Elisa Lucinda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Elisa Lucinda
Elisa Lucinda em setembro de 2011
Nome completo Elisa Lucinda dos Campos Gomes
Nascimento 2 de fevereiro de 1958 (56 anos)
Cariacica
Ocupação Atriz, poetisa, jornalista e cantora[1]
Outros prêmios
Trofeu Raça Negra (2010)[2]
IMDb: (inglês)

Elisa Lucinda dos Campos Gomes (Cariacica, 2 de fevereiro de 1958) é uma poetisa, jornalista, cantora e atriz brasileira. A artista foi um dos galardoados com o Troféu Raça Negra 2010 em sua oitava edição, na categoria Teatro.[2]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Disposta a seguir a carreira de atriz, Elisa Lucinda mudou-se para o Rio de Janeiro aos 27 anos para viver uma vila no bairro da Tijuca em 1986.[1] Trabalhou em algumas peças, como Rosa, um Musical Brasileiro, sob direção de Domingos de Oliveira, e Bukowski, Bicho Solto no Mundo, sob direção de Ticiana Studart. Integrou o elenco do filme A Causa Secreta, de Sérgio Bianchi.

Seu primeiro trabalho na televisão foi na telenovela Kananga do Japão, em 1989, na extinta TV Manchete.

Em 2011, a poetisa foi entrevistada no programa online Filossofá - Desertores do Cotidiano, gravado em um sofá, em cima das dunas de Itaúnas, no Espírito Santo. Itaúnas é o lugar em que Elisa passa as férias e que mantém uma "Casa-Poema". Fez várias apresentações teatrais, com declamação de seus poemas, e algumas com a participação especial de Paulo José. No mesmo formato apresentou em seguida Euteamo Semelhante.

A poetisa é fundadora da "Casa-Poema", instituição sócio-educativa cujo método capacita vários profissionais através da poesia falada, desenvolvendo-os em sua capacidade de expressão e na sua formação cidadã. A atriz, em parceria com a Organização Internacional do Trabalho tem desenvolvido o projeto "Palavra de Polícia, Outras Armas", onde ensina poesia falada a esses profissionais de segurança, alinhando-os aos princípios dos direitos humanos, removendo e transformando antigos modos operacionais em relação ao gênero e a raça.

Elisa Lucinda é considerada a artista da sua geração que mais populariza poesia.[por quem?] Seu modo coloquial de se expressar faz com que o mais complexo pensamento ganhe fácil compreensão. Junto com Geovana Pires ela criou a Companhia da Outra, grupo teatral que desenvolve sua linguagem de teatro essencial através da poesia.

Em 2012, foi homenageada pela escola de samba Independentes de Boa Vista, do Carnaval de Vitória, a qual se localiza no município onde nasceu, Cariacica[3] .

Elisa Lucinda e Geovana Pires criaram a Companhia da Outra, grupo teatral que desenvolve sua linguagem de teatro essencial através da poesia. Convidada pela Funarte para representar o Brasil no Ano Brasil—Portugal, a artista realizou uma turnê em cinco cidades daquele país a partir em de outubro de 2012.[4] Na sua volta ao Brasil, recebeu um convite da presidenta Dilma Rousseff para ser mestre de cerimônia, junto com o ator José de Abreu, na Ordem do Mérito Cultural, em Brasília.

Além de conhecida pelos seus inúmeros espetáculos e recitais em empresas, teatros e escolas de todo o Brasil, Lucinda é admirada pela marca inconfundível de seu trabalho como atriz de telenovelas na Rede Globo, como Mulheres Apaixonadas, Páginas da Vida, Insensato Coração e Aquele Beijo, essa última no começo de 2012.

Também premiada no cinema pelo filme A última Estação, de Marcio Curi, no qual protagoniza o personagem Cissa. A estreia do filme está prevista para se passar no Festival de Brasília de 2012.

