Episteme

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde março de 2011). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)


Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde março de 2011).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.

Episteme (ie ἐπιστήμη) é o conjunto discursivo de determinado momento histórico.

A episteme não é um conhecimento, nem uma forma de racionalidade, nem tem como objetivo construir um sistema de postulados e axiomas, mas pretende delinear um campo de relações, continuidades e descontinuidades entre práticas discursivas.

A episteme não é uma criação humana, é sim o "lugar" onde o homem é instalado em um local em que conhece e age de acordo com as regras estruturais da episteme. Deste modo, pode-se dizer que as ciências humanas são parte da episteme moderna.

É do conhecimento metodologicamente construída em oposição às opiniões individuais.

Do ponto de vista das ciências da complexidade e de acordo com as teses de Carlos Eduardo Maldonado, episteme, no sentido da filosofia da Grécia Antiga, deve ser concebida como um conceito amplo que poderia referir-se ao estudo de assuntos tão diversos como Matemática, Física, filosofia, e artes. Ou seja, o estudo da episteme era muito mais do que o estudo da ciência ou da filosofia.