Eleições gerais na Nigéria em 2007

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Flag of Nigeria.svg

As eleições gerais de 2007 na Nígéria realizaram-se no dia 21 de Abril de 2007. Nestas eleições escolhem-se principais órgãos de soberania do país[1] :

  • O Presidente da Nigéria (que é chefe de Estado e de Governo segundo a Constituição Nigeriana)
  • Os 360 membros da Câmara Baixa do Parlamento
  • Os 109 Senadores (Câmara Alta do Parlamento)

A Nigéria é um Estado Federal, constituido por 36 Estados Federados, além do Território da Capital Federal. É o país mais populoso da África, com cerca de 140 milhões de habitantes, dos quais 61.500.000 estão recenseados para estas eleições.

É a primeira vez que um presidente democraticamente eleito sucede a um outro eleito da mesma forma, num país com uma longa história de golpes de estado.

Para ser eleito, o candidato deve conseguir a maioria dos sufrágios expressos e vencer igualmente 25 por cento dos sufrágios expressos em 24 dos 36 Estados do país[2] .

Candidatos[editar | editar código-fonte]

Concorreram ao cargo de Presidente da Nigéria 25 candidatos[3] , sendo os principais aspirantes à sucessão de Olusegun Obasanjo, no poder desde 1999:

  • Umaru Yarádua, 55 anos, governador do Estado de Katsina, apoiado pelo actual presidente e pelo partido do governo, o PDP.
  • General Muhammad Buhar, 64 anos, pelo Partido dos Povos Nigerianos (ANPP).
  • Atiku Abubakar, 60 anos, pelo Congresso para a Acção (AC).

O nome de Atiku Abubakar foi incluido à última da hora uma vez que este candidato é acusado de corrupção por uma comissão do Governo. Porém, ele recorreu e conseguiu participar nas eleições. Este facto obrigou a comissão eleitoral a imprimir novos boletins de voto na África do Sul o que veio a atrasar o início das eleições em cerca de 2 horas[4] .


Fontes


Ícone de esboço Este artigo sobre eleição na África é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.