Elfen Lied

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou secção:
Elfen Lied
エルフェンリート
Elfen Lied Logo.svg
Logo
Gênero Ação, Drama, Ficção científica, Seinen, Horror
Mangá
Autor Lynn Okamoto
Editora(s) Japão Shueisha
Editora(s)
lusófonas(s)
Brasil Panini Comics
Revista Japão Young Jump
Data de publicação Junho de 2002 – Agosto de 2008
Volumes 12
Anime
Direção Mamoru Kanbe
Estúdio Japão GENCO, VAP e Seion Studio
Exibição original 25 de Julho de 2004 –
17 de Outubro de 2004
Emissoras de TV Japão AT-X (via satélite)
Nº de episódios 13 (Lista de episódios)
OVA

Como Pode uma Garota Ter esses Sentimentos?
(episódio 10,5)
Direção Mamoru Kanbe
Estúdio Japão VAP
Nº de episódios 1
Duração 25 minutos
Projeto Animangá  · Portal Animangá

Elfen Lied (エルフェンリート, Erufen Rīto?) é uma série japonesa de mangás criada pelo Mangaka Lynn Okamoto. Uma adaptação da série para a televisão de 13 episódios foi criada pela ARMS e divulgada na TV Tokyo entre julho e outubro de 2004. O anime teve início antes de o mangá estar completo; como resultado, a trama é diferente entre as duas versões, especialmente quanto ao fim da história. Em 2005, uma OVA especial foi lançada, cuja história se encaixa entre os episódios 10 e 11 do anime.

Elfen Lied gira em torno das interações, ideias, emoções e discriminações entre humanos e Diclonius, uma espécie mutante parecida com os humanos na forma, mas distinguíveis por dois chifres na cabeça e pelos vetores, braços transparentes controlados mentalmente que têm o poder de manipular e cortar objetos dentro do alcance. A série é focada na jovem Diclonius "Lucy", que foi rejeitada pelos humanos e consequentemente alimenta uma vingança contra eles.

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Resumo[editar | editar código-fonte]

Elfen Lied mostra uma evolução da humanidade, os Diclonius. Os Diclonius se parecem muito com humanos normais, porém, possuem algumas diferenças: Uma glândula pineal de tamanho exagerado , um par de pequenos chifres em suas cabeças, olhos e cabelos avermelhados/rosados, e conseguem sentir a presença de outros de sua espécie. Como resultado da mutação na glândula pineal, competem à telecinese; desenvolvem estruturas de natureza desconhecida, de ação física similar à de braços, denominados vectors. A força que tais estruturas possuem o poder de meramente reduzir uma cabeça humana em bocados, e parar tiros. Por causa dessas características especiais, os Diclonius sofrem preconceito; tanto por medo de suas potencialidades quanto por interesse da espécie humana. Uma relação de extermínio e uso se estabelece; os humanos desejam exterminar os diclonius, mas antes, aproveitam-se deles para pesquisas, e os diclonius desejam eliminar os humanos por vingança pelos maus tratos e sofrimentos causados pelos humanos.

Os Diclonius nascem de pessoas normais, mas cujo o pai ou a mãe foi infectado com um dos vectors de outro Diclonius no seu cérebro.

A sociedade diclonius é mínima e possui uma ténue organização. Contudo, essa ténue organização ainda assim possui os meios de levar a espécie humana à extinção. Durante a história, há o uso de um termo recorrente no jargão ideológico do Nacional Socialismo, Lebens (Vital), tal como uso do característico discurso de impossibilidade de convivência encontrado no Mein Kampf e nas políticas de Apartheid.

A história se passa na cidade japonesa Kamakura, e começa com a fuga de Lucy, uma poderosa Diclonius Rainha (por ser naquele momento a única com o poder de reprodução através dos vectores), de uma ilha, um centro de pesquisas, fortemente protegido por gente armada, com uma instalação científica enorme. Na tentativa de impedi-la, um sniper acaba acertando seu capacete e a derruba no mar. Depois ela é encontrada por Kouta e sua prima Yuka na praia da cidade, sem roupas, sem memória alguma, com comportamento de uma criança pequena e a única coisa que conseguia falar era "Nyuu". Por ela só saber falar isso, eles acabam chamando-a de "Nyuu" mesmo. Depois ela acaba por ir morar com Kouta, numa antiga pensão fechada, que ele tinha alugado para morar enquanto estudava na universidade. Enquanto isso, o pessoal que trabalha no laboratório está desesperado atrás da Lucy, e enviam assassinos profissionais e outras Diclonius atrás dela.

Personagens[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Lucy (ルーシー, Rūshī?) / Nyu (にゅう, Nyū?)

