Emissão protônica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O decaimento de um núcleo rico em prótons A povoado de estados excitados de um núcleo "filho" B por emissão β+ ou por captura de elétron (EC). Estes estados excitados que situam-se abaixo da energia de separação para decaimento por prótons (Sp) por emissão γ para o estado básico do "filho" B. Para os mais altos estados excitados um canal de decaimento competitivo de emissão de prótons para o "neto" C existe, chamada emissão de próton β-retardada.

Emissão protônica ou emissão de próton (também conhecida como radiação de próton), é um tipo de radioatividade de decaimento no qual um próton é emitido por um núcleo atômico.

Alguns exemplos:


{}^{151}_{71}\hbox{Lu}\;\to\;{}^{150}_{70}\hbox{Yb}\;+{}^{1}_{1}\hbox{p}\;

{}^{131}_{63}\hbox{Eu}\;\to\;{}^{130}_{62}\hbox{Sm}\;+{}^{1}_{1}\hbox{p}\;

{}^{5}_{3}\hbox{Li}\;\to\;{}^{4}_{2}\hbox{He}\;+{}^{1}_{1}\hbox{p}\;
+

Emissão de prótons pode ocorrer de situados em altos estados excitados em um núcleo posteriormente a um decaimento beta, em cujo caso o processo é conhecido como emissão de próton beta-retardada, ou pode ocorrer do estado basal (ou um situado em baixo isômero) de núcleos ricos em prótons, em cujo caso o processo é muito similar ao decaimento alfa.

Para um próton escapar de um núcleo, a energia de separação do próton deve ser negativa - o próton é consequentemente desligado, e por tunelamento sai do núcleo em um tempo finito. A emissão de prótons não é vista em isótopos de ocorrência natural; emissores de prótons podem ser produzidos via reações nucleares, normalmente utilizando algum tipo de acelerador de partículas.

Embora imediata (i.e. não beta-retardada) a emissão de próton foi observada de um isômero em cobalto-53 primeiramente em 19691 , nenhum outro estado emissor de próton foi encontrado até 1981, quando a radioatividade de estados básicos de prótons do lutécio-151 e túlio-147 foram observadas no GSI na então Alemanha Ocidental.2 Pesquisas no campo floresceram após esta mudança de cenário, e até o momento, mais de 25 isótopos têm sido encontrados que exibem emissão de prótons.3 O estudo da emissão de próton tem ajudado o entendimento de deformação nuclear, massas e estrutura, e é um maravilhoso exemplo puro de tunelamento quântico.4

Hoje em dia, aproximadamente 30 diferentes emissões de prótons isolados são conhecidas para núcleos entre números de prótons entre 50 e 84, e o fenômeno é razoavelmente bem entendido tericamente.5

Em 2002, a emissão simultânea de dois prótons foi observada dos núcleo do isótopo ferro-45 em experimentos no GSI e GANIL (Grand Accelerateur National d'Ions Lourds, próximo de Caen).6 Em 2005 foi experimentalmente determinado (nas mesmas instalações) que zinco-54 pode também apresentar decaimento prótons em dupla.7

Emissões de par de prótons de estados de vida longa, como Ag-94 têm sido evidenciados8 , assim como do 15975Re84, permitindo maior entendimento do comportamento dos núcleos atômicos.9

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Jackson, K. P. et al. Phys. Lett. B 33, 281–283 (1970).
  2. Hofmann, Sigurd; Proton Emission Studies at GSI in the 1980s; Energy Citations Database - www.osti.gov (em inglês)
  3. Juha Äystö; Odd couple decays; NATURE|Vol 439|19 January 2006 - www-linux.gsi.de (em inglês)
  4. Grigorenko, L. V. & Zhukov, M. V. Phys. Rev. C 68, 054005 (2003).
  5. Woods, P. J. & Davids, C. N. Annu. Rev. Nucl. Part. Sci. 47, 541 (1997).
  6. Dossat, C. et al. Phys. Rev. C 72, 054315 (2005).
  7. Blank, B. et al. Phys. Rev. Lett. 94, 232501 (2005)
  8. Mukha, I. et al. Nature 439, 298–302 (2006)
  9. D.T. Joss, et al.; Probing the limit of nuclear existence: Proton emission from 159Re Physics Letters B;Volume 641, Issue 1, 28 September 2006, Pages 34-37 (em inglês)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre física é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.