Eneagrama de Personalidade

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde fevereiro de 2008). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Fevereiro de 2008).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
O Eneagrama.

Alguns simpatizantes [carece de fontes?] alegam que o Eneagrama (do grego Ennea = nove e grammos = figura ou desenho) é um antigo sistema de sabedoria, criado há cerca de 4500 anos (autores situam sua origem entre 3.500 e 5.000 anos atrás), provavelmente no Egipto. Seu conhecimento foi mantido sigiloso durante muitos séculos.

Este sistema descreve a queda e a ascensão possível da consciência humana, segundo nove padrões. Mais especificamente, descreve como, segundo nove padrões, a perda de Virtudes humanas gera paixões ou vícios emocionais; como a perda de Ideias Superiores cria fixações mentais; e como a perda do Instinto Puro leva à construção de estratégias instintivas de sobrevivência em três âmbitos: auto-preservação, social e sexual (chamados de subtipos ou variantes instintivas, conforme o autor). De acordo com o eneagrama, todos nós temos um pouco de cada uma delas, de acordo com a situação. Entretanto, cada um de nós escolheu e desenvolveu uma delas como espada. Cada pessoa, assim, pode possuir traços dos nove pontos do Eneagrama, mas possui apenas um Tipo, que não muda. Existe, entretanto, evolução dentro de cada Tipo, em seus diferentes níveis de desenvolvimento e consciência.

Muitas pessoas que conhecem o Eneagrama concluem que ele é um sistema altamente profundo e preciso na descrição de comportamentos humanos. Mais do que uma tipologia, o Eneagrama é um mapa que mostra caminhos possíveis da evolução de nossa consciência, ou seja, da superação da paixão e da fixação de nosso tipo no Eneagrama.

Com o tempo, o Eneagrama vem se tornando mais conhecido por muitas pessoas e aplicado com sucesso por pessoas, grupos e importantes organizações. Quando bem aplicado, este sistema promove aceitação própria e aceitação mútua e orienta pessoas em seus caminhos de desenvolvimento pessoal, profissional e espiritual.

Existem inúmeros testes de Eneagrama formulados por diferentes autores, os quais traçam uma hipótese inicial do tipo. A maior parte das "escolas" de Eneagrama entendem que a identificação do tipo deve ser feita pela própria pessoa, a partir de exercícios de auto-observação.

O eneagrama foi uma ideia originalmente trazida por G.I.Gurdjieff para o Ocidente (principalmente França e Alemanha), após 20 anos de peregrinação pelo Oriente. Mais que trazer uma visão dos tipos humanos representa um esquema para a compreensão de todos os fenômenos envolvendo a humanidade. Em 1970, o Eneagrama foi transmitido por Oscar Ichazo para um grupo de pessoas recrutadas principalmente pelo Psiquiatra Chileno Claudio Naranjo e reunidas na cidade de Arica, no Chile. Claudio Naranjo e outros participantes deste grupo transmitiram este conhecimento, da maneira que conhecemos hoje, para outras pessoas nos Estados Unidos e em centros específicos da América do Sul. O que era uma tradição oral virou um diagrama elaborado com fluxos de flechas apontando para os pontos de stress e, no sentido inverso à flecha, de neutralização do vício emocional. Diversos estudos e escolas de Eneagrama surgiram e passaram a explorar este conhecimento antigo e desenvolvendo aplicações bem sucedidas na Psicologia, na Espiritualidade, no mundo dos negócios, nas artes e em diversos outros campos do conhecimento.

A International Enneagram Association (IEA) - conglomera profissionais e entusiastas do Eneagrama de todo o mundo. Para referências brasileiras sobre Eneagrama.

Os 9 tipos[editar | editar código-fonte]

Uma importante observação antes que se discorra sobre os 9 tipos: apesar de ser divulgado atualmente e de forma mais ampla como um sistema psicológico de 9 tipos, o eneagrama é na verdade um símbolo representativo de qualquer processo evolutivo ou criativo que ocorra dentro do 'raio de criação'(Gurdjieef).

Segundo os ensinamentos do 'quarto caminho' (Gurdjieef), algumas leis cósmicas universais podem ser aplicadas no sentido de se conhecer qualquer fenômeno, seja físico, biológico, psicológico ou espiritual. O processo de aprendizagem destas leis, leva-nos a conhecer o princípio original que rege o acontecimento de todas as coisas. Destaca-se duas leis fundamentais que são a essência do conhecimento do eneagrama, a lei de três, e a lei de sete ou lei das oitavas. O eneagrama é a representação gráfica do processo de interação destas duas leis.