Uma Diclonius, é a personagem principal da série. Sua personalidade é assassina, querendo matar todos, sentindo prazer nessa ação. Pensa assim pelo jeito de como ela era tratada quando criança, humilhada, sofrendo abusos e preconceitos, de todos à sua volta. Porém, com a sua fuga do laboratório, levou um tiro no capacete que usava, afetando sua cabeça, surgindo assim sua outra personalidade, Nyuu. Quando está com essa personalidade, a única coisa que fala é "Nyuu!", de onde vem o seu nome, mas com o passar da história Kouta e Yuka vão-lhe ensinando novas palavras. É infantil, inocente, boa, e se preocupa com todos. Enquanto ela esta como Nyuu, Lucy, a personalidade assassina, fica adormecida. Sua personalidade muda de repente, normalmente quando sofre um estímulo, como uma ameaça ou algum sentimento de raiva ou ódio, ou quando leva uma pancada na cabeça. Lucy desde criança é apaixonada por Kouta. (uma pequena curiosidade do manga na edição cinco vemos num flashback que Lucy enterra uma garrafa com uma carta dentro, e na edição final vemos Kouta e sua filha achando a carta, na assinatura a o nome Kaede o que pode significar que o verdadeiro nome de Lucy é Kaede, pois uma outra possibilidade para o nome Lucy é que esse nome foi usada pelos cientistas para nomear o "primeiro" ser humano da terra, já que Lucy é considerada a primeira Diclonius).

Kouta (コウタ, Kōta?)

Instintivamente, tenta proteger todas as garotas à sua volta (por causa da morte de sua irmã), tendo um coração bom e aberto para todos. Volta para a cidade onde passava o verão quando criança, por causa da universidade. Encontra sua prima, amiga da sua infância, Yuka. Vai morar numa antiga pensão fechada, que sua tia mãe da Yuka concedeu a ele em troca apenas dele manter o lugar limpo. Encontra uma garota nua na praia, Nyuu, e a acolhe em sua casa. E quando ele descobre que muita gente esta atrás dela, ele promete defendê-la. Ele "perdeu" parte de sua memória da infância, que era algo relacionado com a terrível morte que seu pai e sua irmã sofreram e que ele estava presente. Quando descobre que Lucy matou seu pai e sua irmã, Kanae, ele a perdoa por mais triste que tenha ficado.

Yuka (ユカ?)

É a prima de Kouta. Quando pequena, gostava dele, sentimento que ainda se mantém depois de tanto tempo de separação. Encontra Nyuu com Kouta, e os dois decidem cuidar dela. Com o passar do tempo, começa a desenvolver um ciúme por Kouta. Adota junto com Kouta a jovem Mayu e a Diclonius Nana.

Mayu (マユ?)

Uma garota jovem, com quase 14 anos. Sempre sofreu muito na infância, abusada sexualmente pelo seu padrasto, e ao contar isso para sua mãe é repreendida (com um tapa no rosto) pela mesma que não acreditou. Então ela resolve fugir com apenas a roupa do corpo. Tem dificuldade em confiar nas pessoas, mas ainda assim é boa com todos, nunca tentando fazer algo por si. Tinha como seu único amigo o cão Wanta. Conheceu Kouta e Yuka enquanto ainda morava na rua, e depois de eles saberem da situação dela, resolvem adotá-la, fazendo um acordo com a mãe dela. Ela então passa a morar com eles.

Kurama (蔵間?)

É o chefe do centro de pesquisas de Diclonius numa instalação militar dentro de uma ilha. Sofreu muito quando começou a trabalhar com as crianças, porém rapidamente parou de se importar com elas, já que viu que elas eram assassinas, inimigas naturais dos humanos. Ele geralmente era o responsável de matar os Diclonius recém-nascidos. Mas muda de ideia, em relação a eles, quando sua filha nasce com chifres.

Nana (ナナ? lit. Sete)

É uma jovem Diclonius. Diferente de outras do mesmo tipo, não tem sentimentos assassinos ou de ódio; ao contrário, mostra grande paixão e bondade, não conseguindo o seu poder no máximo, passando a ser uma das que são menos problemáticas. Ela passa a chamar Kurama de "Papa" e passa a achar que ele é seu pai, e, por isso ela aguenta qualquer dureza se for pelo bem de seu pai querido. Depois Kurama dá a ela uma ordem para ir atrás de Lucy, porém ao encontrá-la, elas lutam magníficamente mais Nana perde. Lucy arranca seus braços e pernas, e depois ela passa a usar próteses mecânicas. Quando isso ocorre, os donos do laboratório acham melhor matá-la. Para salvá-la, Kurama solta ela e lhe da uma bolsa cheia de dinheiro. Depois ela passa a viver com Kouta e Yuka.

Bandou (坂東, Bandō?)

