Escola Superior Politécnica do Exército

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Escola Superior Politécnica do Exército
País  Portugal
Estado Extinta
Corporação Exército Português
Subordinação Comando de Instrução
Missão Ensino superior politécnico militar
Sigla ESPE
Criação 1996
Extinção 2009
Lema Honesto estudo com longa experiência misturado
Sede
Antiga sede Amadora

A Escola Superior Politécnica do Exército (ESPE) constituía um estabelecimento de ensino superior politécnico destinado a formar oficiais técnicos do Exército Português e da Guarda Nacional Republicana. Os alunos da ESPE eram oriundos da categoria de sargentos, frequentando ali um curso superior que lhes dava acesso à categoria de oficial em determinadas especialidades técnicas. A ESPE foi extinta em 2009, na sequência da adequação do ensino superior militar ao Processo de Bolonha, passando as suas funções para a Academia Militar.

História[editar | editar código-fonte]

A ESPE tem origem na Escola Central de Sargentos (ECS) criada em 1896, junto à Escola Prática de Infantaria em Mafra. A ECS tinha por missão habilitar os sargentos ao posto de sargento-ajudante para depois poderem ascender aos postos de oficial de infantaria, cavalaria e Quadro de Praças de Guerra e Almoxarifes.

Em 1926, a ECS foi transferida para Águeda.

Com a criação do Quadro Auxiliar dos Serviços do Exército (QSAE) em 1933, os sargentos que terminam a frequência da ECS passam ingressar como oficiais dquele quadro, deixando de ingressar nas armas e serviços de origem.

Em 1955, são criados dois cursos destinados a preparar o pessoal para a manutenção, conservação e reparação de material.

Em 1977, a ECS é transformada em estabelecimento de ensino superior passando a denominar-se "Instituto Superior Militar (ISM)". Nessa altura passa também a dar formação a militares da Força Aérea Portuguesa.

O ISM foi desativado no início da década de 1990.

Em 1996 é criada, na Amadora, a Escola Superior Politécnica do Exército, com uma missão análoga à do ISM, sendo este formalmente e definitivamente extinto. Os sargentos admitidos à ESPE frequentavam cursos de oficial técnico que os habilitavam com o grau académico de bacharel.

Na sequência da adequação do ensino superior militar ao processo de Bolonha, a ESPE é extinta em 2009, passando o ensino politécnico no âmbito do Exército a ser ministrado pela Academia Militar.

Cursos Superiores[editar | editar código-fonte]

A ESPE ministrava os seguintes cursos de formação de oficiais técnicos:

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]