El Sistema

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gustavo Dudamel em concerto no Centro de Acción Social para la Música, Caracas.

El Sistema ("O Sistema") é um modelo didático musical, idealizado e criado na Venezuela por José Antonio Abreu, que consiste em um sistema de educação musical pública, difuso e capilarizado, com acesso gratuito e livre para crianças e jovens adultos de todas as camadas sociais.

El sistema é gerido pela Fundación del Estado para el Sistema Nacional de las Orquestas Juveniles e Infantiles de Venezuela (FESNOJIV), órgão estatal venezuelano responsável pela manutenção de mais de 125 orquestras (sendo 30 orquestras sinfônicas) e coros juvenis, e pela educação de mais de 350.000 estudantes, em 180 núcleos distribuídos pelo território venezuelano.

Segundo a definição da própria FESNOJIV , El Sistema visa organizar sistematicamente a educação musical e promover a prática coletiva da música através de orquestras sinfônicas e coros, como meio de organização e desenvolvimento da comunidade.[1]

A importância desse método não é apenas artística. A maior parte dos jovens músicos de El Sistema provém das camadas mais carentes da população. Nas orquestras e coros, através de muito empenho pessoal e disciplina, o jovem encontra na música uma via de desenvolvimento intelectual e promoção social.

História[editar | editar código-fonte]

José Antonio Abreu na TED, 2009.

José Antonio Abreu, economista e músico, fundou El Sistema em 1975, com o nome de Acción Social para la Música, e tornou-se seu diretor. Desde então conseguiu desenvolver o projeto com o apoio de instituições governamentais, que, ao longo de quase 40 anos desde a fundação, foram ora progressistas, ora conservadoras. [2] </ref> O governo de Hugo Chávez foi o mais generoso com El Sistema, chegando a bancar quase inteiramente o seu orçamento. [2]

Atualmente é ligado ao Ministério da Família, do Esporte e da Saúde (e não ao Ministério da Cultura), El Sistema tem como objetivo principal a proteção social dos jovens mais pobres e também a sua reabilitação, nos casos de envolvimento com abuso de drogas e práticas criminosas. [3] [4]

Alguns dos estudantes chegaram a fazer uma carreira internacional, a exemplo dos maestros Gustavo Dudamel, Dietrich Paredes, Christian Vasquez e Diego Matheuz[2] , do contrabaixista dos Berliner Philharmoniker Edicson Ruiz[5] , do violista Joen Vazquez, [6] , do flautista Pedro Eustache, do violinista e maestro Edward Pulgar e da maestrina Natalia Luis-Bassa.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Em 2004 foi feito um documentário sobre El Sistema, dirigido por Alberto Arvelo, intitulado Tocar y Luchar.[7] O filme obteve vários prêmios, como o de melhor documentário no Cine Las Americas International Film Festival e 'Albuquerque Latino Film Festival. Em 2008, foi produzido um outro filme, El Sistema, dirigido por Paul Smaczny e Maria Stodtmeier. [8] .

Referências

  1. The Simón Bolívar Music Foundation - "El Sistema"
  2. a b c Conductor of the People. Por Arthur Lubow. New York Times, 28 de outubro de 2007.
  3. Land of hope and glory. Por Charlotte Higgins. The Guardian, 24 de novembro de 2006.
  4. Orchestral manoeuvres. Por Ed Vulliamy.The Guardian, 29 de julho de 2007.
  5. A Youth Movement at the Berlin Philharmonic. Por Daniel J. Wakin. New York Times, 8 de maio de 2006.
  6. Pittsburgh Symphony Orchestra. Joen Vazquez. Biografia (em inglês).
  7. Site oficial do filme Tocar y luchar
  8. Site oficial do filme El sistema

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Portal A Wikipédia possui os portais:
Ícone de esboço Este artigo sobre educação ou sobre um educador é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre a Venezuela é um esboço relacionado ao Projeto América do Sul. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.