Elinor Glyn

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Elinor Glyn
Elinor Sutherland
Nascimento 17 de outubro de 1864
Saint Helier, Jersey
 Reino Unido
Morte 23 de setembro de 1943 (78 anos)
Chelsea, Londres
 Reino Unido
Nacionalidade britânica
Ocupação escritora
roteirista
Magnum opus It (1927)
A Woman's Whimsies

Elinor Glyn (Saint Helier, Jersey, Reino Unido, 17 de outubro de 1864Chelsea, Londres, Reino Unido, 23 de setembro de 1943), nascida Elinor Sutherland, foi uma romancista e roteirista inglesa e uma das precursoras da ficção erótica para mulheres. Foi ela quem cunhou o uso de It como um eufemismo para sexualidade ou para atração sexual, e seus trabalhos tiveram grande influência sobre a cultura popular no início do século XX.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Elinor era filha mais velha de Douglas Sutherland, um engenheiro civil descendente de Lord Duffs, e de Elinor Saunders, descendente de uma família anglo-francesa que se estabelecera no Canadá. Após a morte do pai, quando Elinor tinha apenas 2 meses de idade, a mãe retornou a Guelph, em Ontário, no Canadá, levando também sua outra filha, Lucy Christiana.

Elinor foi escolarizada pela avó, Lucy Anne (Willcocks) Saunders, uma aristocrata anglo-irlandesa, filha de Sir Richard Willcocks. Tal educação rendeu a Elinor não apenas a aceitação nos restritos círculos aristocráticos, quando retornou à Europa, mas também lhe permitiu ser considerada uma autoridade em estilo quando trabalhou em Hollywood, nos anos 20. Sua mãe tornou a se casar, em 1871, com Mr. Kennedy, e a família voltou para Jersey, quando Elinor tinha oito anos; sua educação passou a ser feita, então, por uma governanta.

Casou aos 28 anos, em 27 de abril de 1892, com Clayton Louis Glyn (1857-1915), um rico, mas esbanjador proprietário, descendente de Sir Richard Carr Glyn, que fôra um prefeito em Londres no século XVIII. Após duas filhas, Margot e Juliet, o casamento de Elinor acabou por incompatibilidade mútua. A irmã de Elinor, Lucy, Lady Duff-Gordon, tornou-se uma famosa designer de moda da época, conhecida como "Lucile".

Elinor começou a escrever em 1900, estreando com um livro baseado nas cartas de sua mãe. Teve vários relacionamentos com aristocratas britânicos, e alguns de seus livros foram baseados em sua vida, como se acredita ser o caso de “Three Weeks”, inspirado em seu caso com Lord Alistair Innes Ker, irmão do Duque de Roxburghe, e que escandalizara a sociedade da época. Teve um caso duradouro, entre 1906 e 1916, com George Nathaniel Curzon. Quando seu marido faliu, em 1908, Elinor escreveu pelo menos um romance por ano, para manter seu padrão de vida. Ele faleceu em 1915, após muitos anos de enfermidade. Elinor faleceu em 1943.

Sua filha Margot Elinor faleceu em Roma em 10 de setembro de 1966. Foi casada com Sir Edward Davson, com quem teve dois filhos: Geofrey Leo Simon Davson, que mudou seu nome para Anthony Glyn, e Christopher Davson. Em 1955, Geoffrey publicou a biografia da avó Elinor. A segunda filha de Elinor, Juliet Evangeline, casou com o político do partido liberal Sir Rhys-Williams, e teve quatro filhos.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Seus livros It, Three Weeks e Beyond the Rocks, foram considerados picantes demais na época.

Mediante a popularidade de seus livros, Elinor mudou-se para Hollywood, para trabalhar na indústria do cinema. Beyond the Rocks foi filmado pelo cinema-mudo em 1922, por Sam Wood, com Gloria Swanson e Rodolfo Valentino. Em 1927, Elinor ajudou Clara Bow a ser conhecida como “The It Girl”, após o filme baseado na sua obra, It,[1] em que Bow contracenava com o ator de origem espanhola, Antonio Moreno.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • The Visits of Elizabeth (1900)
  • The Reflections of Ambrosine (1902)
  • The Vicissitudes of Evangeline (1905)
  • Beyond the Rocks (1906)
  • Three Weeks (1907)
  • Elizabeth Visits America (1909)
  • His Hour (1910)
  • The Reason Why (1911)
  • Halcyone (1912)
  • The Contrast (1913)
  • The Sequence (1913)
  • The Man and the Moment (1915)
  • The Career of Katherine Bush (1917)
  • The Price of Things (1919)
  • Man and Maid (1922)
  • The Great Moment (1923)
  • Six Days (1924)
  • Love's Blindness (1926)
  • It (1927)
  • The Flirt and the Flapper
  • Love's Hour (1932)
  • Glorious Flames (1932)
  • Saint or Satyr (1933)
  • Sooner or Later (1933)
  • Did She (1934)
  • The Third Eye (1940)
  • The Damsel and the Sage
  • A Woman's Whimsies
  • Red Hair
  • A Novel
  • Three Things
  • The Point of View

Elinor Glyn no Brasil[editar | editar código-fonte]

Diversos livros de Elinor foram publicados no Brasil, a maioria deles pela Companhia Editora Nacional, através da coleção Biblioteca das Moças, entre 1920 e 1960. Alguns dos títulos, em língua portuguesa:

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Elinor Glyn


Ícone de esboço Este artigo sobre a biografia de um(a) escritor(a), poeta ou poetisa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.