Outrossim, a escola do 'quarto caminho', ensina que o homem é como uma casa de três andares, onde cada andar é comandado por um centro, exceto o andar inferior que teve, ao longo do processo evolucional humano, seu centro instintivo dividido em três centros: Instintivo, Motor e Sexual. Esses três centros vão originar os subtipos (perfazendo 27 caráteres ou características psicológicas diferenciadas), conforme a pessoa se "apoie" mais (ou dê mais ênfase) em um deles em detrimento dos outros dois. Apesar de encontrarmos no segundo e terceiro andar dois centros cada, no homem comum, funciona apenas um centro. Deste modo, nesta casa de três pisos, encontraremos: No segundo andar: O Centro Emocional, onde as Paixões são expressas e o Centro Emocional Superior, canal de manifestação das emoções superiores ou Virtudes. E no terceiro andar, temos: O Centro Intelectual, onde as Fixações se instalam e o Centro Intelectual Superior, sede das Ideias Santas ou Divinas, ou, ainda, dos pensamentos superiores.

  • A aplicação do eneagrama aos 9 tipos psicológicos (como aborda vasta literatura atualmente), é fato recente. Portanto devemos tomar um certo cuidado se pretendemos nos apropriar devidamente deste conhecimento, uma vez que o modelo dos nove tipos, requer estudos mais aprofundados e observações acuradas sobre si. Excelente e eficiente como ferramenta psicológica, porém guarda o perigo de cairmos num reducionismo se não compreendermos todas as nuances do processo e do funcionamento completo do Eneagrama que encerra não só os estudos das paixões (que mais encontramos comumente descrevendo os tipos), mas o estudo das fixações, virtudes, ideias divinas e outros aspectos. Para uma introdução mais abrangente do funcionamento do eneagrama de um ponto de vista filosófico e matemático devemos pesquisar os escritos de P.D. Ouspesky e Bennet.
Centro Extrovertido Ambivalente Introvertido
Instintivo (Ação) 8 9 1
Emocional (Emoções) 2 3 4
Mental (Pensamento) 7 6 5
Tipo Centro Principal Centro Secundário Centro Reprimido
1 Instintivo Emocional Mental
2 Emocional Instintivo Mental
3 Emocional ----- Emocional
4 Emocional Mental Instintivo
5 Mental Emocional Instintivo
6 Mental ----- Mental
7 Mental Instintivo Emocional
8 Instintivo Mental Emocional
9 Instintivo ----- Instintivo
Tipo Tipo Eneagramático Ponto de Fixação Motivador Vício Ideia Sagrada Compulsão Neurótica
1 Perfeccionista, Reformista A organização Ser correto Ira Perfeição Perfeccionismo/Crítica
2 Prestativo, Manipulador Os outros Ser querido Orgulho Vontade Auto-engano
3 Bem-sucedido, Competitivo A auto-imagem Ser admirado Vaidade Harmonia Mentira
4 Individualista, Romântico As formas Ser diferente Inveja Origem Insatisfação
5 Observador, Pensador O conhecimento Ter conhecimento Avareza Onisciência Isolamento
6 Questionador, "Advogado do diabo" A autoridade Estar seguro Medo Força Dúvida
7 Sonhador, Impulsivo A palavra Ter satisfação Gula Sabedoria Charlatanismo
8 Confrontador, Líder A justiça Ser respeitado Luxúria Verdade Vingança
9 Pacifista, Preservacionista O corpo Estar tranqüilo Preguiça União Indolência/Apatia

Tipo 1 - Perfeccionista e exigente[editar | editar código-fonte]

TIPO 1: O PERFECCIONISTA.

Pessoa: Juízes em geral; Profissão: Advogados e Juízes, Gestores da Qualidade; Animal: Formiga; Centro Preferido: Ativo; Centro Apoio: Emocional; Centro Reprimido: Teórico; Vício: Raiva; Sentimento: Falta de Confiança; Ferida Original: Traição; Vive no: Presente;

Infância: São crianças que tiveram pais extremamente severos de modo que aprenderam a demonstrar desde cedo, sentimentos adultos.

Sua tentação: Retitude (ser correto); Buscam: Ser perfeitos; Acabam: Perdendo a humanidade; Sua felicidade: Perfeição;

Caract. Comuns: Necessidade de fazer tudo perfeito;

 Centralizadores;
 Moralistas;
 Mundo dicotômico (preto ou branco, 8 ou 80);
 Insatisfeitos;
 Fazedores de listas;
 Críticos;
 Irritação com a desordem;
 Lentos nas decisões;

Caract. Maduras: Empreendedores;

 Organizados;
 Justos;
 Realistas;
 Íntegros;
 Disciplinados;
 Éticos;

Caract. Imaturas: Impacientes e intolerantes;

 Manipulam através do certo & errado;
 Sempre têm razão;
 Apego exagerado a detalhes;
 Dificuldade em lidar com o prazer;
 Auto-culpa;
 Não confiam em ninguém.

As pessoas do Tipo 1 são muito perfeccionistas, por serem exageradamente exigentes, tão exigentes que são considerados frescos. Seu vício emocional inconsciente é a raiva, porque não encontra a perfeição que deseja.

