Enchentes em Alagoas e Pernambuco em 2010

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Enchentes em Alagoas e Pernambuco em 2010
Em Palmares, Pernambuco, a ponte foi uma das construções destruídas pela enchente.
Duração A partir de 17 de junho de 2010
Vítimas Ao menos 53
Áreas afectadas Brasil Alagoas
Brasil Pernambuco

As enchentes em Alagoas e Pernambuco em 2010 ocorreram durante o mês de junho de 2010 ao longo dos rios Una, Sirinhaém, Piranji, Mundaú e Canhoto. Mais de 30 municípios dos dois estados declararam situação de emergência.[1] [2]

Vítimas[editar | editar código-fonte]

As chuvas causaram 47 mortes e deixaram mais de 80 mil desabrigados nos estados de Pernambuco e Alagoas.[3]

Estado Municípios atingidos Desabrigados Mortes Desaparecidos
 Alagoas 15 53.123 27 29
 Pernambuco 14 29.000¹ 20 n/d
Total 29 82.123 47 29

Estados afetados[editar | editar código-fonte]

Um total de 29 municípios (14 em Pernambuco e 15 em Alagoas). As inundações atingiram grandes proporções e destruíram diversos municípios.[4] [5]

Em Barreiros, Pernambuco, a igreja foi uma das poucas construções que escapou da destruição.
 Alagoas Bandeira de Pernambuco.svg Pernambuco
Atalaia Palmares
Jundiá Cortez
São José da Laje Água Preta
Jacuípe Barreiros
Branquinha Correntes
São Luís do Quitunde Vitória de Santo Antão
Matriz de Camaragibe Barra de Guabiraba
Paulo Jacinto Jaqueira
Quebrangulo Escada
Murici Nazaré da Mata
União dos Palmares Primavera
Santana do Mundaú Amaraji
Capela Chã Grande
Cajueiro Gravatá
Viçosa
Rio Largo
Maragogi
Marechal Deodoro
Anadia
Satuba
Joaquim Gomes
Imagem produzida pela NASA que representa a anomalia de precipitação no período de 7 a 20 de junho de 2010. Cores tendendo para azul indicam chuvas mais acima da média.

Branquinha[editar | editar código-fonte]

Em Branquinha, no estado de Alagoas, como em várias cidades da região, a cidade foi arrasada. A prefeita da cidade,Ana Renata, vendo que seria impossível levantar a cidade à beira do rio, tomou uma atitude ousada: levantar Branquinha em outro lugar, haja vista que a cidade foi completamente arrasada e até mesmo a geografia do lugar foi alterada. Vários grupos de voluntários nacionais e internacionais atuaram ajudando as vítimas na cidade. O Grupo Voluntários da Esperança, presidido por Rinaldo Rhaister, promoveu várias ações como distribuição de materiais de higiene pessoal, roupas e alimentos. O Grupo parceiros pela vida também atuou além dos Médicos sem Fronteiras.

Reações[editar | editar código-fonte]

 Brasil: O presidente Luiz Inácio Lula da Silva esteve durante todo o dia 24 de junho visitando áreas atingidas nos estados vizinhos.[6] . Ainda antes durante a visita, o presidente anunciou a disponibilização de R$ 550 milhões em verbas para a recuperação dos danos[7] . O Ministro João Santana disse em nota que destruição em Alagoas é uma das maiores catástrofes do Brasil.

Segundo a agência Brasília Confidencial, o BNDES destinará R$ 1 bilhão em financiamentos para a reconstrução de pequenas e médias empresas, a Caixa vai liberar o FGTS para os trabalhadores nas cidades que decretaram calamidade e os ministérios da Educação e da Saúde vão mandar R$ 90 milhões para a reconstrução de escolas, creches, postos e hospitais.[8]

Repercussão internacional[editar | editar código-fonte]

 Estados Unidos

O embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Thomas Shannon, informou que o país enviará 50 mil dólares em ajuda humanitária para complementar os esforços de assistência. Além disso, a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (Usaid) e o Escritório de Assistência a Desastres no Exterior da Usaid serão os responsáveis pela doação dos recursos[9] .

20px Organização dos Estados Americanos (OEA)

A OEA anunciou que ajudará as vítimas das chuvas. O secretário-geral da OEA, José Miguel Insulza, afirmou que cooperará com "o que for necessário"[9] [10] .

 Venezuela

Venezuela doa 8 toneladas de alimentos para o estado de Alagoas.[11]

Imprensa internacional[editar | editar código-fonte]

Vários jornais do mundo noticiaram a destruição ocorrida nos estados de Alagoas e Pernambuco, por exemplo:

Referências

  1. Chuvas isolam cidades de Alagoas e Pernambuco
  2. Alagoas apresenta relatório oficial de enchentes
  3. Mais de 30 municípios do Nordeste em situação de emergência
  4. Alagoas tem 15 municípios em estado de calamidade e 600 desaparecidos‎ O Globo, 22 de junho de 2010
  5. Pernambuco tem 39 municípios em emergência ou calamidade pública‎s O Globo, 22 de junho de 2010.
  6. http://www.estadao.com.br/noticias/geral,lula-vai-sobrevoar-nesta-manha-cidades-de-pe-e-al,571378,0.htm
  7. http://www.estadao.com.br/noticias/geral,lula-compara-tragedia-no-nordeste-a-terremoto-no-haiti,571582,0.htm
  8. http://www.brasiliaconfidencial.inf.br/?p=17939
  9. a b http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia182/2010/06/23/brasil,i=199125/OEA+OFERECE+AJUDA+AS+VITIMAS+DE+ENCHENTES+E+ESTADOS+UNIDOS+PROMETEM+US+50+MIL.shtml
  10. http://www.google.com/hostednews/afp/article/ALeqM5j6jei7PrkNU94qhw3XOGztNjaE8A
  11. http://noticias.uol.com.br/cotidiano/2010/06/26/venezuela-doa-oito-toneladas-de-ajuda-para-alagoas-36-morreram-e-76-estao-desaparecidos-no-estado.jhtm
  12. http://blogs.aljazeera.net/americas/2010/06/23/destruction-brazils-northeast
  13. http://edition.cnn.com/2010/WORLD/americas/06/21/brazil.floods/index.html?hpt=T1
  14. http://www.reuters.com/article/idUSTRE65M6TR20100624
  15. http://www.todayonline.com/BreakingNews/EDC100622-0000321/Brazil--Govt-scrambling-to-aid-flood-victims-in-northeast-41-dead,-113,000-driven-from-homes
  16. http://news.bbc.co.uk/2/hi/world/latin_america/10372362.stm
  17. http://www3.nhk.or.jp/news/html/20100622/k10015271821000.html

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Enchentes em Alagoas e Pernambuco em 2010