Emilio Dantas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde dezembro de 2012). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Emílio Dantas
Nome completo Emílio Dantas da Silveira Netto
Nascimento
BrasilRio de Janeiro, Rio de Janeiro
Ocupação ator
Cônjuge Giselle Itié (2014 - atualmente) [1]

Emílio Dantas (24 de agosto de 1982) (Rio de Janeiro), é um ator brasileiro [2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Esteve 8 anos à frente de sua antiga banda chamada "Mulher do Padre" que posteriormente virou "Patuvê". Aos 23 anos, destacou-se e foi chamado para fazer parte da banda "Som da Rua". Um ano depois, gravou seu primeiro EP "Aqui Onde Não Estou", com seis faixas. Fã de Audioslave, Raul Seixas, Zecacurydamm, Supertramp, Baia e Rockboys, Tonho Gebara, Som da Rua dentre outros, Emílio dedicou 10 anos de sua vida a música o que hoje, se transformou em hobby.

Emílio nunca teve pretensão de ser ator até conhecer Oswaldo Montenegro. Fez teatro durante 4 anos onde atuou na peça "Aldeia dos Ventos" e em "Eu Não Moro, Comemoro". Posteriormente atuou em dois filmes – "Teus Olhos Meus"[3] e "Léo e Bia"[4] – filme que estreou no CINEPE em Recife e obteve dois prêmios: melhor atriz e melhor trilha sonora (pode-se curtir na trilha a música "Normal", uma das faixas do EP de Emilio).

Mais uma vez, destaca-se e consegue não só uma vaga na primeira oficina de atores da Rede Record como também, um contrato assinado por 3 anos. Tudo isso graças a uma conversa com o ator Roberto Bomtempo que o conheceu durante as gravações de um filme e o incentivou a enviar seu material para a emissora.

O caminho não poderia ter sido outro a não ser o sucesso e a conquista do seu primeiro papel na tv na superprodução Sansão e Dalila[5] . Na trama, ele era Aron [6] , um soldado do exército filisteu que ora era frio e agressivo no exercício do seu trabalho, ora era o conquistador e mulherengo (muitas vezes chegando a comicidade) do palácio do príncipe Inárus. Mantinha um triângulo amoroso com a chefe das cortesãs e uma cortesã valendo-se do artifício de usar a ordem inversa do seu nome para enganá-las assim então, assumindo a identidade de Norá.

Em 2012 fez parte do elenco de Máscaras, um jovem cantor chamado Gino, que cresceu o personagem no decorrer da trama. [7]

Em 2013 viveu Benito em Dona Xepa.

No mesmo ano,não renova com a Rede Record para protagonizar uma peça sobre o cantor Cazuza.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Televisão
Ano Título Papel Notas Ref.
2010 Balada, Baladão Enfermeiro Rede Record
2011 Sansão e Dalila Aron / Norá Rede Record [8]
2012 Máscaras Gino Rede Record [9]
2013 Dona Xepa Benito Rede Record

Cinema[editar | editar código-fonte]

Cinema
Ano Filme Personagem Notas Ref.
2010 Léo e Bia Léo Protagonista [10]
2011 Teus Olhos Meus Gil Protagonista [11]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um ator é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.