Ernst Öpik

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ernst Öpik
Astronomia
Nacionalidade Estónia Estoniano
Nascimento 23 de outubro de 1893
Local Kunda
Morte 10 de setembro de 1985 (91 anos)
Local Bangor
Atividade
Campo(s) Astronomia
Instituições Observatório Armagh
Alma mater Universidade Estatal de Moscou, Universidade de Tartu
Prêmio(s) Medalha Leonard (1968), Medalha de Ouro da RAS (1975), Medalha Bruce (1976)

Ernst Julius Öpik (Kunda, Estônia, 23 de outubro de 1893Bangor, Irlanda do Norte, 10 de setembro de 1985) foi um astrônomo e astrofísico germano-báltico estoniano, que passou parte de sua carreira (19481981) no Observatório Armagh da Irlanda do Norte.

Educação[editar | editar código-fonte]

Öpik estudou na Universidade de Moscou, onde especializou-se no estudo de corpos menores, tais como asteroides, cometas, e meteoros. Concluiu seu doutorado na Universidade de Tartu, Estônia.

Astronomia[editar | editar código-fonte]

Öpik foi um destacado astrofísico, com ampla gama de interesses. Dentre suas descobertas está a primeira computação da densidade de uma matéria degenerada (a anã branca 40 Eri B), em 1915, a primeira determinação precisa da distância de um objeto extragaláctico (a Galáxia de Andrômeda), em 1922. No mesmo ano ele registrou corretamente o número de crateras em Marte, antes mesmo delas serem detectadas pelas sondas espaciais. Em 1932 postulou uma teoria com relação à origem dos cometas no sistema solar. Ele acreditava que eles se originavam na órbita de uma nuvem distante, além da órbita de Plutão. Esta nuvem é hoje conhecida por nuvem de Oort, ou alternativamente, nuvem de Öpik-Oort, em sua homenagem. Ele também inventou uma câmera especial para o estudo de meteoros.

Exílio[editar | editar código-fonte]

Öpik fugiu de seu país natal em 1944, quando da aproximação do Exército Vermelho. Primeiro foi para Hamburgo e por último, em 1948, para o Observatório Armagh, na Irlanda do Norte, onde permaneceu até 1981.

Condecorações e títulos[editar | editar código-fonte]

Öpik recebeu medalhas da National Academy of Sciences (1960), da Meteoritical Society (1968), da American Association for the Advancement of Science (1972), a Medalha de Ouro da Royal Astronomical Society em 1975, a mais alta condecoração outorgada pela Royal Astronomical Society (Sociedade Astronômica Real) do Reino Unido e a Medalha Bruce em 1976, concedida pela Astronomical Society of the Pacific com sede em San Francisco, Califórnia. Recebeu os graus honoríficos: Belfast (1968) e Sheffield (1977).

Legado[editar | editar código-fonte]

O asteróide 2099 Öpik recebeu o seu nome. Seu neto, Lembit Öpik, é atualmente um liberal-democrata, membro do Parlamento britânico por Montgomeryshire. Ele também possui alguma ligação com a astronomia, uma vez que ele é um grande apoiador das buscas realizadas por asteróides que possam vir a colidir com a Terra.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Ludwig Biermann e Keith Edward Bullen
Medalha de Ouro da Royal Astronomical Society
1975
com Jesse Leonard Greenstein
Sucedido por
William McCrea e John Ashworth Ratcliffe


Ícone de esboço Este artigo sobre um astrônomo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.