Eleições estaduais de São Paulo em 2010

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde janeiro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
2006 Brasil 2014
Eleições estaduais de  São Paulo em 2010
3 de outubro de 2010
(Primeiro Turno)
Geraldo Alckmin 2011-1.jpg Aloizio mercadante2.jpg Russomano.jpg
Candidato Geraldo Alckmin Aloízio Mercadante Celso Russomanno
Partido PSDB PT PP
Natural de Pindamonhangaba, SP Santos, SP São Paulo, SP
Vice Guilherme Afif Domingos Coca Ferraz Marcus Vinícius
Votos 11.519.314 8.016.866 1.233.897
Porcentagem 50,63% 35,23% 5,42%


Brasão do estado de São Paulo.svg
Governador de São Paulo
Eleição parlamentar de  São Paulo em 2010 (Senado)
3 de outubro de 2010
(Primeiro Turno)
Aloysio nunes 2011.jpg Marta Suplicy 2010PT.JPG Netinho.jpg
Líder Aloysio Nunes Marta Suplicy Netinho de Paula
Partido PSDB PT PCdoB
Natural de São José do Rio Preto, SP São Paulo, SP São Paulo, SP
Votos 11.189.168 8.314.027 7.773.327
Porcentagem 30,42% 22,61% 21,14%


Coat of arms of Brazil.svg
Senador

As eleições estaduais de São Paulo em 2010 foram realizadas em 3 de outubro, como parte das eleições gerais no Brasil. Nesta ocasião, foram realizadas eleições em todos os 26 estados brasileiros e no Distrito federal. Os cidadãos aptos a votar elegeram o Presidente da República, o Governador e dois Senadores por estado, além de deputados estaduais e federais. Como nenhum dos candidatos à presidencia e alguns à governador obtiveram mais da metade do votos válidos, um segundo turno foi realizado no dia 31 de outubro. Na eleição presidencial o segundo turno foi entre Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) com a vitória de Dilma. Em São Paulo não houve segundo turno para governador.. Segundo a Constituição Federal, o Presidente e os Governadores são eleitos diretamente para um mandato de quatro anos, com um limite de dois mandatos. O Presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não pode ser reeleito, uma vez que se elegeu duas vezes, em 2002 e 2006. Como o governador José Serra renunciou em abril para se candidatar à presidencia, Alberto Goldman (PSDB) tornou-se governador, mas não se candidatou ao cargo.

Os principais candidatos foram Geraldo Alckmin (PSDB), Aloísio Mercadante (PT), Celso Russomanno (PP), Paulo Skaf (PSB), Fábio Feldmann (PV). Geraldo Alckmin do (PSDB) foi eleito no primeiro turno com mais de 11 milhões de votos.

Regras[editar | editar código-fonte]

Governador e Vice-governador[editar | editar código-fonte]

No geral, as regras para as eleições presidenciais também se aplicam às estaduais. Isto é, as eleições têm dois turnos, se nenhum dos candidatos alcança maioria absoluta dos votos válidos, um segundo turno entre os dois mais votados acontece. Todos os candidatos com cargos executivos deveriam renunciar até 3 de abril, para poderem disputar.

Senador[editar | editar código-fonte]

Conforme rodízio previsto para as eleições para o Senado, em 2010 Duas vagas para cada estado será disputada para o mandato de 8 anos. O candidato mais votado é eleito,o segundo mais votado também e eleito. Nas eleições legislativa não há segundo turno.

Definição de candidatos[editar | editar código-fonte]

O PSDB, partido que está no poder há 16 anos, e do ex-governador José Serra, que, renunciou para poder disputar a eleição para presidência, precisou apontar um novo nome para a disputa. Após o governador Serra ter sido escolhido como o candidato à presidência depois da desistência de Aécio Neves. Alckmin disputava a pré-candidatura com Aloysio Nunes Ferreira Filho mas o seu partido preferiu lançar Aloysio ao Senado, ficando a vaga de candidato a governador a Alckmin, tendo Guilherme Afif Domingos dos Democratas como o candidato a vice-governador.

