Enterite

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Enterite
O intestino delgado é formado pelo duodeno (amarelo), jejuno (azul) e íleo (rosa) terminando no cólon.
Classificação e recursos externos
CID-10 A02-A09, K50-K55
CID-9 005, 008, 009, 555-558
MedlinePlus 001149
MeSH D004751
Star of life caution.svg Aviso médico

Enterite (entero-, intestino + -ite, inflamação) é um termo abrangente para inflamação na mucosa do intestino delgado. Geralmente causado por infecção alimentar, ou seja, consumo de bactérias, toxinas ou vírus patógenos em alimentos ou água.

Causas[editar | editar código-fonte]

Dentre os causadores de infecções bacterianas mais comum estão[1] :

A maioria das enterites são causadas por enterobacteriaceae, bacilos gram-negativos muito comuns em todo o mundo. Frequentemente elas são transmitidas pelo consumo de carne pouco cozida (maioria dos casos [2] ), laticínios não-pasteurizados, manuseio desprotegido da carne, alimentos mal lavados ou água/bebidas infectados pelas fezes de animais contaminados.[1]

Dentre os causadores de enterites virais destacam-se:

Outras causas incluem[3] :

Sinais e sintomas[editar | editar código-fonte]

Possíveis sintomas incluem[1] :

  • Dor abdominal;
  • Diarreia grave;
  • Falta de apetite;
  • Náusea e vômito;
  • Melena (Perda de sangue e muco nas fezes);
  • Febre.

Complicações[editar | editar código-fonte]

A complicação mais comum é desidratação com desequilíbrio eletrolítico. Outras complicações mais raras incluem[4] :

Diagnóstico[editar | editar código-fonte]

Enterites bacterianas podem ser identificadas através do cultivo das fezes em meio adequado.[1]

Tratamento[editar | editar código-fonte]

Star of life caution.svg
Advertência: A Wikipédia não é consultório médico nem farmácia.
Se necessita de ajuda, consulte um profissional de saúde.
As informações aqui contidas não têm caráter de aconselhamento.

Os casos leves e moderados geralmente são auto-limitados, ou seja, melhoram mesmo sem tratamento. A reidratação com soluções de eletrólitos (soro fisiológico) é o cuidado mais importante, pois a desidratação e desbalance eletrolítico pode ser fatal, especialmente em crianças pequenas e idosos. O soro pode ser bebido ou injetado intravenosamente dependendo da capacidade do paciente de consumir líquidos.[5] [1] Soro caseiro pode ser feito com uma colher de açúcar e uma pitada de sal.

Casos graves de infecção bacteriana, ou seja, quando persistem mais de quatro dias, envolvem febre alta e sangue nas fezes, são tratados com antibióticos adequados ao agente causador. Casos de danos por radiação podem requerer cirurgia para retirar a parte lesionada.[6]

Medicamentos anti-diarreicos não são recomendados, pois podem retardar a saída dos patógenos do intestino. [1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências