Escola do Futuro da Universidade de São Paulo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Escola do Futuro da Universidade de São Paulo é um laboratório interdisciplinar que estuda os efeitos do uso de tecnologias de informação na aprendizagem. Um grande diferencial, no entanto, é que seu trabalho é muito mais prático do que teórico, atuando pela inclusão digital.

Foi fundada em 1989, como um laboratório departamental na Escola de Comunicações e Artes, mas seu crescimento e natureza interdisciplinar fizeram com que fosse incorporado à Pró-Reitoria de Pesquisa da USP, em 1993. Trabalha independente do orçamento da universidade, com parcerias com diferentes instituições.

O coordenador deste laboratório interdisciplinar foi, desde sua fundação, o professor Fredric Litto. Desde setembro de 2006, no entanto, a coordenadora é a professora Brasilina Passarelli.

Princípios[editar | editar código-fonte]

  1. O compromisso com a pesquisa, a discussão e a avaliação de diferentes estratégias educacionais, privilegiando aquelas que incorporam, por um lado, os mais modernos conceitos sobre os processos de cognição humana e, por outro, as novas tecnologias de informação.
  2. Desenvolver metodologias e materiais didáticos que conferiram um novo dinamismo ao ensino e à aprendizagem, presencialmente ou à distância.
  3. Preparar novas gerações de educadores que vejam na interface entre educação e comunicação um campo fértil para sua criatividade, discernimento e constante aperfeiçoamento.
  4. Promover a aceleração do intercâmbio de idéias e experiências entre educadores e instituições acadêmicas através da realização de cursos, seminários, oficinas e outros eventos. Pretende-se, assim, conciliar a pesquisa universitária com a prática da sala de aula.
  5. Servir como um modelo de parceria entre a universidade, a sociedade e diferentes agências e esferas de governo, todos comprometidos com o aperfeiçoamento da Educação no Brasil. Este compromisso fundamenta-se em um novo horizonte de justiça social e de construção e exercício da cidadania em nosso país.

Laboratórios[editar | editar código-fonte]

Bibvirt[editar | editar código-fonte]

A Biblioteca Virtual do Estudante de Língua Portuguesa é a maior do gênero em língua portuguesa. Possui digitalizada a produção de diversos autores, cujas obras já são de domínio público. Contém ainda material didático para ensino supletivo nos níveis fundamental e médio. Também disponibiliza material didático para ensino profissionalizante.

Lidec[editar | editar código-fonte]

Lidec é a sigla para Laboratório de Inclusão Digital e Educação Comunitária. Atua no programa estadual Acessa São Paulo, um programa de inclusão digital, em diferentes núcleos de trabalho: capacitação de monitores de infocentros e de lideranças comunitárias, de maneira presencial ou virtual; pesquisa geral e acadêmica; produção de conteúdo; comunicação online via listas de discussão, fóruns e site; fomento a projetos comunitários e produção de oficinas.

Linca[editar | editar código-fonte]

O LINCA (Laboratório de Investigação de Novos Cenários de Aprendizagem) desenvolve projetos inovadores, em instituições públicas e privadas, propondo novos cenários de aprendizagem, unindo Tecnologias de Informação e Comunicação (Tics), Pedagogia de Projetos e Transdisciplinaridade. Ele é formado por uma equipe multidisciplinar da Escola do Futuro da Universidade de São Paulo (EF-USP).

Lect[editar | editar código-fonte]

Desde 1994, o projeto LECT pesquisa a utilização das novas tecnologias de informação e comunicação no ensino de ciências e alternativas metodológicas possíveis a serem implementadas na realidade das escolas brasileiras. Para isso, desenvolve-se e implementa-se projetos investigativos e temáticos de ensino (onde temas como botânica, astronomia, fisiologia, ecologia, energia e outros são discutidos) em escolas de educação básica.

Labvirt[editar | editar código-fonte]

O Laboratório Didático Virtual tem como principal objetivo construir uma infra-estrutura pedagógica e tecnológica - comunidade de aprendizagem - que facilite o desenvolvimento de projetos de física na escolas e incentive no aluno: o pensamento crítico, o uso do método científico, o gosto pela ciência e principalmente a reflexão e compreensão do mundo que o cerca.

O centro da comunidade de aprendizagem é o site http://www.labvirt.futuro.usp.br, que através de publicações, discussões, comentários, consultas e utilização por todos os participantes do projeto, resulta num centro de interação, troca e comunicação de informações, idéias e experiências.

Instalações[editar | editar código-fonte]

A Escola do Futuro está localizada no Campus da Cidade Universitária Armando Salles de Oliveira e conta com uma infra-estrutura composta de salas de aula preparadas para oferecer condiçoes de estudo apoiadas por ferramentas computacionais modernas bem como um auditório preparado para video-conferências e palestras com recursos audio-visuais computacionais.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]