Por serem muito exigentes consigo e com os outros, são muito difíceis de agradar, preocupam-se com o mínimo detalhe. Sua exigência os torna pessoas rígidas e intolerantes. Sentem que as coisas estão incompletas.

Percebem a tudo na dicotomia de certo ou errado ou de adequado ou inadequado, sem termos intermediárias. Parecem autoritárias, por serem reprovadoras e rígidas, seguindo firmemente regulamentos e formalismos. Consideram-se eficazes.

Essas pessoas são disciplinadas, comportam-se de maneira adequada seguindo regras e formalidades acima de tudo, tendo dificuldades para ser espontâneas. São objetivas, determinadas e comprometidas, preocupam-se demais em fazer o que que tem que ser feito, dando prioridade às tarefas principais. São pessoas sérias e sinceras, levam as coisas muito a sério por menor que sejam.

São pessoas críticas e punitivas. Constantemente fazem autocrítica e esperam sempre serem criticados, consideram as críticas construtivas, que os ajudam a encontrar imperfeições para melhorar, mas ficam muito preocupados com as críticas recebidas, buscando melhorar. Pensando que os outros também esperam críticas, criticam os outros com o objetivo de ajudar. Dificilmente aceitam elogios, principalmente genéricos, porque dificulta no reconhecimento de suas próprias conquistas.

São cheias de regras. São esforçadas, trabalhadoras e organizadas, acreditando que isso as faz merecedoras. Consideram as coisas boas que têm como provas de suas virtudes, não como coisas para desfrutar. Buscam ser independente dos outros e evita que os outros sejam dependentes delas.

Trabalham normalmente em áreas em que seu esforço pode ser medido, como por exemplo áreas de contabilidade, financeiras, de organização e de métodos. Elas são base em organização e realização das tarefas, mas sua exigência excessiva atrapalha nas relações com os outros.

Seu ponto de estresse é 4, incorporando o vício inveja, e seu ponto de segurança é 7, incorporando a loquacidade, quando criativas.

Tipo 2 - Amigável e orgulhoso[editar | editar código-fonte]

As pessoas do Tipo 2 são prestativas, porque gostam de ajudar os outros preocupando-se mais com os outros do que consigo. Seu vício emocional inconsciente é o orgulho, que por serem prestativos, acham-se capazes e independentes.

São amigáveis, carismáticas e atrativas, sendo o tipo de pessoa que os outros gostariam de conhecer. São boas como amigas e queridas onde vivem. Elas têm uma capacidade boa de perceber os problemas alheios. Preocupam-se cuidadosamente com as pessoas, cada uma de forma particular, com o objetivo de apenas agradá-las.

São sensíveis para perceber os estados de espírito daqueles que desejam agradar. Comportam-se de maneira diferente com cada pessoa, mas não estão sendo falsos por isso. Oferecem graciosamente seu tempo e energia para ajudar outras pessoas, e suas habilidades e recursos estão normalmente disponíveis. Dificilmente se recusam a ajudar os outros e chegam a fazer sacrifícios pelos outros.

São confiantes, consideram-se capazes e auto-suficientes, que sabem e podem fazer. Odeiam pedir algo a alguém e odeiam receber ajuda alheia. Procuram em manter a imagem idealizada, para não ferir seu orgulho. Sentem-se mal quando não conseguem ajudar alguém. Costumam se consideram boas a ponto de não ter necessidade de competir. Consideram-se bem-intencionadas.

Preferem lidar com a vida cotidiana e relações humanas, sendo sugestivas. Por serem mais centradas nos outros, tornam-se agressivas quando não atendidas. Sentem-se menosprezados se ajudam alguém que não reconhece sua ajuda, podendo expressar uma raiva ou emoção que surpreende os outros.

Sua ingenuidade e generosidade os tornam voluntariosos e úteis, são teimosos e contraditórios. Têm pouco tempo para se dedicar a uma única coisa. Por cuidarem tanto dos outros, acabam esquecendo de si e suas próprias necessidades e desejos.

São sedutoras, adulam os que gratificam seu orgulho, apenas aqueles que parecem dignos de serem seduzidos, podem desprezar os que não consideram dignos. Elas podem ser manipuladoras e chegam a colocar as pessoas umas contra as outras, por serem amigas de várias pessoas.

Trabalham normalmente em áreas em que há relacionamentos com pessoas, como por exemplo vendas, relações humanas e secretariado. Por adorarem envolvolver-se com pessoas, atrai pessoas para perto de si, com facilidade.

Seu ponto de estresse é 8, incorporando o vício luxúria, e seu ponto de segurança é 4, incorporando a estética (bom gosto), quando criativas.

Tipo 3 - Egoísta e mentiroso[editar | editar código-fonte]

As pessoas do Tipo 3 são progressistas, fazendo um trabalho bom com o objetivo de prosperar. Seu vício emocional inconsciente é a mentira (engano), por criarem uma imagem falsa para conseguir admiração dos outros.

