Ernest Wilimowski

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ernst Willimowski
Ernest Wilimowski
Mecz Warta Ruch 1937.jpg
Ainda no Ruch, em 1937
Informações pessoais
Nome completo Ernst Otto Pradella
Data de nasc. 23 de junho de 1916
Local de nasc. Kattowitz, Flag of the German Empire.svg Alemanha
Falecido em 30 de agosto de 1997 (81 anos)
Local da morte Karlsruhe, Flag of Germany.svg Alemanha
Altura 1,72 m
Apelido Ezi
Informações profissionais
Posição Atacante
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos/gols)
1927-1934
1934-1939
1939-1940
1940-1942
1942-1944
1946-1947
1948-1950
1950-1952
1952-1953
1953-1955
1956-1959
Polónia Kattowitz
Polónia Ruch Wielkie Hajduki
Flag of German Reich (1935–1945).svg Kattowitz
Flag of German Reich (1935–1945).svg Polizei-Sportverein Chemnitz
Flag of German Reich (1935–1945).svg Munique 1860
Flag of Germany (1946-1949).svg Chemnitz-West
Alemanha Augsburgo
Alemanha Offenburgo
Alemanha Singen 04
Alemanha VfR Kaiserslautern
Alemanha Kehl

86 (112)
Seleção nacional
1934-1939
1941-1942
Polónia Polônia
Flag of German Reich (1935–1945).svg Alemanha
22 (21)
8 (13)

Ernst Otto Willimowski para os alemães e Ernest Othon Wilimowski para os poloneses (Kattowitz, 23 de junho de 1916 - Karlsruhe, 30 de agosto de 1997) foi um futebolista silesiano, que jogou por Polônia e Alemanha.

Seu nome de batismo era Ernst Otto Pradella (o que possivelmente denotaria alguma origem italiana), filho de um soldado alemão que morreu na Primeira Guerra Mundial. Aos 13 anos, quando sua mãe casou-se novamente, adotou o sobrenome de seu padrasto e adquiriu cidadania polonesa. Àquela altura, sua cidade natal, que fazia parte do Império Alemão, já passara a fazer parte da Segunda República Polonesa e mudara de nome para Katowice.

Segundo a revista argentina "El Gráfico", Willimowski foi um dos maiores artilheiros da história do futebol, com 481 gols marcados, sem incluir os jogos amistosos que disputou.[1]

Início[editar | editar código-fonte]

Wilimowski começou a carreira no Kattowitz que, como o nome sugere, era um clube de jogadores de origem alemã. Em 1933, quando ainda tinha 17 anos, foi para o Ruch Wielkie Hajduki (atual Ruch Chorzów), onde logo se destacou com impressionante habilidade goleadora e no drible: nas 86 partidas que jogou pela equipe, marcou 112 gols, sendo campeão polonês já em 1933 e novamente em 1934, 1935, 1936 e 1938.

Era o artilheiro do campeonato em 1939 (tendo chegado a marcar 10 gols em vitória por 12 x 1, ainda um recorde) quando a Alemanha Nazista invadiu a Polônia.

Seleção Polonesa[editar | editar código-fonte]

Na ocasião, Wilimowski já era a grande estrela da Seleção Polonesa, pela qual estrara em 1934, pouco antes de completar 18 anos. Após não ser chamado para as Olimpíadas de 1936 devido a suspensão pelo seu comportamento boêmio fora de campo (os poloneses terminaram em quarto), foi o maior destaque do país na Copa do Mundo de 1938.

No mata-mata contra a Seleção Brasileira, Ezi marcou 4 dos 5 gols dos polacos e cavou o pênalti que originou o quinto gol polonês (marcado por Fryderyk Scherfke, também de origem alemã) - foi a primeira ocasião em que um jogador marcou quatro vezes em uma partida de Copa do Mundo, e seu recorde só seria superado no mundial de 1994, pelo russo Oleg Salenko. O feito acabou em vão: os brasileiros, ainda assim, conseguiram fazer 6 gols e eliminaram os poloneses, na segunda partida de Copas com maior número de gols (superada na Copa do Mundo de 1954 por Áustria 7 x 5 Suíça). Os quatro gols feitos numa única partida lhe rendem até hoje o recorde de média de gols em partida válida pela Copa do Mundo FIFA.[2]

Outra partida memorável pela Polônia foi em amistoso contra os então vice-campeões mundiais, os húngaros, em 27 de agosto de 1939. Os magiares abriram 2 x 0 e Wilimowski marcou 3 gols, ajudando os polacos a vencerem por 4 x 2. Foi seu último jogo antes do estouro da Segunda Guerra Mundial, apenas quatro dias depois.

Carreira durante a Guerra[editar | editar código-fonte]

Ao contrário dos demais poloneses, proibidos de praticarem esportes durante a ocupação nazista, Wilimowski pôde continuar jogando devido a sua origem alemã. Retornou ao Kattowitz, onde jogou com outros teuto-poloneses colegas da Copa de 1938, Erwin Nyc e Ewald Dytko. Em fevereiro de 1940, foi para o Polizei-Sportverein Chemnitz, onde ficou até 1942, quando se transferiu para o Munique 1860, sendo logo campeão da Copa da Alemanha.

Seleção Alemã[editar | editar código-fonte]

Admirado com a habilidade de Wilimowski, o técnico da Seleção Alemã, Sepp Herberger, convocou-o em 1941. Na estréia, marcou 2 gols em vitória por 4 x 1 sobre a Romênia, em Bucareste. Contra os romenos, realizou sua única partida por seleções na sua Silésia natal, em 1942, atraindo 55.000 conterrâneos para o jogo. Marcou um gol na vitória por 7 x 0 - outros três foram marcados pelo lendário Fritz Walter.

Ao todo, Wilimowski marcou 13 gols em 8 partidas pela Alemanha, a última delas em vitória por 5 x 2 sobre a Eslováquia (então separada e governada por fantoches dos nazistas) em Bratislava, em novembro de 1942.

Pós-Guerra[editar | editar código-fonte]

Após a Guerra, foi considerado um traidor pelo novo governo polonês, de regime comunista, que não lhe permitiu voltar à Silésia. Wilimowski estabeleceu-se em Karlsruhe e jogou profissionalmente até 1959, parando aos 43 anos. Segundo sua filha, uma mágoa do pai foi a sua não-convocação para a Copa do Mundo de 1954, quando tinha 38 anos, e a equipe que daria o primeiro título mundial aos alemães possuía média de idade alta. Também foi impedido de visitar a delegação polonesa na Copa de 1974 (sediada na então Alemanha Ocidental) por oficiais da Associação Polonesa de Futebol.

Wilimowski jamais voltou à Polônia e morreu em Karlsruhe, em 1997.

Referências

  1. globoesporte.globo.com
  2. DUARTE, Marcelo. O Guia dos Curiosos: Copas. 1ª ed.- São Paulo: Panda Books, 2014. p.345.