Ernesto Frederico III, Duque de Saxe-Hildburghausen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ernesto Frederico III
Duque de Saxe-Hildburghausen
Ernst Friedrich III (Saxe-Hildburghausen).jpg
Governo
Consorte Luísa da Dinamarca
Cristiana de Brandemburgo-Bayreuth

Ernestina Augusta de Saxe-Weimar

Casa Real Casa Ducal de Saxe-Hildburghausen
Dinastia Saxe
Vida
Nascimento 10 de Junho de 1727
Königsberg
Morte 23 de setembro de 1780 (53 anos)
Straufhain
Filhos Frederica Sofia Juliana Carolina
Frederica Sofia Maria Carolina
Ernestina Frederica Sofia
Cristiane Sofia Carolina
Frederico
Pai Ernesto Frederico II de Saxe-Hildburghausen
Mãe Carolina Amália de Erbach-Fürstenau

Ernesto Frederico Carlos de Saxe-Hildburghausen (em alemão Ernst Friedrich Carl von Sachsen-Hildburghausen) (Königsberg, 10 de junho de 1727 - Straufhain, 23 de setembro de 1780), foi duque soberano de Saxe-Hildburghausen.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ernesto era o filho mais velho de Ernesto Frederico II de Saxe-Hildburghausen e de Carolina Amália de Erbach-Fürstenau. Sucedeu ao pai (como Ernesto Frederico III) em 1745, aos dezoito anos de idade. Como ainda não havia atingido a maioridade à época da morte de seu pai, a duquesa-viúva assumiu a regência do estado até 1748, quando Ernesto completou vinte e um anos. O jovem duque era considerado um homem inteligente e talentoso, além de ser um dos mais belos príncipes da época. Afeito às artes e à cultura, chegou a doar uma luxuosa biblioteca à sua cidade natal e ordenou a reforma de um antigo teatro da corte para a encenação de espetáculos de ópera.

Os gastos extravagantes e as despesas com a exagerada pompa militar acabaram gerando um sério desequilíbrio nas finanças do ducado. Após fazer uso, em 1757, do Münzregal (tributo que os vassalos pagavam ao imperador), o duque viu-se envolvido numa denúncia da tesouraria do reino. Ciente dos fatos, o imperador José II ordenou a criação de uma "comissão de débito" dirigida pela duquesa Carlota Amália de Saxe-Meiningen e pelo príncipe José Frederico de Saxe-Hildburghausen (tio-avô do duque), com o objetivo de regular as despesas do estado e fiscalizar as dívidas não quitadas em 1769. A situação financeira do ducado era tão desastrosa que os trinta e cinco anos de duração da comissão não pôde debelar eficazmente todas as dívidas.

Casamento e filhos[editar | editar código-fonte]

Ernesto casou-se em primeiras núpcias em Copenhague, em 1 de outubro de 1749, com a princesa Luísa da Dinamarca, filha do rei Cristiano VI. O matrimônio gerou uma filha:

  • Frederica Sofia Juliana Carolina (1755-1756)

Luísa morreu em 8 de agosto de 1756 e, cinco meses depois, em 20 de janeiro de 1757, em Copenhague, Ernesto contrai segundas núpcias com a princesa Cristiana Sofia Carlota de Brandemburgo-Bayreuth, filha do príncipe Frederico Cristiano de Brandeburgo-Bayreuth, com quem teve uma filha:

  • Frederica Sofia Maria Carolina (1757)

Cristiana morreu no parto de sua filha, em 8 de outubro de 1757. Ernesto voltou a casar-se nove meses depois de enviuvar pela segunda vez. No dia 1 de julho de 1758, em Bayreuth, desposou a princesa Ernestina Augusta de Saxe-Weimar, filha do duque Ernesto Augusto I. Dessa união nasceram três filhos:

Morte[editar | editar código-fonte]

O grande incêndio da cidade de Hildburghausen, em 1779, forçou Ernesto a se mudar para sua residência de caça (o Jagdschloss Seidingstadt), em Straufhain, onde morreu um ano depois, em 23 de setembro de 1780, aos cinquenta e três anos.

Nota[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Schoeppl, H.F.: Die Herzoge von Sachsen-Altenburg. Bozen 1917, Neudruck Altenburg 1992
  • Human, R.A.: Chronik der Stadt Hildburghausen. Hildburghausen 1886
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.