Elefante-africano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde julho de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Como ler uma caixa taxonómicaElefante-africano
Loxodonta africana

Loxodonta africana
(IUCN 3.1)
Classificação científica
Domínio: Eukaryota
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Subfilo: Vertebrata
Classe: Mammalia
Infraclasse: Placentalia
Ordem: Proboscidea
Família: Elephantidae
Género: Loxodonta
Nome binomial
Loxodonta
(Blumenbach, 1797)
Espécies
Loxodonta africana[1]

Loxodonta cyclotis

Loxodonta adaurora

Loxodonta atlantica

Loxodonta exaptata

O elefante-africano (Loxodonta spp.) é o maior dos dois tipos de elefante. Por comparação com o elefante-asiático, distingue-se pelas orelhas maiores, uma adaptação às temperaturas mais elevadas, e pela presença de presas de marfim nas fêmeas, com cerca de 70 kg cada uma. Além disso, o elefante-africano tem 3 unhas nas patas traseiras e 21 pares de costelas, por oposição a 4 e 19, respectivamente, no elefante-indiano.

O elefante-africano atinge os 3,50 metros até o nível da cernelha e 6 metros de comprimento, sendo, não só o maior mamífero, mas o maior animal terrestre existente.[1] Um adulto pesa cerca de 5 toneladas e necessita de cerca de 250 quilogramas de alimento e 160 litros de água todos os dias.

Espécies[editar | editar código-fonte]

Até recentemente, acreditava-se que havia apenas duas espécies vivas de elefantes, o elefante-africano e o elefante-asiático. Neste contexto, o elefante-da-savana e floresta correspondiam a variedades de uma mesma espécie. No entanto, estudos genéticos realizados com o objetivo de controlar o tráfico ilegal de marfim trouxeram à luz as diferenças intrínsecas entre as variedades. Apesar das diferenças, é conhecido que os elefantes-da-floresta e savana podem produzir híbridos. Os elefantes-africanos (género Loxodonta) dividem-se em duas espécies atuais e três fósseis.

  • Elefante-da-savana (Loxodonta africana), de mandíbula curta e larga, orelhas mais pontiagudas, presas de marfim encurvadas e maiores dimensões. A subespécie, atualmente extinta, L. a. pharaoensis foi o animal caçado e amansado para servir nos exércitos da antiguidade como elefante de guerra, utilizados por persas e cartagineses
  • Elefante-da-floresta (Loxodonta cyclotis), mandíbula longa e estreita, orelhas mais arredondadas, dimensões menores (nunca maiores que 2,5m de altura), presas rectilíneas e com um tom rosado. A subespécie L. c. pumilio é natural da bacia do Rio Congo e tem menores dimensões.
  • Loxodonta adaurora, extinta, precursora do elefante da savana.
  • Loxodonta atlantica, extinto.
  • Loxodonta exaptata, extinto.

O género Loxodonta surgiu no Pliocénico.

Símbolo[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Loxodonta africana. IUCN Red List. Página visitada em 15 de março de 2011.
Ícone de esboço Este artigo sobre mamíferos é um esboço relacionado ao Projeto Mamíferos. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.