Vivem em busca do sucesso, sendo egoístas, cujo objetivo é beneficiar-se. São pessoas frias, que disfarçam sua frieza com uma imagem humanista e uma falsa generosidade. Inventam e conseguem inventar desculpas com muita facilidade.

Têm facilidade para disfarçar seus sentimentos. Expressam apenas os sentimentos necessários para obter seus interesses, que na maioria das vezes são falsos, reprimindo seus outros sentimentos, os mais sinceros. Em sua ganância, agem manipulando as pessoas com suas mentiras e exigências, sendo impessoais. São chamadas de camaleão por se comportarem de forma diferente com cada pessoa, fingindo se comportar com as ideias dos outros, nunca demonstrando pensamentos e emoções próprias.

São calculistas e visam o reconhecimento, sendo muito vaidosas. Elas se tornam hostis se não receberem o reconhecimento e a admiração de que desejam. Consideram-se eficientes e superiores. Para elas, o importante é o objetivo, os resultados e a eficiência, não se importando com os mínimos detalhes. Para elas "os fins justificam os meios".

Relacionam-se com as pessoas apenas para que elas as ajudem a alcançar seus objetivos, sendo falsas com as pessoas úteis a elas, exigindo das pessoas mais do que elas podem fazer. Evitam contato com pessoas que não são úteis para elas, agindo de forma educada e gentil com desculpas falsas, tornando-se inacessíveis.

São autoconfiantes e demonstram ser talentosos em relação aos outros. Preocupam-se em ser admiradas pelos outros, por vaidade e para manter sua auto-estima. Talvez confundiram admiração com amor, por serem admirados quando crianças por terem algo especial, passando a procurarem por admiração. São pessoas presunçosas.

Só fazem algo se receberem algo em troca, sua ação generosidade os dão em troca admiração e respeito. São pessoas que só fazem algo para serem bem-sucedidas. Por vaidade, consideram o fracasso como experiência e culpam os outros, não admitindo que fracassaram.

Trabalham normalmente em áreas em que há possibilidades de crescimento, como por exemplo vendas, advocacia, administração, consultoria, assessoria, política e trabalhos autônomos. São boas para trabalhar, devido sua eficiência, objetividade e dedicação, tendo boas ideias para conseguir as metas. Sua habilidadede negociação os ajudam a conseguir o que querem. Elas são descomprometidas, mudam de lado ou abandonam algo quando encontram algo melhor. Por isso têm problemas em relacionamentos mais íntimos.

Seu ponto de estresse é 9, incorporando o vício preguiça, e seu ponto de segurança é 6, incorporando a responsabilidade, quando criativas.

Tipo 4 - Insatisfeito e emotivo[editar | editar código-fonte]

As pessoas do Tipo 4 são as que mais sofrem, são sentimentais e exageram seu sofrimento. Seu vício emocional inconsciente é a inveja, devido sua insatisfação.

As pessoas do tipo 4 são as que mais apresentam diferenças entre si, elas têm dificuldade de perceber seu vício de inveja, por isso têm dificuldades de se identificarem no eneagrama, mas reconhecem sua insatisfação.

Para elas sempre falta alguma coisa ou várias. Suas atitudes são aparentemente masoquistas, fazendo comparações constantemente e pensando que nada têm. Tendo inveja, tornam-se pessoas mordazmente críticas, muitas vezes irônicas e queixosas. Por isso são exigentes e detalhistas e se sentem enganadas, como se conspirassem contra elas.

São sensíveis e instáveis, podendo ter ações histéricas, mudando de humor de forma repentina ou facilmente. Consideram-se injustiçadas.

Elas conseguem perceber o que a maioria das pessoas não percebe, devido sua sensibilidade de percepção. Assim percebe as coisas boas do mundo e isso gera sua sensação de inferioridade que provoca inveja.

Valorizam coisas que são insignificantes por pensarem ter muita imperfeição em si ou consigo. São românticas por idealizarem uma vida com alguém onde tudo é maravilhoso. São criativas, mas pouco objetivas. Por comportarem-se tragicamente, têm tendência a se tornarem artistas. As artes são uma forma delas expressar seus sentimentos. São individualistas e têm pouco contato com o mundo exterior.

Buscam um significado para sua vida e querem amor, são melancólicos e sofrem por pensarem serem inferiores, sofrendo por um motivo inventado. Elas exageraram a expressão do sofrimento para obter algo, tendo uma vida dolorosa. Para elas, desejar é mais importante do que possuir.

Elas evitam sentimentos comuns em relacionamentos, colocando metas que podem ser impossíveis. Sua vida está relacionada a sentimentos e relacionamentos.Às vezes, para elas, quanto mais distantes, mais perfeitas as pessoas lhes parecem.

