El celoso extremeño

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Este artigo ou seção precisa ser wikificado (desde setembro de 2011).
Por favor ajude a formatar este artigo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.

El celoso extremeño (em português, O ciumento estremenho) é uma das novelas integrantes das Novelas exemplares,[1] escritas por Cervantes. É considerada pela crítica como uma das mais bem sucedidas. Trata-se de uma história de marido zeloso ao ponto de encerrar Leonora, uma jovem com que se casou, em sua própria casa, deixando-a sair somente de madrugada para assistir à missa. Finalmente, apesar de toda prevenção, Leonora consegue fazer entrar seu amante na casa e encontrar-se com ele. O assunto é, portanto, do marido excessivamente cuidadoso, mas impotente para manter presa sua jovem esposa.

Para numerosos cervantistas, a novela é claramente de inspiração italiana (das obras de Boccaccio, Bandello e Straparola, sobretudo), tando do ponto de vista do gênero, quanto do tema. É interessante notar que existem versões da novela completamente distintas. A versão do Manuscrito de Porras de la Cámara é mais direta e menos ambígua, mas a versão de Miguel de Cervantes é muito mais polida, e dá espaço a interpretações.

Traduções para o português[editar | editar código-fonte]

  • Miguel de Cervantes. "O ciumento". In Novelas exemplares. Tradução de Darly Nicolana Scornsienchi. São Paulo: Abril Cultural, 1970. p. 67.

Referências

  1. Miguel de Cervantes Saavedra. Novelas ejemplares. Madrid: Cátedra, 2001

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Texto em espanhol.
  • Tradução para o inglês, disponível online no Google Books. The Exemplary novels of Miguel de Cervantes Saavedra. To which are added El buscapié, or, The serpent; and La tia fingida, or, The pretended aunt. Tradução para o inglês de Walter Keating Kelly. Londres: Henry G. Bohn, 1855.