Eleições autárquicas portuguesas de 2001

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

As eleições autárquicas portuguesas de 2001 foram realizadas em 16 de dezembro estando em causa a eleição em 308 concelhos, 4 252 freguesias com um total de 2 044 mandatos autárquicos.

Para estas eleições estavam inscritos 8 738 906 eleitores tendo votado 5 254 180 eleitores, correspondentes a 60,12% dos eleitores inscritos. Desses 114 834 (2,19%) votaram em branco e 78 049 (1,49%) dos votos foram considerados nulos.

Resultados Nacionais[editar | editar código-fonte]

Partidos Câmaras
Municipais
Mandatos votos  %
PPD/PSD 142 774 1 488 897
28,34%
PS 113 829 1 792 690
34,12%
PCP-PEV 28 199 557 481
10,61%
Coligações PPD/PSD + CDS-PP + PPM 17 132 670 810
12,77%
CDS-PP 3 39 195 994
3,73%
Candidaturas independentes 3 31 84 010
1,60%
BE 1 6 61 789
1,18%
MPT 1 4 12 568
0,24%
Coligações PS + PCP-PEV + CDS-PP 0 21 155 830
2,97%
Coligações CDS-PP + PS + PPD/PSD + PPM 0 9 14 179
0,27%
Outros partidos 0 0 27 049
0,51%
votos  %
Votos Brancos 114 834
2,19%
Votos Nulos 78 049
1,49%
Abstenção 3 484 726
39,88%

Referência: [1]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Na sequência das eleições autárquicas de 2001, o Primeiro Ministro António Guterres demitiu-se, tendo sido convocadas eleições legislativas antecipadas pelo Presidente Jorge Sampaio.

Ver também[editar | editar código-fonte]