O PT, partido do Presidente Lula, tinha como pré-candidato o senador Eduardo Suplicy, mas com a desistência de Suplicy, Aloisio Mercadante foi lançado candidato.

O PP, tradicional força política de oposição ao PT em São Paulo, lançou Celso Russomano, que ja era o favorito a ser o candidato. Celso Russomano tem como seu candidato a vice-governador Silvio Seixas.

O PSB demorou a decidir o candidato, que segundo o partido, Ciro Gomes era o mais cotado. Mas o Presidente da Fiesp, Paulo Skaf, foi lançado candidato.

O PV lançou Fábio Feldmann, ao governo.

O PSOL lançou Paulo Búfalo como candidato.

O PCB lançou Igor Olímpio como candidato.

O PSTU lançou Luiz Carlos Prates como candidato.

O PCO lançou Anai Caproni Pinto como candidata.

Candidatos para o Governo de Estado e ao Senado[editar | editar código-fonte]

Em São Paulo foram nove candidatos à governador, dos quais se elegeu Geraldo Alckmin. Para senador foram quinze candidatos dos quais dois candidatos se elegeram: Aloysio Nunes e Marta Suplicy.[1]

Coligação Juntos por São Paulo[editar | editar código-fonte]

A chapa do PT é composta por 10 partidos: (PT/PDT/PSDC/PCdoB/PTN/PTdoB/PR/PRB/PRP/PRTB).

As candidaturas confirmadas para a chapa são:

Cargo Partido Número Nome
Governador PT 13 Aloizio Mercadante
Vice-Governador PDT - Coca Ferraz
Senador PT 133 Marta Suplicy
Primeiro suplente PR - Antonio Carlos Rodrigues
Segundo suplente PT - Paulo Frateschi
Senador PCdoB 650 Netinho de Paula
Primeiro suplente PT - Ricardo Zarattini
Segundo suplente PT - Matilde Ribeiro

Chapa do PCO[editar | editar código-fonte]

Cargo Partido Número Nome
Governador PCO 29 Anai Caproni Pinto
Vice-Governador PCO - José André Dorta
Senador PCO 290 Afonso Teixeira Filho
Primeiro suplente PCO - Osmar Brito
Segundo suplente PCO - Nilson Ferreira

Coligação Em Defesa do Cidadão[editar | editar código-fonte]

A chapa do PP e composta por apenas 2 partidos: (PP/PTC).

Cargo Partido Número Nome
Governador PP 11 Celso Russomano
Vice-Governador PP - Marcus Vinícius
Senador PP 111 Antônio Curiati
Primeiro suplente PP - Luis Carlos Reis
Segundo suplente PP - Luiz Carlos Grecco
Senador PTC 360 Ciro Moura
Primeiro suplente PTC - Eduardo Souza Costa
Segundo suplente PTC - Luiz Antonio Pizzolato

Chapa do PV[editar | editar código-fonte]

Cargo Partido Número Nome
Governador PV 43 Fabio Feldmann
Vice-Governador PV - Rogerio Menezes
Senador PV 430 Ricardo Young
Primeiro suplente PV - Marco Mroz
Segundo suplente PV - Mara Prado

Coligação Unidos Por São Paulo[editar | editar código-fonte]

A chapa de Geraldo Alckmin é composta por 7 partidos: (PSDB/DEM/PMDB/PSC/PPS/PHS/PMN).

As candidaturas confirmadas para a chapa são:

Cargo Partido Número Nome
Governador PSDB 45 Geraldo Alckmin
Vice-Governador DEM - Guilherme Afif Domingos
Senador PSDB 451 Aloysio Nunes
Primeiro suplente PMDB - Airton Sandoval
Segundo suplente DEM - Marta Costa

*Devido ao tratamento de um câncer de próstata,o candidato Orestes Quércia, Presidente Estadual do PMDB Paulista e Ex-Senador , desistiu de ser candidato ao Senado,ficando o seu apoio, o seu tempo na televisão e o apoio do seu partido ao candidato Aloysio Nunes.

