Eletroneuromiografia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Eletroneuromiografia é um exame diagnóstico, realizado por médicos neurologistas e utilizado por neurologistas, neurofisiologistas, ortopedistas e fisiatras na avaliação dos nervos e músculos.

O exame[editar | editar código-fonte]

É feito em duas partes. Na primeira mede-se a condução nervosa através de pequenos choques elétricos nos nervos periféricos. A segunda parte do exame consiste na introdução de agulhas bem finas no músculo para analisar a atividade muscular no repouso e no esforço muscular leve.1

Indicações[editar | editar código-fonte]

  • Doença de Kennedy
  • Amiotrofia monomélica
  • Doenças das Raízes Espinhais
  • Radiculopatias (hérnia de disco)
  • Polirradiculopatias (diabetes, inflamação, artrose da coluna)
  • Trauma de nervos periféricos
  • Mononeuropatias múltiplas
  • Esclerose lateral amiotrófica
  • Esclerose lateral primária
  • Atrofia muscular progressiva
  • Poliomielite (paralisia infantil)
  • Atrofia muscular espinhal
  • Doenças da Transmissão Neuromuscular
  • Miastenia gravis
  • Síndrome miastênica de Lambert Eaton
  • Síndrome de Guillain Barré
  • Botulismo
  • Intoxicação por organofosforados
  • Doenças dos Músculos
  • Miopatias
  • Distrofias musculares
  • Paralisias periódicas
  • Doenças dos Plexos
  • Plexopatia braquial
  • Síndrome do desfiladeiro torácico neurogênica verdadeira
  • Plexopatia lombossacral
  • Doenças dos Nervos Periféricos
  • Polineuropatias axonais e desmielinizantes
  • Mononeuropatias (Túnel do Carpo, Paralisia Facial)

Referências