Energia não renovável

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Energia não renovável ou fontes não renováveis[1] são as fontes de energia que dependem de processos em escala de tempo geológica ou de formação do sistema solar para se tornarem disponíveis, por exemplo, o carvão mineral, o petróleo,[2] o gás natural e a energia nuclear.[3] Geralmente esse tipo de energia primária precisa ser transformada em energia secundária, como eletricidade ou gasolina para então ser utilizada.[1]

Combustíveis fósseis[editar | editar código-fonte]

Petróleo[editar | editar código-fonte]

O petróleo é um combustível fóssil, produzido há milhões de anos atrás pela pressão de material orgânico, e é hoje encontrado em algumas zonas do subsolo da terra. É a principal fonte de energia atual. O petróleo e gás natural são encontrados tanto em terra quanto no mar, principalmente nas bacias sedimentares (onde se encontram meios mais porosos - reservatórios), mas também em rochas do embasamento cristalino.

É de fácil transporte, mas seu potencial destruidor do meio-ambiente é muito grande, pois libera grande quantidade CO2 para atmosfera sendo um dos grandes "vilões" do chamado aquecimento global, por causa da sua grande utilização nos meios de transportes como carros e motos.

Gás natural[editar | editar código-fonte]

Gás natural é a designação genérica de um combustível cujo principal componente é o metano (CH4), o hidrocarboneto de cadeia mais simples, são proveniente de jazidas naturais localizadas em reservas que geralmente também são fontes de petróleo, mas não necessariamente. Sua composição varia, além do metano, pode ser composta de etano, propano, [butano]] e hidrocarbonetos mais pesados.[4]

Carvão mineral[editar | editar código-fonte]

O carvão mineral originou-se da carbonização de restos de bosques em épocas geológicas quentes e úmidas.[5] No Brasil, embora a participação desta fonte represente apenas 5,7% do consumo energético final, é o setor siderúrgico (indústrias de ferro-gusa e aço) o principal responsável pelo seu consumo.[6]

Combustíveis nucleares[editar | editar código-fonte]

Uma mina de urânio na Namibia

O uso de energia nuclear querer um combustível radioativo, o minério de urânio está presente no solo em concentrações relativamente baixas sendo extraído por mineração em 19 países.[7] Este urânio extraído é usado para abastecer os reatores nucleares de geração de energia através de Urânio-235 fissívelque gera calor, e em última instância utilizado em turbinas para gerar eletricidade.[8]

Referências

  1. a b Yolanda Vieira de Abreu, Hugo Rivas de Oliveira, José Eustáquio Canguçu Leal. Biodiesel no Brasil em Três Hiatos: Selo Combustível Social, Empresas e Leilões. 2005 a 2012..ISBN 978-84-15774-01-3. p. 26.
  2. André Henrique Rosa. Meio Ambiente e Sustentabilidade. Artmed; ISBN 978-85-407-0197-7. p. 94.
  3. Almanaque Brasil socioambiental. Instituto Socioambiental; 2008. ISBN 978-85-85994-45-7. p. 536.
  4. Suzana Kahn Ribeiro e Márcia Valle Real. Novos Combustíveis. Editora E-papers; ISBN 978-85-7650-069-8. p. 27–28.
  5. Ernani Fornari Neto; Wanderbilt Duarte de Barros; Joaquim Campelo Marques. Dicionário prático de ecologia. Editora Aquariana; 2001*. ISBN 978-85-7217-068-0. p. 51.
  6. Célio Bermann. Energia no Brasil, Para que? Para quem?: crise e alternativa para um país sustentável. Editora Livraria da Fisica; 2002. ISBN 978-85-88325-06-7. p. 34.
  7. World Uranium Mining. World Nuclear Association. Página visitada em 2011-02-28.
  8. What is uranium? How does it work?. World Nuclear Association. Página visitada em 2011-02-28.

Ver também[editar | editar código-fonte]