Engenharia informática

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde janeiro de 2014). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou secção:

Engenharia Informática é o nome mais comum pelo qual são conhecidos os cursos superiores focados em Informática (ciência da computação) que incluem também algumas cadeiras obrigatórias ditas "de bases de engenharia" (como matemáticas e físicas). É a área de engenharia que se ocupa dos temas relacionados com TI (Tecnologias de Informação) e SI (Sistemas de Informação).

Outra designação habitual é Engenharia Informática e de Computadores.

É uma área de Engenharia representada na Ordem dos Engenheiros pelo Colégio de Informática.

A primeira Licenciatura (pré-bolonha) em Engenharia Informática surgiu em 1975 na Universidade Nova de Lisboa.

Nos últimos 20 anos houve um aumento da oferta académica na área de Engenharia de Informática e de Computadores. Este facto possibilitou às empresas um ajustamento adequado de recursos humanos nesta área o que é fundamental para incrementar o nível de qualidade dos projectos de Tecnologias de Informação (TI).

Áreas da Engenharia Informática[editar | editar código-fonte]

A Engenharia Informática é composta por várias áreas e funções tais como:

- Programação (C, C++, Java, C#, VB.Net, PHP, Perl, Python, Pascal, Assembly, etc.)
- Arquitecturas aplicacionais
- Arquiteturas orientadas a serviços
- Arquitecturas de computadores
- Sistemas distribuídos
- Microprocessadores
- Desenvolvimento de aplicações web
- Bases de dados relacionais
- Bases de dados espaciais para suporte de sistemas SIG
- Sistemas Operativos
- Gestão de servidores
- Redes informáticas
- Jogos
- Metodologias de desenvolvimento de projetos informáticos:Waterfall, Agile, Scrum, etc.
- Gestão de projetos informáticos

O impacto da Engenharia Informática na sociedade[editar | editar código-fonte]

Vários exemplos dos produtos criados e geridos pela Engenharia Informática:

- Sistemas operativos Windows, Windows Phone, Linux, Android, iOS;
- Bases de dados relacionais Oracle, SQL Server, My SQL, PostgreSQL;
- Google;
- Facebook;
- Twitter;
- Youtube;
- Sites de eCommerce: Amazon, Worten, Pixmania;
- Jornais online;
- ERP's de suporte ás atividades empresarias das empresas: SAP, Primavera, Oracle Financials, Navision;
- Banca online;
- Sistemas de trading online para a banca;
- Portais de serviços na administração pública: Portal das Finanças;
- SAFT (Standard Audit File for Tax purposes);
- Software de pagamentos Multibanco;
- Paypal;
- Jogos: Jogos PS3, PSP, XBox 360, Nintendo Wii, Android, iOS, etc.;

Empresas de informática[editar | editar código-fonte]

A informática é uma indústria composta por milhares de empresas espalhadas pelo mundo. Estas criam os seus próprios produtos informáticos ou prestam serviços sobre produtos informáticos de empresas existentes.

Empresas criadoras de produtos[editar | editar código-fonte]

Exemplos:

Microsoft, Oracle, Google, Apple, SAP, Outsystems, Primavera, etc.

Empresas prestadoras de serviços[editar | editar código-fonte]

A prestação de serviços pode ser realizada nas áreas de implementação de produto, formação, consultadoria, etc.

Exemplos:
Microsoft, Oracle, SAP, Accenture, HP, Capgemini, Agap2, Novabase, Link, Rumos, Galileu, etc.

Cursos superiores de informática - Planos curriculares[editar | editar código-fonte]

Os cursos superiores de informática permitem obter os níveis académicos normais pós-bolonha:
- Licenciatura (bacharelato pré-bolonha) de três anos
- Mestrado (licenciatura pré-bolonha) de cinco anos
- Doutoramento

O plano curricular de uma licenciatura bolonha em Engenharia Informática e Computadores pode normalmente ser consultado nos respectivos sites dos estabelecimentos superiores como no caso do Instituto Superior Técnico de Lisboa[1] .

Para o caso de planos curriculares de mestrados bolonha em Engenharia Informática temos como exemplo os apresentados nos sites dos estabelecimentos superiores:
- Instituto Superior de Engenharia de Lisboa[2] .
- Universidade Nova de Lisboa - Faculdade de Ciências e Tecnologia[3] .

