Eleições presidenciais na Eslováquia em 2009

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Eslováquia

As eleições presidenciais eslovacas de 2009 foram realizadas em 21 de março, em primeiro turno e voltaram a ser disputadas em 4 de abril, para o segundo turno. Os políticos eslovacos almejam reduzir a dependência, quase completa, ao abastecimento de energia da Rússia. O país foi o mais afetado durante recente disputa pelo gás entre Rússia e Ucrânia[1] .

Resultados – primeiro turno[editar | editar código-fonte]

O presidente cessante, Ivan Gašparovič, venceu o primeiro turno do pleito, com 46,7% dos votos. A candidata de oposição, Iveta Radičová, a primeira mulher a ir tão longe numa corrida presidencial no país, reuniu 38% dos votos, mais do que as sondagens lhe atribuíam.

Resultados – segundo turno[editar | editar código-fonte]

A Comissão Eleitoral Central da Eslováquia confirmou a vitória de Ivan Gašparovič, neste segundo turno. O ex-político nacionalista, de 67 anos, revalidou seu mandato por outros cinco anos à frente da Presidência do país.

Gašparovič obteve 55,53% dos votos, equivalente a 1.234.787 cédulas, enquanto Iveta Radičová, conseguiu 44,46%, ou 988.808 votos. A participação foi de 51,67%, frente ao 43,50% de meia década atrás, quando Gašparovič venceu o segundo turno contra o ultranacionalista, e anterior correligionário, Vladimir Meciar. "Fico feliz com a decisão dos eleitores, porque, nos tempos difíceis que nos esperam, poderemos nos apoiar no melhor presidente", disse o primeiro-ministro, Robert Fico, após a confirmação dos resultados.[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Fonte[editar | editar código-fonte]

Referências