São pessoas autênticas, por causa de sua crítica e a exigência de originalidade, e solidárias com o sofrimento alheio. Gostam de ser especiais e únicas e têm carência de atenção. Quando a vida se banaliza podem ter crises emocionais ou existenciais.

Trabalham normalmente em áreas em que a criatividade e a originalidade possam ser expressadas, como por exemplo artes, psicologia e jornalismo. Gostam de coisas diferentes, querem expressar seus sentimentos, usando sua criatividade.

Seu ponto de estresse é 2, incorporando o vício orgulho, e seu ponto de segurança é 1, incorporando a organização (planejamento), quando criativas.

Tipo 5 - Observador e estrategista[editar | editar código-fonte]

As pessoas do Tipo 5 são observadores, são individualistas e não participam dos acontecimentos, fazendo planejamentos de suas ações. Seu vício emocional inconsciente é a avareza, porque temem perder algo ou têm desconforto ao gastar alguma coisa.

As pessoas do tipos 5 vivem mais como observadores dos acontecimentos e preferem se manter fora deles, por isso são frias e aparentemente fóbicos sociais, tendendo a tornarem-se tímidas. Preferem não se envolverem nos eventos, mas querendo ver melhor sem perder seu senso crítico. Preferem estar consigo mesmos, envolvidos em atividades que só dizem respeito a si próprios.

Tendem a ignorar as relações e emoções nas questões da vida. São metódicas e apáticas, dificilmente mudam seu estado emocional e ficam indiferentes com as coisas, as notícias recebidas são pensadas e não expressadas. Não expressam seus sentimentos.

Sentem necessidade de retenção, de acumulação de bens e conhecimento, tendo avareza, porque não conseguem se livrar das coisas que tem, querendo protegê-las, como temessem que se perdessem algo resultaria em um esvaziamento catastrófico e que seria necessário posteriormente. Às vezes abrem mão de conseguir algo para não perder o que já tem.

São pessoas frias e calculistas, que crêem na mente como meio de conseguir as coisas, substituindo emoções por pensamentos. São internamente perfeccionistas, precisam ficar sós para pensar, refletir e inclusive reviver sentimentos, por isso usam a estratégia de autodistanciamento. Consideram-se lógicos e prudentes.

São reservadas, objetivas, analíticas e sérias, sendo mais intelectuais, tendo uma curiosidade pelo entendimento, tornando-se planejadores extremamente racionais. Preferem o racionalismo ao empirismo, nunca desejando o que não seja lógico e nunca expressando sentimentos, que para elas são inadequados. Adoram informação, podendo ter muitos interesses ou alguns em assuntos entendidos por poucos, por isso apreciam a leitura e os livros de informações.

Seu individualismo as torna auto-suficientes, são medrosas. Precisam de tempo para refletir antes de dar respostas e sentem desconforto para decidir sob pressão. Procuram minimizar suas próprias necessidades e reivindicações. Sua vida é organizada de uma maneira compartimentada, para elas as pessoas ao seu redor são divididas de acordo com as atividades. Gostam também de se preparar antecipadamente para os eventos e odeiam surpresas.

São pessoas distantes e inacessíveis, que dão respostas curtas e diretas aos outros, afastando-se das pessoas e mostrando pouca ou nenhuma apreciação pela presença delas, ignorando facilmente as pessoas ao seu redor, incomodando-as. Por isso têm dificuldades para se relacionarem com os outros.

Trabalham normalmente em áreas de planejamento, como por exemplo engenharia, pesquisa e informática, áreas de ciências exatas. São bons para fazer análises e estratégias, sendo eficientes em planejamentos.

Seu ponto de estresse é 7, incorporando o vício gula (por bens, pessoas e principalmente conhecimento), e seu ponto de segurança é 8, incorporando a determinação.

Tipo 6 - Cuidadoso[editar | editar código-fonte]

As pessoas do Tipo 6 são desconfiadas, porque tem medo de que ocorra algo ruim e preferem preparar tudo com cuidado, para se sentir mais seguro. Seu vício emocional inconsciente é o medo, por isso agem com cautela.

São pessoas atentas, inseguras e intuitivas, preferem estar preparados e evitar improvisos. Preferem o que conhecem e se preparam para o que não conhecem, como o futuro que é incerto. Procuram clareza em regras e regulamentos, são muito ansiosas e não suportam suspense.

São pessoas desconfiadas e estão sempre em alerta, sua necessidade de segurança fazem elas tomarem precauções contra qualquer ameaça real que perceberam. São realistas e se preocupam demais com o perigo, por isso questionam as ações que fazem e as que as outras pessoas fazem.

Elas são pessoas vigilantes, que percebem sempre o que os outros estão escondendo. São sociáveis, gostam de ficar em conjunto com outras pessoas. Consideram-se cautelosas e realistas. São dependentes e precisam sempre de um referencial, como um líder, para sustentação.