Colégio de Engenharia Informática da Ordem dos Engenheiros[editar | editar código-fonte]

Os cursos acreditados pelo Colégio de Engenharia Informática da Ordem dos Engenheiros são os seguintes (grau de mestrado bolonha ou licenciatura pré-bolonha):[4]

Aveiro

Coimbra

Évora

Lisboa

Madeira

Minho

Porto

Os Engenheiros Informáticos estão acreditados na Ordem dos Engenheiros (OE) no colégio de Engenharia Informática. No site da OE é possível validar a acreditação de determinado Engenheiro no colégio de Informática (ou noutro qualquer colégio) [5] .
De acordo com a legislação portuguesa, quem não esteja acreditado na OE no colégio de informática não pode usufruir do título de Engenheiro Informático nem da respectiva carteira profissional.

Engenharia Informática na Ordem dos Engenheiros Técnicos[editar | editar código-fonte]

A Ordem dos Engenheiros Técnicos[6] , certifica um conjunto de cursos de Engenharia Informática (grau de licenciatura pós-bolonha ou bacharelato pré-bolonha)[7] .

No site da OET é possível validar a acreditação de determinado Engenheiro Técnico na especialidade de Informática (ou noutra qualquer especialidade)[6] .

Engenharia Informática nas Universidades Mundiais[editar | editar código-fonte]

Reino Unido:

  • Universidade de West London [8]
  • Universidade de Cambridge [9]

Alemanha:

  • Universitat des SaarLandes - Computer science / Informatics [10]

Estados Unidos:

  • Universidade de Harvard [11]
  • Silicon Valley University - Master of Science in Computer Science (MSCS)[12]

Japão:

  • Universidade de Tokyo [13]

A Engenharia Informática nas Empresas[editar | editar código-fonte]

Nos dias correntes é difícil encontrar empresas, independentemente da sua dimensão, que não façam uso das tecnologias de informação, ou seja, da informática.

Nas estruturas orgânicas das empresas existem departamentos de TI com nomes tais como:

  • Departamento de Informática
  • Departamento de Sistemas de Informação
  • Departamento de Tecnologias de Informação
  • entre outros.

Por sua vez estes departamentos poderão estar organizados em subestruturas representativas das várias especialidades da Informática tais como:

  • Secção de Suporte (Helpdesk)
  • Secção de Redes
  • Secção de Desenvolvimento de Software
  • Secção de Web design
  • Secção de Sistemas de Informação Geográfica
  • entre outros.

O número de subestruturas é variável e está normalmente associado à dimensão da empresa.

Liderança dos Departamentos de Informática nas Empresas[editar | editar código-fonte]

Há vários anos atrás a liderança dos departamentos de TI era muitas vezes realizada por colaboradores com perfis diversos normalmente de outras áreas de Engenharia diferentes da Informática tais como:

  • Engenheiros Civis,
  • Engenheiros Mecânicos,
  • Engenheiros Electrotécnicos,
  • etc.

Ou áreas tão diversas como:

  • Economistas,
  • Advogados,
  • etc.

No entanto esta situação tem evoluído devido a um conjunto de factores relacionados com as TI já que estas são:

  • áreas com um nível de especialização técnico muito elevado,
  • representam custos significativos nos orçamentos das empresas,
  • podem gerar ganhos de produtividade elevados nas empresas quando bem geridos,
  • a selecção de recursos humanos adequados a esta área representam desde logo um factor elementar de qualidade.

Devido aos pontos anteriores, as funções de liderança de TI nas empresas tem progressivamente vindo a ser ocupadas por colaboradores formados em Engenharia Informática.

Habilitações falsas e omissões nos curriculos vitaes[editar | editar código-fonte]

Em Portugal nos últimos anos, o sector de informática tem estado em contra ciclo em relação à crise de emprego existente noutros sectores. Este facto tem levado a uma forte procura de emprego nesta área por parte de profissionais de outras áreas. A informática é vista como um refúgio de emprego o que é natural devido à crise existente.

Infelizmente esta situação origina consequências indesejáveis para as empresas:

  • Baixa qualidade de serviço prestado ás empresas.
  • Acesso a cargos pensados e remunerados à partida para um determinado perfil informático que o profissional de outra área não possui.
  • No caso de cargos de topo além dos pontos anteriores há o acesso a regalias específicas para estes cargos (remunerações mais elevadas, viatura de serviço, cartões de crédito e combustível, etc.).

Muitos profissionais fora da área usam as redes sociais (facebook, linkedin) como veículo promotor de habilitações académicas que não correspondem à realidade. Omissões nas suas habilitações ou mesmo habilitações fraudulentas não são incomuns.

