Esclavagismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Esclavagismo é um tipo de relação ecológica entre seres vivos onde um ser vivo se aproveita das atividades, do trabalho ou de produtos produzidos por outros seres vivos.

Existem duas modalidades de esclavagismo:

  • Esclavagismo interespecífico
  • Esclavagismo intraespecífico

Esclavagismo interespecífico é uma modalidade de esclavagismo quando esse tipo de relação ocorre entre indivíduos de diferentes espécies de seres vivos, exemplos:

Exemplo: As formigas cuidam e protegem os pulgões para obter o açúcar deles.

Os pulgões são pequenos insetos parasitas de plantas que passam a maior parte do tempo parados, sugando a seiva açucarada que circula pelos vasos liberianos das plantas. A seiva elaborada pelas plantas possui uma pequena quantidade de aminoácidos mas uma grande quantidade do açúcar glicose, assim para obter a quantidade de aminoácidos que necessitam para formar as suas próprias proteínas, os pulgões precisam sugar uma quantidade exagerada de seiva açucarada de forma que esse excesso de açúcar ingerido precisa ser excretado. As formigas lambem todo esse açúcar que fica saindo constantemente do abdome dos pulgões e assim os mantendo sempre limpos e protegidos. As formigas protegem os pulgões de eventuais predadores como por exemplo as joaninhas que são predadores que gostam de caçar e comer os pulgões. Por outro lado o açúcar é um importante alimento para as formigas então elas se associam a esses pulgões produtores de açúcar escravizando-os. As formigas inclusive tratam e protegem os filhotes dos pulgões, cuidam deles, levam eles de um lado para outro para protegê-los em locais mais seguros nos caules das plantas levando-os inclusive para dentro do próprio formigueiro delas onde os instalam junto a raízes de plantas vivas e esses pulgões passam a sugar essas raízes fornecendo açúcar para as formigas até mesmo debaixo da terra, dentro dos formigueiros delas. O esclavagismo consiste numa relação onde o esclavagista sempre cuida e protege os seres que foram por ele escravizados e nesse exemplo embora exista protocooperação a relação é considerada desarmônica devido a dependência que os pulgões passaram a ter das formigas. Na protocooperação um sócio não depende do outro para sobreviver mas, nesse caso se as formigas abandonassem os pulgões eles não conseguiriam se defender das joaninhas, seriam todos eles devorados e a espécie deles seria extinta.

Esclavagismo interespecífico[editar | editar código-fonte]

Nossa superpopulação de seres humanos pratica o esclavagismo em praticamente todas as atividades agropecuárias e em todas as áreas da zootecnia. Todas as atividades de domesticação feita pelos humanos são relações de esclavagismo interespecífico, exemplos: apicultura, aquicultura, avicultura, bovinocultura, caprinocultura, cunicultura, equinocultura, ovinocultura, sericicultura, suinocultura.

Apicultura: Relação onde o homem cuida e protege as abelhas para obter diversos produtos como o mel, cera de abelha, própolis, geléia real, pólem além é claro do precioso trabalho de polinização feito pelas abelhas em suas lavouras e pomares.

Ranicultura: Relação onde o homem cuida e protege as rãs para obter produtos como a carne de rã, o couro de rã além é claro obter o precioso trabalho das rãs que é o de comerem insetos nocivos ao homem.

Bovinocultura: Relação onde o homem cuida e protege os bovinos para obter produtos como a carne bovina, o leite, o couro, os ossos e outros produtos derivados dessa nossa relação com os bovinos.

Esclavagismo intraespecífico[editar | editar código-fonte]

Esclavagismo intraespecífico é uma outra modalidade de esclavagismo que ocorre quando esse tipo de relação se desenvolve entre indivíduos da mesma espécie, exemplos:

O leão "macho alfa" do bando é um esclavagista porque se aproveita do trabalho das leoas.

A hiena "matriarca" do bando é uma esclavagista porque se aproveita do trabalho do bando.

O homem é ou já foi esclavagista se aproveitando do trabalho de escravos humanos.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências bibliográficas[editar | editar código-fonte]

Coleção Biologia - 3 volumes por César da Silva Junior e Sezar Sasson - Atual Editora - Biologia 3 Capítulo VI páginas 197 a 204 - São Paulo - Brasil, 1980

Ligações externas[editar | editar código-fonte]