Não gostam de obedecer às ordens dos outros e procuram questionar intensamente as intenções dos outros, porém são muito leais, principalmente com o grupo, criando um espírito de equipe no grupo de trabalho com muita lealdade.

Preferem evitar os problemas a arcar com as conseqüências. Podem variar de reservadas e tímidas a francas e confrontadoras, mas só estão seguros se o problema for de probabilidade impossível. Preferem ficar mentalmente ocupadas para não pensar, para evitar que pensem em ameaças.

São organizadas, comprometidas e criativas. Questionam as próprias decisões, os motivos dos outros e a segurança de qualquer situação, imaginam as piores situações como uma maneira de se preparar, prevendo possibilidades ruins e procurando evitá-las.

São contestadores e procuram por erros e ameaças, mas são corteses e alegres. Costumam a ficar irritadas com pessoas que não previnem desastres ou considera os desastres muito improváveis.

Trabalham normalmente em áreas de gerências de pessoas e procedimentos, como por exemplo áreas de produção, financeira e relações humanas. O que as ajuda são sua capacidade de perceber riscos e de críticar os processos, prevendo as falhas.

Seu ponto de estresse é 3, incorporando o vício vaidade, e seu ponto de segurança é 9, incorporando a tranquilidade...

Tipo 7 - Feliz e otimista[editar | editar código-fonte]

As pessoas do Tipo 7 são muito otimistas, vendo tudo de forma boa e sempre demonstrando alegria. Seu vício emocional inconsciente é a gula, porque buscam sentir prazer.

São pessoas bem-humoradas e adoram se divertir. São muito otimistas, vendo tudo como fosse melhor e esperando as possibilidades boas. Alimentam muitas ilusões e fantasias. São pessoas ativas e encantadoras por causa de sua alegria e entusiasmo, expressam muita alegria. Odeiam desprazer e evitam entrar em contato com qualquer eventual dor ou sofrimento.

Facilmente se entediam com as coisas, e ficam saciadas rapidamente, por isso odeiam rotinas e evadem dos padrões e regras. Odeiam ficar paradas e procuram sempre estar fazendo algo que lhe agrade. São imaginativas e criativas, adoram estimular sua imaginação, tendo muitas ideias e planos, que às vezes são impossíveis de existir.

Por serem otimistas e acreditarem no melhor, têm dificuldades em perceber os valores alheios, porque para elas as coisas são perfeitas não percebendo o que realmente é bom. Consideram-se improvisadoras. São muito loquazes.

São pessoas superficiais, sobrecarregam com atividades como meio de fugir das dificuldades emocionais, assumindo vários compromissos simultaneamente, mas têm dificuldades para completá-los. Têm boa agilidade mental para lidar com várias coisas ao mesmo tempo, mas dão prioridade ao prazer.

Para eles é muito divertido inventar e iniciar atividades que envolvam outras pessoas. Têm tendência a ser humoristas, por ter prazer em diversão e buscá-la. Abandonam qualquer plano que saibam que pode falhar, quando não sabem dessa possibilidade são positivistas. Não refletem sobre o que os outros pensam.

São pessoas manipuladoras, quase sendo charlatãs, facilmente convencem os outros e são insistentes. Consideram a realidade como sua imaginação positivista. Consideram-se confiáveis, apesar de poderem ter segundas ou terceiras intenções, devido à quantidade de seus interesses. Como otimistas, confiam nos outros e acreditam neles.

Gostam de ter muitos pensamentos e ideias, chegando a pensar que eles são ilimitados e e sentem capazes de resolver qualquer problema, são intelectualmente analíticas. Chegam a ser presunçosas e arrogantes, mas são pessoas brincalhonas que preferem ser crianças, evitando responsabilidades e rotina.

Trabalham normalmente em áreas em que não há rotina e é necessário o uso da criatividade, como, por exemplo marketing, vendas, planejamento e negociação. São bons para resolver problemas devido sua criatividade e otimismo, mas são indisciplinados e irresponsáveis, tendo dificuldades com normas ou pessoas rígidas e evitando a rotina.

Seu ponto de estresse é 1, incorporando o vício ira, e seu ponto de segurança é 5, incorporando a objetividade (habilidade de observação), quando criativas.

Tipo 8 - Desafiador e autoritário[editar | editar código-fonte]

Nunca pedem perdão. A princípio, são sempre contrários a qualquer novidade

As pessoas do Tipo 8 são rebeldes e autoritárias, porque gostam de desafiar e dominar os outros sem se preocupar com os outros. Seu vício emocional inconsciente é a luxúria, que está relacionada ao seu hábito de dominar os outros e serem sexualmente sádicas.

São autoritárias ao extremo, querendo que tudo seja do seu modo, desprezando a opinião alheia. São pessoas que adoram desafios e odeia ambientes pacatos. Expressam-se de forma direta e objetiva, tendo facilidade em fazer escolhas e reações imediatas a situações.

