Escolarca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Este artigo ou seção precisa ser wikificado (desde fevereiro de 2012).
Por favor ajude a formatar este artigo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde fevereiro de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Dava-se o nome de escolarca (grego antigo: σχολάρχης, skholárkhês), na Grécia Antiga, ao director de uma escola filosófica, garante da coerência da doutrina. Era pois um reitor. É chamado também de "diádoco" (διάδοχος), por dois autores neoplatónicos: Proclo e Damáscio.

A tradição das escolas gregas era a de que o primeiro escolarca fosse designado pelo fundador da escola. Por exemplo, na Academia de Platão, este designou Espeusipo. Os seguintes foram eleitos de maneira conjunta pelos alunos e os mestres. Chegou a ser frequente que o escolarca e seus sucessores estivessem unidos por uma relação de pederastia (Crates de Atenas foi discípulo e amante de Polémon de Atenas, assim como seu sucessor na direcção da Academia).

Sucessivamente, dirigiram a Academia de Atenas: Platão (fundador em 388 a.C.), Espeusipo (primeiro escolarca em 348 a.C.), Xenócrates (339 a.C.), Polémon de Atenas (315 a.C.), Crates de Atenas (269 a.C.) e Antíoco de Ascalão (décimo terceiro e último escolarca no ano 86 a.C.).

No Liceu, sucederam-se: Aristóteles (fundador em 335 a.C.), Teofrasto (primeiro escolarca em 322 a.C.), Estratão de Lampsaco (288 a.C.), Licón de Tróade (268), Aríston de Quios (224 a.C.) y, más tarde, Diodoro de Tiro (118 a.C.) e Andrónico de Rodes (décimo e último escolarca do Liceu em 78 a.C.).

Referências

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.