Como cantora e intérprete, atualmente Elisa excursiona com o show "A Letra que eu Canto", com o grande maestro e pianista, João Carlos Coutinho.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Negra de olhos verdes, Elisa Lucinda é uma brasileira de origem luso-africana nascida em Cariacica, no Espírito Santo, um dos estados de maior diversidade étnica do país.[5]

A poetisa, que em sua vida afetiva casou com dois psicanalistas em épocas diferentes, teve um único filho, Juliano, fruto da relação com um deles.[1]

Cronologia da carreira[editar | editar código-fonte]

Livros[editar | editar código-fonte]

  • A Lua que menstrua – Produção independente- 1992
  • Sósia dos sonhos - Produção independente
  • O Semelhante - Ed. Record 1a ed. em 1995
  • Eu te amo e suas estréias - Ed. Record – lançado em 1999
  • A Menina Transparente - Ed. Salamandra; (recebeu o Prêmio Altamente Recomendável, da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil – FNLIJ).
  • Coleção Amigo Oculto - Ed. Record. Composta pelos livros: “O órfão famoso” – 2002 / Lili, a rainha das escolhas – 2002 / “O menino inesperado” – 2002, “A Dona da Festa” - 2011
  • 50 Poemas Escolhidos pelo Autor/ – Edições Galo Branco – 2004
  • Contos de Vista – Ed. Global – 2005, primeiro livro de contos da autora.
  • A Fúria da Beleza – Ed. Record – 2006, primeiro livro de adultos para colorir.
  • A Poesia do encontro – Elisa Lucinda e Rubem Alves – Ed. Papirus – 2008
  • Parem de falar mal da rotina – Ed. Leya – Lua de papel - 2010[1]
  • A Dona da Festa- Grupo Editorial Record/Galerinha Record -2011

CDs de poesias[editar | editar código-fonte]

  • Semelhante - sob o selo da gravadora Rob Digital
  • Euteamo e suas Estréias - sob o selo da gravadora Rob Digital
  • Notícias de Mim, com poemas da poeta paulista Sandra Falcone, participação de Miguel Falabella, direção e produção de Gerson Steves. O CD é resultado do espetáculo homônimo com roteiro e direção de Steves.
  • Estação Trem - Música – Realização de Dakar Produções e Poesia Viva Produções. Criado especialmente para a comemoração dos 150 anos da Ferrovia para a Vale do Rio Doce. É o primeiro Cd onde Elisa canta. 2004

CD “Ô Danada – primeiro cd pelo selo CCC – Centro Cultural Carioca.

Televisão[editar | editar código-fonte]

Telenovelas
Séries

Cinema[editar | editar código-fonte]

  • 1990 - Barrela .... Mulher do Portuga (participação especial)[7]
  • 1994 - A Causa Secreta [8]
  • 1997 - O Testamento do Senhor Napumoceno .... Dona Jóia
  • 2001 - A Morte da Mulata .... Mulata
  • 2002 - Seja o que Deus Quiser
  • 2003 - As Alegres Comadres .... Mrs. Rocha
  • 2003 - Gregório de Matos

Referências

  1. a b c d Fabiana Caso, Agência Estado (11/12/2006). Atriz, cantora e poetisa, Elisa Lucinda é 'concomitante'. Bem Paraná. Página visitada em 05/05/2013.
  2. a b Da redação (20/11/2010). Troféu Raça Negra 2010 - Conheça os vencedores. UOL Mais. Página visitada em 05;05;2013.
  3. G1 ES (24/11/2011). Enredo da Boa Vista homenageia Elisa Lucinda no Carnaval de Vitória. 17h20. Página visitada em 08/01/2012.
  4. Adm. do site (2012). Programação. Ano Brasil—Portugal. Página visitada em 05/05/2013.
  5. Da redação (24/05/2011). Espírito Santo é marcado por diversidade cultural. Revista ES Brasil. Página visitada em 06/05/2013.
  6. Redação Rede Globo (18 de fevereiro de 2012). Elisa Lucinda comemora sua primeira vilã em novelas (em português). Globo.com. Página visitada em fevereiro de 2012.
  7. Cinemateca Brasileira, Barrela [em linha]
  8. Cinemateca Brasileira, A Causa Secreta [em linha]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Elisa Lucinda