São pessoas insensíveis, apegadas à força, à justiça e ao poder, sendo dominadoras e agressivas. Gostam de exagerar seus pensamentos, desconsiderando o pensamento dos outros. Gostam de agir, mas não de discutir. Consideram-se realizadoras.

São firmes em suas ações, confrontadoras em suas relações, sendo pessoas rebeldes, que gostar de ir contra. Para atingir seus objetivos são insistentes, teimosas e determinadas. Irritam-se com facilidade e fazem ações radicais facilmente.

Em discussões, podem ficar muito irritados, mas depois seu rancor pode ser esquecido. Odeiam e desprezam pessoas sensíveis e fracas. Buscam o confronto como forma de impor sua supremacia, muitas vezes por simples prazer. Gostam de conquistar e de serem vistos como pessoas fortes.

Gostam de vingar injustiças, consigo e com os outros, defendem veementemente os oprimidos e chegam a cometer absurdos para proteger ou vingar em nome de quem foi injustiçado. São agressivas, mas não percebem sua agressividade. São corajosas, grossas e seguras, sendo intimidadoras.

Exigem a verdade e dizem sempre o que pensam. Sua ética de justiça é pessoal. Quando alguém não concorda com elas, pensam que está sendo desafiadas, querendo que todos participem. Evitam interioridade e adoram desafiar os outros, para obter estímulo de vida, seus alvos são os mais desafiadores e também os mais evasivos.

Não se preocupam com os outros, para conseguir o que querem preferem tomar, não importando com o que os outros pensam. Dificilmente fazem pedidos, mas quando pedem são autoritários. Têm facilidade em mandar e liderar, dando prioridade à realização, assumem o controle de tudo que fazem, desde as coisas mais banais até as mais significativas.

Trabalham normalmente em uma área relacionada à liderança, como por exemplo liderando empresas. Sendo confiantes e negociadores, procuram crescer, usando métodos diretos e eficazes. O que querem fazer, elas fazem, sendo realizadoras. Podem ser bons líderes, cuidando firmemente dos interesses do grupo, mas só quando coincidem com os seus próprios.

Seu ponto de estresse é 5, incorporando o vício avareza, e seu ponto de segurança é 2, incorporando a generosidade (fazer doação, piedade), quando criativas.

Tipo 9 - Mediador[editar | editar código-fonte]

As pessoas do Tipo 9 são tranqüilos, que gostam de preservar a paz e evitam confrontos. Seu vício emocional inconsciente é a indolência, por causa de sua tranqüilidade, indecisão, busca por ócio e por adiar suas tarefas.

São pessoas lerdas, mas são agradáveis, carismáticas e amigáveis, gostam de manter a paz e a ordem, por isso não são competitivas e são mediadoras, dando prioridade ao bem comum. Distraem-se facilmente, raramente é intencional, parece que é por desinteresse. Têm dificuldade de começar a se mover, mas também de parar, quando começam alguma coisa vão até o fim, parecem totalmente ligados à inércia.

Apesar de serem calorosas, tolerantes e acomodadas, são pessoas apáticas, que desenvolveram um estado de anestesia para não sofrerem atritos com a realidade. Tendo preguiça de mudar ou agir, adaptam-se facilmente ao ambiente. Dificilmente tomam decisões, mas quando tomam, são repentinas e firmes.

Expressam serenidade e calma, mesmo não sendo estes seus sentimentos reais. São indecisas, ou por apatia ou por indolência, fazendo-as aceitar qualquer opção. Consideram-se pessoas distraídas, confusas, ansiosas, com memória fraca e conciliadoras.

As pessoas desse tipo, têm também facilidade em se colocar no lugar do outro, ver pelos seus olhos. Sendo assim, são ótimos para resolver conflitos, pois normalmente adotam uma posição imparcial da situação.

Sendo mediadoras, são indicados para resolver conflitos e divergências, mas podem ceder muitas vezes para evitar ou resolver o conflito. São indecisas e procrastinadoras, adiam o que têm que fazer. Deixam até as mais altas prioridades por último, chegando a realizá-las no último momento, muitas vezes esquecem tarefas importantes.

Têm mais facilidade em saber o que não sentem, pensam ou querem. Assim, têm dificuldades em saber o que pensam ou sentem, o que as leva a adotar desejos alheios. São pessoas flexíveis, preservacionistas e solidárias. Tornam-se dependentes dos outros, emocionalmente ou economicamente, devido sua indolência.

Ficam em silêncio em discussões. Não são pessoas sem opinião, a questão é que não às expõem muito facilmente, pois têm dificuldade em se impor. Muitas vezes ficam "em cima do muro" para não causar conflitos. Preferem que sua vida seja calma, estruturada, previsível e confortável. Vivem através dos outros, como a família, a nação ou grupo de trabalho, sentindo se valorizadas assim.

