Ernest Archdeacon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ernest Archdeacon (c. 1890)

Ernest Archdeacon (Paris, 1863Versailles, 1950) foi um advogado francês de renome, de ascendência irlandesa, apaixonado pela aeronáutica. Teve grande influência no desenvolvimento da aviação, apesar de não ser piloto.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ernest Archdeacon fez a sua primeira ascensão em balão em 1884. Em 1905, em Merlimont, perto de Berck-Plage, ele financiou a construção de um planador do tipo Wright por Dargent, construtor da usina aeronáutica militar de Chalais-Meudon. O aeroplano era constituído por dois planos paralelos, feitos de seda japonesa e interligados por cordas de piano. Um artigo da época descreveu a aeronave:

« Os dois planos, ligeiramente convexos na frente, têm uma envergadura de 7,50m, uma largura de 1,44m e distam verticalmente 1,40m. Superfície total: 22 metros quadrados. A superfície sustentadora é um pouco menor, pois a armação que carrega o experimentador deitado separa em duas partes iguais o plano inferior. Comporta dois governos: o leme horizontal da frente, destinado à direção vertical, e que prepara a aterissagem diminuindo progressivamente a velocidade; o leme vertical de trás, que obtém a direção no plano horizontal, isto é, a direção propriamente dita. O aeroplano é muito robusto malgrado um peso de apenas 34 quilogramas. » [1]

As primeiras experiências ocorreram em meados de abril de 1904 sobre as dunas de 20 a 25 metros de altura sobre Berck-sur-Mer. Os experimentadores foram Gabriel Voisin, e o capitão Ferdinand Ferber.[2] .

No ano seguinte Archdeacon construiu um hidroplanador, testado no rio Sena no dia 8 de junho de 1905. A experiência consistiu no seguinte: Gabriel Voisin subiu no hidroplanador Archdeacon, que foi rebocado por uma lancha pilotada por Alphonse Tellier, La Rapière. A 40km/h, o aparelho ergueu-se da água e elevou-se a impressionantes 17 metros de altura, percorrendo 150 metros no ar. Era a primeira vez no mundo que, em uma demonstração pública e sem vento ascendente, um hidroplanador deixava a água e voava somente com o auxílio de uma fonte mecânica exterior. Esses ensaios foram assistidos por Alberto Santos Dumont, e o inspiraram a criar o 14-bis.

Em outubro de 1904, Ernest Archdeacon patrocinou, juntamente com Henri Deutsch de la Meurthe, o Grande Prêmio da Aviação, também conhecido como Prêmio Deutsch-Archdeacon, para o primeiro vôo circular realizado por um mais pesado que o ar, no valor de 50.000 francos, o equivalente a 10.000 dólares.[3] O prêmio foi ganho em 13 de janeiro de 1908 por Henry Farman no gramado de Issy-les-Moulineaux.

Em 30 de maio do mesmo ano, Ernest Archdeacon tornou-se o primeiro passageiro da história da aviação ao acompanhar Henry Farman num vôo no biplano Voisin vitorioso.

Como a maior parte dos franceses, Archdeacon permaneceu cético sobre a realidade dos voos dos irmãos Wright até que eles viessem repetir as suas demonstrações na França, em agosto de 1908, perto de du Mans.

Esperanto[editar | editar código-fonte]

Archdeacon falava esperanto, língua que aprendeu em 1908. Publicou "Por que me tornei esperantista" (Pourquoi je suis devenu espérantiste, Paris: Fayard, 1910, 265p.), com prefácio de Henri Farman. Eleito presidente da Sociedade Francesa para a Propagação do Esperanto em 1925, foi até o fim da vida um ativo divulgador da ideia dessa língua internacional neutra.

Referências

  1. La Vie au Grand Air, n° 285, 25 fev. 1904.
  2. La Vie au Grand Air, n° 293, 21 abr. 1904
  3. CHADEAU, Emmanuel. L'industrie aéronautique en France 1900-1950, de Blériot à Dassault. Paris: Fayard, 1987.