiados acarretou um grande problema.

San Salvador, a capital do país.

Em 1972, foi eleito presidente Arturo Molina, e, em 1977, o general Carlos Humberto Romero. Em 1979, uma junta militar derrubou o presidente Carlos Humberto Romero. A junta não conseguiu unificar o país nem derrotar as guerrilhas, as quais controlavam parte do país. José Napoleón Duarte se uniu à junta e assumiu a presidência em dezembro de 1980. No início da década de 1980, forças de oposição entraram em luta armada com o governo. Em 1983, a guerrilha controlava diversas áreas do país, e os Estados Unidos aumentaram a ajuda militar ao governo. José Napoleón Duarte, eleito presidente em 1984, tentou sem resultado a paz com a guerrilha. Em 1988, o vice-presidente Rodolfo Castillo assumiu em lugar de Duarte, enfermo com câncer.

Nas eleições de 1989, a Aliança Republicana Nacionalista (Arena), de extrema direita, obteve a maioria da Assembléia Nacional e seu líder, Alfredo Cristiani Burkard, sucedeu a Duarte na presidência. No ano seguinte, o grupo guerilheiro de extrema esquerda FMLN (Frente Farabundo Marti de Liberación Nacional) e o governo iniciaram negociações para a paz sob mediação da ONU. O secretário-geral da ONU, Pérez de Cuellar, empreendeu conversações de paz durante o ano de 1991, cujas recomendações começaram a ser implementadas com sucesso em 1992, pondo fim a 12 anos de guerra civil que custou cerca de 75.000 vidas. A FMLN transformou-se em partido político. Nas eleições de 1994, acompanhadas por observadores da ONU, foi eleito presidente da República o candidato direitista Armando Calderón Sol (Arena) com a árdua tarefa de reconstruir a economia do país e cicatrizar as feridas da guerra civil. Em março de 1999, Francisco Flores, candidato da Arena à presidência do país, derrotou o ex-líder da guerrilha durante a guerra civil de El Salvador (1979-1992), Facundo Guardado, da FMLN. Flores tomou posse, para um mandato de cinco anos, em 20 de junho de 2000.

Política[editar | editar código-fonte]

El Salvador é uma república democrática representativa presidencial, na qual o presidente é chefe de estado e chefe de governo. Adota-se um sistema pluripartidário. O Poder Executivo é exercido pelo governo. O Poder Legislativo é investido no governo e no conjunto legislativo. O Judiciário é independente do Executivo e do Legislativo. O atual presidente de El Salvador é Mauricio Funes, eleito em 15 de março de 2009, tendo tomado posse em 1º de junho de 2009, sucedendo Elías Antonio Saca González.

Subdivisões[editar | editar código-fonte]

Departamentos de El Savador.

El Salvador está dividido em 3 zonas (Zona Ocidental, Zona Oriental e Zona Paracentral). Além disso é dividido nos seguintes 14 departamentos:

  1. Ahuachapán
  2. Cabañas
  3. Chalatenango
  4. Cuscatlán
  5. La Libertad
  6. La Paz
  7. La Unión
  8. Morazán
  9. San Miguel
  10. San Salvador
  11. San Vicente
  12. Santa Ana
  13. Sonsonate
  14. Usulután

Geografia[editar | editar código-fonte]

El Salvador é o único país da América Central que não é banhado pelo Mar das Caraíbas, tendo apenas costa pacífica. O interior é montanhoso e no litoral existe uma estreita planície costeira, que é mais larga no centro do país, na área da foz do rio Lempa e da baía de Jiquilisco. No interior centro existe também um planalto. Em termos de área, é o menor país da América continental.

O clima é tropical na costa e temperado nas zonas altas.

As cidades mais importantes de El Salvador são:

Relevo[editar | editar código-fonte]

O seu relevo é composto de uma bandeja central pouco elevada (de 400 a 800 m de altitude) recortada por vales fluviais e abrangida por numerosos vulcões (Santa Ana, San Vicente, San Salvador, Tepaca, Conchagua), alguns do qual são ainda ativo.

Parte mais elevada do país situa-se no Norte, ao maciço de Monte Cristo (2 418 m). Estreita a banda costeira que contorna o oceano Pacífico não excede 25 km de larga. O Lempa, parcialmente navegável, é o principal rio do país.

