Equação de Born-Landé

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A equação de Born-Landé fornece o valor da energia reticular de um composto iônico. Em 1918[1] Max Born e Alfred Landé propuseram que a energia da rede cristalina poderia ser derivada a partir do potencial eletrostático da rede iônica e do termo de energia potencial repulsiva.[2]

E = -\frac{N_AMz^+z^- e^2 }{4 \pi \epsilon_o r_0}\left(1-\frac{1}{n}\right) (Joules/mol)

onde

\, N_A = número de Avogadro
\, M = constante de Madelung, relacionada com a geometria do cristal.
\, z^+ = carga do cátions em unidade eletrostática
\, z^- = carga do ânion em unidade eletrostática
\,e = carga elementar, 1,6022×10−19 C
\, \epsilon_o = permissividade do espaço livre, \,4\pi \epsilon_o = 1,112×10−10 C²/(J m)
\, r_0 = distância do íon mais próximo em metros
\, {n} = expoente de Born, um número entre 5 e 12, determinado experimentalmente pela medida de compressibilidade do sólido ou derivado teoricamente.[3]

Energias de retículos[editar | editar código-fonte]

Os valores fornecidos pela equação de Born-Landé resultam em valores razoáveis para a energia de retículo[2]

Composto Energia de retículo calculado Energia de retículo medida experimentalmente
NaCl −756 kJ/mol −787 kJ/mol
LiF −1007 kJ/mol −1046 kJ/mol
CaCl2 −2170 kJ/mol −2255 kJ/mol

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. BROWN, I. D.. The chemical Bond in Inorganic Chemistry, IUCr monographs in crystallography, Londres: Oxford University Press, 2002, ISBN 0-19-850870-0
  2. a b David Arthur Johnson, Metals and Chemical Change,Open University, Royal Society of Chemistry, 2002,ISBN 0-85404-665-8
  3. Cotton, F. Albert; Wilkinson, Geoffrey; (1966). Advanced Inorganic Chemistry (2d Edn.) New York:Wiley-Interscience.