Eleições para governadores na República Democrática do Congo em 2007

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

As Eleições para Governadores da República Democrática do Congo realizaram-se em 27 de Janeiro, com o segundo turno marcado para 30 de janeiro. O segundo turno realizar-se-ia caso algum dos governadores não tivesse sido eleito com mais de 50 % dos votos na primeira volta, o que não aconteceu em nenhuma das províncias.

Estas eleições estiveram inicialmente previstas para o dia 16 de Janeiro de 2007 com data do possível segundo turno para 19 de janeiro.1 Os Governadores e Vice-Governadores foram escolhidos através de eleições indiretas pelos membros das assembleias provinciais; o atraso foi resultante da dificuldade em escolher os chefes tradicionais para preencher os lugares a eles reservados nas assembleias provinciais.2

Resultados[editar | editar código-fonte]

Aliança Partido Lugares Províncias
Aliança da Maioria Presidencial (AMP) Partido do Povo para a Reconstrução e Democracia (PPRD) 7 Bandundu, Kasai-Ocidental, Katanga, Kinshasa, Maniema, Orientale, Sud-Kivu
Independentes 2 Baixo-Congo, Nord-Kivu
Forças para a Renovação (FR) 1 Kasai-Oriental
União da Nação (UN) Movimento para a Libertação do Congo (MLC) 1 Équateur
Total 11 3 4
Governadores eleitos
Província Governador Partido
Bandundu Richard Ndambu Wolang PPRD (AMP)
Bas-Congo Simon Mbaki Batshia Independente (AMP)
Equateur José Makila Sumanda MLC (UN)
Katanga Moïse Katumbi Chapwe PPRD (AMP)
Kinshasa André Kimbuta Yango PPRD (AMP)
Maniema Didier Manara Linga PPRD (AMP)
Nord-Kivu Julien Paluku Kahongya RCD-K-ML (AMP)
Orientale Médard Autsai Asenga PPRD (AMP)
Sud-Kivu Célestin Cibalonza Byaterana PPRD (AMP)

Protestos no Baixo-Congo[editar | editar código-fonte]

Na província do Baixo-Congo, o candidato independente pró-governo, Simon Mbatshi, venceu com quinze votos o candidato opositor, do Movimento para a Libertação do Congo (MLC), Fuka Unzola, que obteve 14 votos. Ativistas da oposição protestaram alegando compra de votos e gritando "O Congo não pode ser reconstruído na corrupção". Surge, então, uma onda de violência entre forças policiais leais a Joseph Kabila e o "Bundu dia Kongo" (grupo religioso secessionista), que provocou 134 mortos.5 6

Os resultados foram anulados no dia 8 de Fevereiro de 2007 por uma corte de apelações,7 mas essa medida viria a ser anulada pelo Tribunal Constitucional no dia 17 de fevereiro de 2007.8

15 de Fevereiro[editar | editar código-fonte]

Houve necessidade de repetir as eleições no Kasai-Occidental e no Kasai-Oriental, devido a irregularidades registadas no primeiro turno, nomeadamente a dupla nacionalidade dos governadores eleitos.[carece de fontes?] Estas eleições foram inicialmente marcadas para 10 de Fevereiro de 2007.

Governadores Eleitos em 15 de Fevereiro
Província Governador Partido
Kasai-Occidental Trésor Kapuku Ngoy PPRD (AMP)
Kasai-Oriental Alphonse Ngoyi Kasanji Independente (AMP)

Referências