El llano en llamas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


El llano en llamas
A planície em chamas
El llano en llamas
A planície em chamas (PT)
Pedro Páramo & Chão em Chamas (BR)
Autor (es) Juan Rulfo
Idioma espanhol
País  México
Género Contos regionalistas
Editora Fondo de Cultura Económica
Lançamento 1953
ISBN 96-816-0207-2
Edição portuguesa
Tradução Ana Santos
Editora Editora Cavalo de Ferro
Lançamento 2003
Páginas 150
ISBN 97-287-9112-7
Edição brasileira
Tradução Eric Nepomuceno
Editora Editora Record
Lançamento 2004
Páginas 400
ISBN 85-010-6592-6
Cronologia
Último
Último
Pedro Páramo
Próximo
Próximo
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: El llano en llamas

El llano en llamas (Portugal: A planície em chamas, Brasil: Planalto em chamas, Chão em Chamas) é um livro de contos do escritor mexicano Juan Rulfo, lançado em 1953. O original trazia apenas 15 contos. A partir da segunda edição, de 1970, acrescentaram-se mais 2. [1]

Trata-se de uma obra regionalista. Todos os contos do livro utilizam uma narrativa bastante direta e lançam mão frequentemente de uma escrita coloquial e de termos típicos regionais nas vozes dos personagens, focalizando aspectos do semi-árido mexicano, em especial da região natal do autor, o estado de Jalisco: a pobreza, a morte, a violência, a distância e a omissão do governo, a falta de esperança e de perspectivas. A época é incerta, mas algumas histórias referem-se diretamente à Revolução Mexicana e à Guerra Cristera.

El llano en llamas foi o livro de estréia de Rulfo. As qualidades e a originalidade do livro tornaram seu autor famoso. Diferentemente da sua outra obra mestra, Pedro Páramo, aqui Rulfo não emprega o Realismo mágico, e sim um realismo bastante cru, beirando por vezes o naturalismo.

No Brasil, o livro foi lançado em duas edições:

  1. Planalto em chamas, com tradução de Eliane Zaguri, pela Paz e Terra, em 1998
  2. Chão em chamas, com tradução de Eric Nepomuceno, pela Editora Record, em 2004

O título da primeira traduz por Planalto, que pode referir-se à região central do Brasil, o termo Llano, que corresponde à região mexicana onde se passam as histórias narradas. Já o título da segunda preserva a aliteração do título original. [2]

Os contos que compõem a obra são os seguintes:

  • Macario
  • Nos han dado la tierra
  • La cuesta de las comadres
  • Es que somos muy pobres
  • El hombre
  • En la madrugada
  • Talpa
  • El llano en llamas
  • Diles que no me maten
  • Luvina
  • La noche que lo dejaron solo
  • Acuérdate
  • ¿No oyes ladrar a los perros?
  • Paso del Norte
  • Anacleto Morones
  • La herencia de Matilde Arcángel
  • El día del derrumbe

Referências

  1. Jessé A. Chahad. Chão em Chamas - México na obra de Juan Rulfo. navegandonahistoria.blogspot.com. Página visitada em 29 de dezembro de 2010.
  2. Rafael Camorlinga. Juan Rulfo. Tradução de Eric Nepomuceno. Pedro Páramo e Chão em Chamas. Página visitada em 29 de dezembro de 2010. "Fragmentos, número 27, p. 149/155 Florianópolis/ jul - dez/ 2004"