Trabalham nas mais variadas áreas, porque sua facilidade em se adaptar lhes permite trabalhar em mais áreas e se manterem trabalhando, apesar de resistirem inicialmente à mudanças. Normalmente estão nos setores administrativos, secretariado, atendimento ao público e auxiliares.

No decorrer na identificação, essas pessoas podem se identificar com vários ou até todos os tipos, pois se adaptam com facilmente às outras emoções.

Alguns traços físicos dessas pessoas são: mãos pequenas, pescoço curto, tronco largo, braços pendendo dos ombros como se estivessem soltos, rosto com aparência infantil.

Estressam-se quando são forçados a fazer algo que não querem, ficando teimosos e inflexíveis. Demoram a sair dessa condição, assim como demoram a se estressar. Sofrem de ansiedade por ter dificuldade em se movimentar, em tomar alguma atitude. Sua reação pode ser explosiva já que "engolem" muitos sapos até chegar nesse ponto.

Seu ponto de estresse é 6, incorporando o vício medo, e seu ponto de segurança é 3, incorporando a capacidade de realização (ter sucesso), quando criativas.

Subtipos[editar | editar código-fonte]

Cada tipo do eneagrama está dividido em três subtipos:

Conservacional[editar | editar código-fonte]

Estão focalizados mais em si mesmos e em sua sobrevivência no meio ambiente que habitam. São ligados a bens, posses, conforto material. Podem desejar acumular dinheiro e posses, mas no seu caso não para mostrarem aos demais, mas como uma segurança de sua preservação como seres vivos.

Sexual[editar | editar código-fonte]

Preferem relações um a um. Em geral são pessoas que estão sempre em busca de um grande amor, uma grande paixão, focalizam sua vida na relação sexo-afetiva.

Em geral gostam de intensidade na vida e buscam intimidade nas relações com os outros mais do que os outros dois subtipos. Podem ser propensos a grande carência afetiva quando estão sem uma relação sexo-afetiva. Em geral são mais diretos e intensos em sua expressão do que os outros subtipos, com muita frequência são indivíduos sinceros e francos, às vezes faltando um pouco de tato, especialmente se o subtipo social for o reprimido.

Social[editar | editar código-fonte]

Preferem relações em grupo. Em geral são preocupados com a opinião alheia e podem se guiar demais pelas opiniões dos demais e/ou padrões sociais. Podem gostar de fofocas e tudo que envolva o instinto social do ser humano, como encontros sociais e festas. Em geral são pessoas que têm facilidade de fazer amizades.

Asas[editar | editar código-fonte]

A asa de uma pessoa é o tipo, além do tipo de uma pessoa, que mais se assemelha com ela. A asa pode ser ou o próximo número (acima) ou o anterior (abaixo). O número abaixo do 1 é o 9 e, consequentemente, o número acima do 9 é o 1.

Alguns autores sustentam que o indivíduo será necessariamente influenciado por ambas as Asas de seu Ponto. Por exemplo, um indivíduo de tipo 3 terá necessariamente momentos em que expressará a asa 2 e em outros a asa 4, ficando parecido com esses dois outros tipos nessas ocasiões.

Outros autores e institutos de Eneagrama têm uma abordagem que afirma que o indivíduo tem influência de ambas as Asas do seu Ponto porém em determinado momento da vida, em geral no final da adolescência ou início da idade adulta, o indivíduo elege inconscientemente uma dessas Asas como preferencial. Assim temos na terminologia do Eneagrama de Personalidade a descrição de indivíduos 9w1 (o w é de 'wing' - asa em inglês) portanto 9w1 é um indivíduo de tipo 9 com asa preferencial 1. Outros exemplos: 1w2, 4w5, 5w4, 7w8, 8w7, 9w8, 1w9.

Ponto de segurança e ponto de estresse[editar | editar código-fonte]

Seguindo as linhas do símbolo do eneagrama, elas levam ao ponto de estresse e ao de segurança. Sendo variações de um tipo com tipos opostos. Começando do 1, indo para o sentido do 4, é o ponto de estresse do 1, continuando, o 2 é o ponto de estresse do 4 e assim sucessivamente. Indo pelo lado contrário, do 1 para o 7 e continuando, é o ponto de segurança. O ponto de estresse do 6 é 3.

Ponto de estresse é o ponto com o qual a pessoa responde a uma pressão ao seu tipo, por exemplo, o 4 se considera inferior e incapaz, e sofrendo com as conseqüências disso, passa para o 2 tornando-se orgulhoso, passando a se achar capaz.

Ponto de segurança é o ponto no qual a pessoa se sente mais acomodada. Sendo tipo oposto, ela tem muita dificuldade de atingi-lo e por isso a busca pelo ponto de segurança seria uma forma de melhorar o tipo. O 4, como exemplo, vê as coisas como maravilhosas e se considera horrível (inveja), no ponto de segurança, 1, ele passa a ser mais crítico com as coisas, não se achando tão ruim.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]