Nesta promoção pessoal são usadas algumas técnicas:

  • Apresentação em redes sociais (facebook, linkedin, etc.) da universidade que frequentaram mas omitindo o respectivo curso. Normalmente significa que não frequentou curso superior de informática mas sim outro curso de engenharia. Esta é a omissão mais comum apresentada pelos profissionais que exercem funções informáticas sem habilitações para tal (situação gravíssima por exemplo em cargos de topo).
  • Obter créditos profissionais através de tráfego de influências em redes sociais (linkedin, etc.).
  • Usar especializações do tipo MBA: Situação também frequente no acesso a cargos de topo: Como exemplo temos o profissional que tira uma licenciatura em Engenharia Civil e posteriormente um MBA em Informática passando a auto intitular-se especialista em informática.
  • No acesso a cargos de topo é comum também a criação de lobby's de capacidade de liderança: Fazer lobby sobrevalorizando as características de liderança do profissional face aos seus conhecimentos técnicos (que não possui) no âmbito da informática.

Para corrigir e evitar as situações anteriores é fundamental a existência nas empresas de departamentos de recursos humanos competentes que:

  • Exijam ao profissional a apresentação do certificado de habilitações certificado pela instituição superior de ensino.
  • Verificação da especialidade de engenharia do profissional na respectiva ordem profissional (ordem dos engenheiros, ordem dos engenheiros técnicos).

Os portais das ordens profissionais são um instrumento fundamental e de acesso público no que diz respeito à verificação de autenticidade das habilitações apresentadas pelos profissionais (de engenharia informática ou de qualquer outra engenharia).

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e Referências

  1. Plano curricular da licenciatura bolonha em Engenharia Informática e de Computadores do Instituto Superior Técnico: https://fenix.tecnico.ulisboa.pt/publico/degreeSite/showDegreeCurricularPlanBolonha.faces?degreeID=2761663971474&degreeCurricularPlanID=2581275345327&executionPeriodOID=3856880634067&organizeBy=groups&showRules=false&hideCourses=false&contentContextPath_PATH=/cursos/leic-a/plano-curricular&_request_checksum_=74d258c838ef213c58c0649febca92469198a774
  2. Plano curricular do mestrado bolonha em Engenharia Informática e de Computadores do Instituto Superior de Engenharia de Lisboa: http://www.adeetc.isel.pt/pt/meic/107-curso-meic/meic/cursomeic/planocurricularmeic
  3. Plano curricular do mestrado integrado bolonha de Engenharia Informática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa: http://www.unl.pt/guia/2013/fct/UNLGI_getCurso?curso=888
  4. Ordem dos Engenheiros: http://www.ordemengenheiros.pt/fotos/editor2/admissaoaordem/licenciaturaspre_bolonhamestradospos_bolonha_janeiro2011.pdf Cursos de Engenharia que conferem dispensa de prestação de provas de admissão, acessado em 15 de fevereiro de 2011
  5. Ordem dos Engenheiros - Pesquisa de membros http://www.ordemengenheiros.pt/pt/a-ordem/pesquisa-de-membros
  6. a b Ordem dos Engenheiros Técnicos: http://www.oet.pt
  7. Ordem dos Engenheiros Técnicos - Cursos Registados: http://www.oet.pt/downloads/CDN/cursos/CURSOS_REGISTADOS.pdf
  8. Universidade de West London: http://www.uwl.ac.uk/courses/all?field_presentation_refs_field_start_year=All&field_study_level_taxonomy%5B0%5D=11&field_study_level_taxonomy%5B1%5D=12&field_study_level_taxonomy%5B2%5D=202&field_c_subject=13&field_presentation_refs_field_location2=All&field_presentation_refs_field_study_mode=All&keys=&study_mode_3=All&items_per_page=10
  9. Universidade de Cambridge: http://www.study.cam.ac.uk/undergraduate/courses/compsci
  10. Universitat des SaarLandes - Computer science / Informatics: http://www.uni-saarland.de/en/campus/study/academic-programmes/first-degree-programmes/informatics-computer-science-bachelor.html
  11. Universidade de Harvard: http://www.seas.harvard.edu/programs/computer-science/planning-degrees-courses Cursos
  12. Silicon Valley University - Master of Science in Computer Science (MSCS): http://www.svuca.edu/home/program/graduate.html
  13. Universidade de Tokyo: http://www.i.u-tokyo.ac.jp/index_e.shtml Graduate School of Information Science and Technology

Ligações externas[editar | editar código-fonte]