Chapa do PCB[editar | editar código-fonte]

Cargo Partido Número Nome
Governador PCB 21 Igor Grabois
Vice-Governador PCB - Wagner Farias
Senador PCB 211 Antonio Carlos Mazzeo
Primeiro suplente PCB - Clóvis Berti
Segundo suplente PCB - Manoel Messias
Senador PCB 212 Ernesto Freire
Primeiro suplente PCB - Renato Nucci
Segundo suplente PCB - Luiz Manoel da Silva(Luiz da Padaria)

Chapa do PSTU[editar | editar código-fonte]

Cargo Partido Número Nome
Governador PSTU 16 Mancha
Vice-Governador PSTU - Eliana Lucia Ferreira
Senador PSTU 160 Ana Luiza de Figueiredo
Primeiro suplente PSTU - Joel Paradela
Segundo suplente PSTU - Paula Pascarelli
Senador PSTU 161 Dirceu Travesso
Primeiro suplente PSTU - Alexandre Leme
Segundo suplente PSTU - Nelsinho Novaes

Coligação Preste Atenção São Paulo[editar | editar código-fonte]

A chapa Preste Atenção São Paulo é composta por 2 partidos: (PSB/PSL)

Cargo Partido Número Nome
Governador PSB 40 Paulo Skaf
Vice-Governador PSB - Marianne Pinotti
Senador PSB 400 Alexandre Serpa
Primeiro suplente PSB - Edilberto de Paula
Segundo suplente PSB - Wagner Bellucci
Senador PSL 177 Moacyr Franco
Primeiro suplente PSL - Marco Aurelio de Souza
Segundo suplente PSL - Reinaldo Milan

Chapa do PSOL[editar | editar código-fonte]

Cargo Partido Número Nome
Governador PSOL 50 Paulo Bufalo
Vice-Governador PSOL - Aldo Santos
Senador PSOL 500 Marcelo Henrique
Primeiro suplente PSOL - Celso Lavorato
Segundo suplente PSOL - Devanir Morari

Chapa do PTB[editar | editar código-fonte]

Cargo Partido Número Nome
Senador PTB 141 Romeu Tuma
Primeiro suplente PTB - Antonio Carbonari
Segundo suplente PTB - Murilo Campos

Resultados[editar | editar código-fonte]

A lei da Ficha Limpa foi aprovada e sancionada pelo ex-presidente Lula em 2010.[2] A lei despertou dúvida em relação à sua validade para as eleições de 2010 devido que a lei fere o artigo 16 da Constituição, na qual define que uma mudança nas leis que tenha impacto no processo eleitoral só pode começar a valer um ano depois da publicação. O resultado foi decidido no início de 2011 com a invalidade da lei para 2010.[3] Com isto, alguns deputados barrados em São Paulo assumiram ao cargo fazendo com que outros cedessem a vaga.

Deputados estaduais eleitos[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. TSE:Candidaturas Divulgação de candidaturas 2010. Acessado em dezembro de 2010.
  2. Lei complementar 135/2010 (Ficha Limpa).
  3. Ficha Limpa não valeu em 2010, decide STF. IG (23 de março de 2011). Página visitada em 30/03/2011.
  4. a b c d Placar UOL Eleições 2010: Apuração de votos em São Paulo. Acessado em dezembro de 2010.
  5. Resultados para deputado federal em São Paulo de 2010. Acessado em dezembro de 2010.
  6. a b c d e f SP: retotalização de votos elege Maluf e mais 2 deputados. Terra (16 de dezembro de 2010). Página visitada em 30/03/2011.
  7. Resultados para deputado estadual em São Paulo de 2010. Acessado em dezembro de 2010.