As montanhas do Salvador são cobertas em parte de carvalhos e pinhos; no resto do país, árvores à folhas caducas e prados dominam. Encontra-se uma abundância de frutos tropicais e de plantas medicinais. A fauna do Salvador, menos variada que a dos países vizinhos devido à grande densidade de população, compreende nomeadamente macacos, coiotes, jaguars, pumas e ocelots.

Economia[editar | editar código-fonte]

Campo de algodão em El Salvador

Apesar de ser o menor país da América Central em termos geográficos, El Salvador possui a terceira maior economia da região. Com um PIB per capita aproximado em 7.300 dólares americanos, o país pertence à faixa de renda média-baixa. A inflação em 2010 foi em torno de 0,8% e a taxa de desemprego em torno de 7%. De acordo com o Banco Mundial El Salvador ocupa o 86° lugar para se fazer negócios. A economia do país se concentra primordialmente em serviços 60%, industria 29% e agricultura 11%.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Evolução da população salvadorenha entre 1963 e 2000

A população de El Salvador gira em torno de 6,2 milhões de pessoas. Cerca de 90% é mestiça (mistura de ameríndios e espanhóis), uns 9% são brancos, e somente 1% são indígenas puros. Poucos ameríndios mantiveram seus costumes, tradições e línguas.

A língua espanhola é virtualmente falada por todos os habitantes. A maioria da população salvadorenha é católica romana (57% da população, apesar do crescimento dos grupos protestantes (atualmente em 21%).

A capital do país, San Salvador, tem cerca de 2,1 milhões de pessoas. 64% da população vive em áreas urbanas, este número crescendo a uma taxa de 1,4% / ano.

Pirâmide etária (est. 2010)

  • 0-14 anos: 31%
  • 15-64 anos: 63%
  • 65 anos ou mais: 6%

Taxa de crescimento demográfico anual: 0,318% (est. 2011)

Religião[editar | editar código-fonte]

Percentagem da população do El Salvador por afiliação religiosa:
Católicos Protestantes Sem/Outras
57,1 % 21,2 % 2,3 %

Cidades mais populosas[editar | editar código-fonte]

Cultura[editar | editar código-fonte]

Data Nome em português Nome local Observações
1 de Janeiro Ano Novo Año nuevo Início do novo ano civil
1 de Maio Dia do trabalho Día del trabajo Em honra às pessoas trabalhadoras da nação
Primeira semana de Agosto Festas de Agosto Fiestas agostínas
15 de Setembro Dia da independência Dia de la independencia Pela descoberta da América por Cristóvão Colombo
1 de Outubro Dia da criança Día de los niños Celebração às crianças feita neste país e ao redor do mundo
2 de Novembro Dia dos mortos Día de los difuntos o de los muertos Em lembrança e respeito às pessoas que já morreram
25 de Dezembro Natal Navidad Nascimento de Jesus Cristo

Galeria de sites em El Salvador[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. PNUD, http://www.pnud.org.br/pobreza_desigualdade/reportagens/index.php?id01=3324&lay=pde, 05 de Outubro de 2009
  2. CIA World Factbook, Lista de Países por Coeficiente de Gini (em inglês)
  3. Tavares Louro, A. (11 de março de 2005). Sobre os adjetivos pátrios. Ciberdúvidas da Língua Portuguesa. Página visitada em 27 de novembro de 2012.
  4. Instituto de Linguística Teórica e Computacional. Salvador. Dicionário de Gentílicos e Topónimos. Portal da Língua Portuguesa. Página visitada em 27 de novembro de 2012.
  5. Serviço das Publicações da União Europeia. Anexo A5: Lista dos Estados, territórios e moedas. Código de Redacção Interinstitucional. Página visitada em 27 de novembro de 2012.
  6. Geoffroy Rivas, Pedro, Toponimia Nahuat Cuscatlan . p. 55.
  7. a b Departamento de Relaciones Públicas Casa Presidencial: El Salvador 1974-1975, pp. 12-13.
  8. Estimativas da população residente nos municípios de El Salvador (PDF). Direción General de Statisticas e Census (2007). Página visitada em 5 de julho de 2013.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui multimídias sobre El Salvador
Bandeira de El Salvador El Salvador
Bandeira • Brasão • Hino • Culinária • Cultura • Demografia • Economia • Geografia • História • Portal • Política • Subdivisões • Imagens


Erro de citação: existem marcas <ref>, mas falta adicionar a predefinição {{referências}} no final da página