Em Família

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde outubro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Em Família
 Brasil
1970 • cor • 100 min 
Direção Paulo Porto
Roteiro Ferreira Goulart / Vianinha[1]
Elenco Paulo Porto
Anecy Rocha
Odete Lara
Iracema de Alencar
Rodolfo Arena
Procópio Ferreira
Fernanda Montenegro
Gênero Drama
Idioma Português
Página no IMDb (em inglês)

Em Família é um filme brasileiro de 1970, do gênero drama, dirigido por Paulo Porto.[2]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

O casal de idosos, formado por Dona Lu e Seu Souza, mora no distrito de Pati de Alferes, numa casinha simples onde criaram os filhos. Porém os herdeiros do senhorio passam a exigir o reajuste do aluguel para um valor superior ao suportado pela modesta aposentadoria que recebem.

Para tentar contornar a situação, Souza chama os cinco filhos para uma reunião e pede ajuda. A mãe não se importa com a situação de penúria e contraria o marido ao gastar muito dinheiro para preparar os pratos preferidos de cada um.

Uma das filhas mora em Brasília e não comparece ao almoço. Jorge, o filho mais responsável e preocupado, vive num apartamento apertado no Rio de Janeiro, junto com a esposa Anita e a filha Suzana. Roberto, que não sabe o que é trabalho, passa seu tempo a jogar sinuca e beber cerveja às custas da irmã Neli, que mora num palacete mas está em crise no casamento e não vê possibilidade de ajudar os pais com o dinheiro do rico marido. Corinha mora num apartamento quarto e sala no Canindé, em São Paulo, com o marido e uma filha de colo.

Ao final, os filhos decidem que o melhor é separar os pais. Souza vai morar com Corinha em São Paulo e Dona Lu no Rio de Janeiro com Jorge. A saudade entre os dois aumenta, e o conflito com os filhos também.

Souza bate de frente com o genro e Corinha, mas encontra conforto na amizade que faz com o bombeiro aposentado Afonsinho, que é também presidente da associação de moradores local.

Tenta arranjar emprego, mas sua falta de habilidade e a idade avançada impedem que tenha sucesso.

No Rio de Janeiro Dona Lu e Suzana se desentendem, já que a neta perde seu quarto para a avó, e a compreensiva Anita vê sua relação com a sogra se desgastar pela convivência.

A umidade do rio Tietê deixa Souza doente. Quando o médico receita um clima mais seco, Corinha não perde tempo em sugerir que o pai se mude para Brasília, junto da irmã.

Dona Lu sabendo pela neta do plano do filho e nora de interná-la num asilo, se antecipa e pede a ambos que a internem, fingindo ser um desejo seu, mas exige segredo do marido.

Assim, os filhos resolvem dar um final de semana para o velho casal num hotel da praia de Copacabana. Os pais não comparecem ao jantar programado por todos e se separam na rodoviária, sob a promessa de logo voltarem a viver juntos, mas com a certeza muda de que jamais se verão novamente.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

  • Festival Internacional de Moscou, medalha de prata.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h Em família. FUNARTE. Página visitada em 29 de outubro de 2013.
  2. a b Biografia Iracema de Alencar. Mulheres do Cinema Brasileiro. Página visitada em 29 de outubro de 2013.
  3. a b c Biografia Iracema de Alencar. Museu da TV. Página visitada em 29 de outubro de 2013.