Um agente especial da SAT,o time de contra-terrorismo japonês, o que mais lhe dá prazer é matar as pessoas, ver sangue. Não se importa com ordens, e só cumpre as missões de assassinato. Odeia que trabalhem junto com ele, já que é muito individualista. Depois de ter seus braços amputados e seus olhos destruídos por Lucy, Bandou desenvolve um enorme anseio de vingança. Após enfrentar e ser derrotado por Lucy, Mayu encontrou-o agonizando na praia pedindo socorro. Mais tarde, a mesma fala demais sobre Lucy e só não é agredida por Bandou por causa de uma promessa que ele fez a ela, em agradecimento ao socorro prestado.mais tarde ele reencontra Lucy e a enfrenta com uma arma de calibre 50 (que ele testara em nana quando a encontrara ,sendo bem potente contra ela)porem de nada adiantou, já que os vetores de Lucy são os poderosos de todos os diclonius.Sendo assim foi vencido novamente>

Mariko Kurama (蔵間マリコ, Kurama Mariko?)

Verdadeira filha do diretor Kurama, possui mais do que o dobro de vectors de Lucy, todos com o alcance de 11 metros. Tem cinco anos de idade, e viveu sempre confinada desde que nasceu, desejando conhecer seus pais, fato que se concretiza no 13º episódio. Como é a Diclonius Supremo, com pares de vectors demais (26 vectors) e 11 metros de alcance (Lucy tem 2 metros de alcance), foi implantado explosivos dentro do seu corpo, caso Mariko desobedeça as ordens.

Diretor Kakuzawa (角沢長官, Kakuzawa Chōkan?)

Chefe de Kurama, tem como grande sonho destruir a humanidade atual, e em cima de suas cinzas construir um novo mundo habitado somente por diclonius, para tal começa a fazer inúmeras experiência que podem ser consideradas desumanas, mas faz isso para o bem dos diclonius. Faz tudo o que puder para atingir seus objetivos o que o faz parecer um personagem mau, mas na realidade ele sempre pensa do bem da sua raça. (Nota: Kakuzawa se considera um diclonius devido a três "chifres" em sua cabeça, mas Lucy desmentiu isso ao não sentir nenhuma presença dele)

Nozomi (Exclusivo no mangá)

Nozomi é uma garota extremamente medrosa. Por ter sida reprimida inumeras vezes, principalmente por seu pai, acaba tendo que usar fraldas para não fazer xixi em situações que a deixem nervosa. Sua mãe era cantora de ópera e tanto Nozomi quanto seu pai sentiam muito orgulho dela, no entanto, por causa de uma deficiência nas cordas vocais, ela acaba se suicidando por perder a voz. Nozomi também tem esse problema, o motivo por seu pai à proibir de cantar, temendo que ela siga o mesmo caminho da mãe. Nozomi adora cantar e possui uma voz formidável. Acaba se juntando ao pessoal na casa de Kouta e Yuka para poder treinar escondido do pai. Acaba ensinando também Nyu a cantar.

Influências artísticas[editar | editar código-fonte]

Friso Stoclet, uma das imagens intertextualizadas na abertura do anime.

No anime há muitas influências artísticas. A letra da música de abertura, Lilium, em latim, é baseada em passagens bíblicas. As imagens da abertura e do encerramento são intertextualizadas com quadros famosos do pintor simbolista austríaco Gustav Klimt como Friso Stoclet e Dánae.

Mangá[editar | editar código-fonte]

Lynn Okamoto lançou o mangá na revista Young Jump, onde foi publicado capítulo por capítulo. Publicado pela Shueisha, terminou com o lançamento do décimo segundo volume.

No Brasil, o mangá foi lançado de forma completa pela Panini Comics, sob o selo Planet Mangá.

Anime[editar | editar código-fonte]

Por causa do sucesso Elfen Lied ganhou uma versão de anime, composta de 13 episódios. Seguiu o curso do mangá até certo ponto, terminando sem chegar ao final da história.

Foi lançado um OVA especial, intitulado Como Pode uma Garota Ter esses Sentimentos, que igualmente é conhecido como episódio perdido. O OVA situa-se entre o episódio 10 e o 11.

Música[editar | editar código-fonte]

A música de abertura do anime é Lilium, por Kumiko Noma. A letra é baseada em diversas passagens bíblicas (versículos 1-2: Salmos 37:30; versículos 3-5: Epístola de Tiago 1:12[1] [2] e no hino religioso Ave mundi spes Maria (Ave Maria, Esperança do Mundo) em Latim.[3] A frase "Kyrie Eleison", em grego, também aparece no texto, mas ela é empregada na liturgia da missa latina. A letra e a melodia são de Kayo Konishi e Yukio Kondou, que foram requisitados para criarem a canção como um Canto Gregoriano, interpretada por Kumiko Noma.

Já o tema de encerramento é Be Your Girl, de Chieko Kawabe.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]