Escola de Administração da Universidade Federal da Bahia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Emblem-scales.svg
A neutralidade desse artigo (ou seção) foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.
Escola de Administração da
Universidade Federal da Bahia
EAUFBA
Universidade Universidade Federal da Bahia
Tipo de Instituição Unidade Universitária
Diretor Francisco Lima Cruz Teixeira
Vice-diretor Ernani Coelho Neto
Localização Salvador, BahiaBrasil
Campus Canela
Site www.adm.ufba.br

A Escola de Administração da Universidade Federal da Bahia (EAUFBA) é uma das unidades de ensino que integram o Campus do Canela da UFBA na cidade de Salvador, capital do estado brasileiro da Bahia, fundado no ano de 1959, e situada no Vale do Canela.

Formada pelos cursos de graduação em Administração, em Secretariado Executivo e em Gestão Pública, além de cursos de Pós-Graduação como especializações, mestrados profissionais e acadêmicos e doutorado.

História[editar | editar código-fonte]

A Escola foi composta inicialmente por professores estadunidenses ou brasileiros formados nos Estados Unidos da América e que lecionavam em Harvard, sendo a unidade pioneira no estado da Bahia e no Nordeste na formação de programas modernizadores da administração.[1]

Nos anos 1970 atuou na modernização das administrações públicas da região, e ainda na instalação do Centro Industrial de Aratu e no Pólo Petroquímico de Camaçari.[1] Assim, desde a sua criação, a escola pôde contar com um corpo docente de alta qualificação, o que lhe permite oferecer um ensino de elevado nível e atuar, pioneiramente em programas de modernização administrativa no Estado e na região Nordeste.

Na década de 70, o corpo docente da escola teve destacada atuação na implantação de Reformas Administrativas estaduais e municipais em todo o Nordeste, bem como no apoio à implantação do Centro Industrial de Aratu e ao Pólo Petroquímico de Camaçari.

A Escola de Administração desfruta de um grande prestígio no âmbito regional e nacional como principal centro acadêmico na área de Administração no Nordeste, colaborando com a atuação direta de seus professores ou com a formação de profissionais altamente qualificados, nas mudanças e melhorias das práticas administrativas e gerenciais das instituições públicas e privadas. O binômio ensino de qualidade e assessoramento técnico voltado para o aperfeiçoamento das instituições e da sociedade marca a atuação da Escola desde a sua criação.

Na década seguinte, passa a atuar também na pós-graduação e pesquisa.[1] Em 1989, com apoio da Fundação Getúlio Vargas, estudantes do curso fundam a Empresa Júnior, com objetivo de dotar de conhecimentos práticos a todos os universitários.[2]

Atualmente a Escola oferece em nível de graduação os cursos de Bacharelado em Administração e de Secretariado Executivo, e também no curso tecnólogo Gestão Pública .

O curso de Bacharelado em Administração obteve conceito A na última avaliação do Provão. Os cursos oferecidos em nível de pós- graduação - Doutorado, Mestrado Acadêmico, Mestrado Profissional, vêm mantendo conceito máximo da área na avaliação CAPES, desde 1993, situando-se entre os melhores do País.

Ex-alunos[editar | editar código-fonte]

Dentre os seus ex-alunos destacam-se:

Professores e ex-professores[editar | editar código-fonte]

A Escola de Administração da UFBA teve em seu corpo docente grandes nomes da administração pública e empresarial da Bahia, entre eles:

  • Antônio Carlos Magalhães Júnior, Presidente da Rede Bahia e Senador da República (desde 2003);
  • Eraldo Tinoco, Deputado Federal por 5 mandatos, Secretário da Educação e Cultura da Bahia (1979 - 1982), Secretário da Educação da Bahia no governo de César Borges (1999 - 2002), por 2 vezes Ministro da Educação (Governo Sarney e Governo Collor), vice-governador da Bahia e Secretário do Planejamento da Bahia.
  • Carlos Milani, formado pelo Instituto Rio Branco, foi funcionário internacional da UNESCO junto ao Setor de Ciências Sociais e Humanas (Paris, 1995-2002), professor no IEP de Paris (1997-2002) e professor convidado em várias universidades (Montreal, Colima, UFRGS, UCM, IEP/Paris);
  • Edilson Souto Freire, ex-secretário de Administração do Estado da Bahia;
  • Marcus Alban, pesquisador, parecerista da RAC (Revista de Administração Contemporânea) e da O&S - Organizações e Sociedade, membro da câmara de assessoramento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (FAPESB), foi Diretor Presidente da Secretaria de Planejamento Ciência e Tecnologia da Bahia, Diretor da Divisão de Estudos e Pesquisas Secretaria de Indústria Comércio e Turismo da Bahia;
  • Francisco Teixeira, consultor da CAPES e da CNPq.
  • Sandro Cabral, colaborador da ANPAD, professor da USP, professor convidado da Penn State University, PSU, Estados Unidos, Universidade Paris 1 (Panthéon-Sorbonne), SENAI e com larga experiência profissional em multinacionais.

Referências

  1. a b c Histórico da EAUFBA, institucional (acessado em 19 de outubro de 2009)
  2. Histórico "Empresa Júnior", institucional da iniciativa (acesso em 19 de outubro de 2009)
  3. GILBERTO GIL: DA POLÍTICA MUSICAL ÀS POLÍTICAS CULTURAIS. Andréa Coutinho Cavalcante (ensaio - download - efetuado em 19 de outubro de 2009)