Erebango

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Erebango
Bandeira desconhecida
Brasão de Erebango
Bandeira desconhecida Brasão
Hino
Fundação 11 de abril de 1988 (26 anos)
Gentílico erebanguense
Prefeito(a) Valmor Jose Tomelero (PMDB)
(2009–2012)
Localização
Localização de Erebango
Localização de Erebango no Rio Grande do Sul
Erebango está localizado em: Brasil
Erebango
Localização de Erebango no Brasil
27° 51' 18" S 52° 18' 07" O27° 51' 18" S 52° 18' 07" O
Unidade federativa  Rio Grande do Sul
Mesorregião Noroeste Rio-grandense IBGE/2008[1]
Microrregião Erechim IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Erechim, Estação, Getúlio Vargas, Ipiranga do Sul e Quatro Irmãos
Distância até a capital 339 km
Características geográficas
Área 151,775 km² [2]
População 2 970 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 19,57 hab./km²
Altitude 763 m
Clima subtropical úmido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,781 alto PNUD/2000[4]
PIB R$ 48 542,949 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 16 471,99 IBGE/2008[5]
Página oficial

Erebango é um município da Microrregião Erechim, na Mesorregião do Noroeste Rio-Grandense, no Estado do Rio Grande do Sul, no Brasil. Foi criado em 11 de Abril de 1988.

Topônimo[editar | editar código-fonte]

"Erebango" é uma palavra de origem caingangue que significa "campo grande", através da junção dos termos ("campo") e mbâgn ("grande")[6] .

História[editar | editar código-fonte]

Os primeiros colonizadores de origem europeia chegaram no fim do século XIX e o rápido crescimento da pequena colônia deu-se pela riqueza florestal e pelas terras férteis. O bom terreno propiciou o desmatamento das matas (principalmente Araucaria angustifolia), que, desde o século IX, eram habitadas pelos índios caingangues. Por volta de 1910, com a construção da estação ferroviária e da ligação ferroviária entre Passo Fundo e Marcelino Ramos, começou a diversificação étnica da vila Erebango, através da chegada de famílias judaicas, alemãs, caboclas, italianas, polonesas e ucranianas. Desde então, a cidade tem, no setor primário, sua principal fonte de renda.

Emancipação[editar | editar código-fonte]

Até 1988, Erebango pertencia ao município de Getúlio Vargas, bem como outros quatro distritos: Estação Getúlio Vargas, Floriano Peixoto, Ipiranga do Sul e Souza Ramos. A Lei Estadual Número 8 253, de 12 de novembro de 1986, autorizou a consulta plebiscitária para a criação no novo município de Estação. Porém, os líderes dos distritos de Erebango e Ipiranga do Sul não concordaram e fizeram assembleias, comissões e abaixoassinados entre a população contra o novo município.

No início do ano de 1987, às vésperas da campanha política da administração municipal de Getúlio Vargas, continuavam divergências e atritos partidários entre os políticos dos distritos. Para ocorrer uma conciliação ou um acordo que ficasse a contento de todos, o deputado Hélio Musskopf, presidente da Comissão de Estudos Municipais, acompanhado pelo deputado Antonio Lorenzi, sugeriu que houvesse a emancipação dos três distritos.

Os três distritos, surpresos com a proposta, mas satisfeitos, organizaram suas comissões de emancipação e demais documentos para solicitar os plebiscitos. A documentação foi avaliada e aprovada e a autorização para a consulta à população quanto ao desejo de emancipar os distritos foi contemplada em Erebango pela Lei Número 8 368, de 29 de setembro de 1987.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Erebango é terra natal de alguns gaúchos de importância nacional, como: Maurício Sirotsky Sobrinho, Odacir Klein, Jessé Silva (músico e compositor), Xiruca (músico e compositor) entre outros.

Um ponto histórico do município é o Cemitério do Combate, que foi palco de um confronto revolucionário entre Chimangos e Maragatos na Revolução de 1923 e não na Revolução Farroupilha (1835-1845), como muitos confundem. A cidade ainda conta com o Museu Municipal e o Balneário Pôr do Sol, localizado na comunidade do Chalet, a 10 km do município, com infraestrutura para lazer (piscinas e camping). O município também oferece ampla e segura (pavimentada, sinalizada e bem cuidada) área para os moradores fazerem seus exercícios (caminhadas e corridas).

Outro ponto que merece visita é a Estação Ferroviária, que ainda está de pé ao lado da linha desativada.[7]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  6. http://www.portalkaingang.org/Lgua_Kaingang.pdf
  7. Giesbrecht, Ralph Mennucci (Atualização: 08.11.2010). Cie. Auxiliaire des Chemins de Fer au Brésil (1910-1920) estacoesferroviarias.com.br.. Página visitada em 17/05/2013.
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Rio Grande do Sul é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.