Espeusipo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Espeusipo (em grego: Σπεύσιππος (Atenas, ca. 408 a.C.339 a.C.)[1] foi um filósofo grego, sobrinho de Platão[2] , a quem sucedeu na direção da Academia de Platão em 357 ou 347 a.C.[3]

Vida[editar | editar código-fonte]

Era nativo de Atenas e o filho de Eurimedão e Potone, uma irmã de Platão.[4] O pseudônimo carta Décima terceira carta de Platão afirma que Espeusipose casou com sua sobrinha (neta de sua mãe).[5] Não sabemos nada de sua vida até o momento em que acompanhou seu tio Platão, em sua terceira viagem a Siracusa, onde mostrou considerável habilidade e prudência, especialmente em suas relações amistosas com o Dion de Siracusa[6] .

O relatório sobre seus acessos repentinos de raiva, sua ganância e sua devassidão, provavelmente são derivados de uma fonte muito impura: Ateneu[7] e Diógenes Laércio [8] que tiveram como fontes apenas algumas cartas abusivas de Dionísio, o Jovem, que foi banido por Dion, com a ajuda de Espeusipo. Tendo sido escolhido por Platão como seu sucessor e líder (escolarca) da Academia, esteve à frente da escola por apenas oito anos (348/7- 339/8 aC). Ele morreu, ao que parece, de uma doença paralítica persistente,[9] . Foi sucedido por Xenócrates.

Referências

  1. Tiziano Dorandi, Chapter 2: Chronology, in Algra et al. (1999) The Cambridge History of Hellenistic Philosophy, page 48. Cambridge.
  2. Maria da Glória de Rosa. A história da educação através dos textos. [S.l.]: Editora Cultrix, 1971. p. 36. ISBN 978-85-316-0190-3.
  3. Nueva Acropolis - Espeusipo (em espanhol)
  4. Diógenes Laércio, iv. 1; Suda, Espeusipo
  5. Debra Nails. The people of Plato: a prosopography of Plato and other Socratics. [S.l.]: Hackett Publishing, 2002. p. 272. ISBN 978-1-60384-403-1.
  6. Plutarco, Dion, c. 22. 17
  7. Ateneu, vii. 279, xii. 546
  8. Diógenes Laércio, iv. 1-2; comp. Suda, Espeusipo; Tertuliano, Apolog. c. 46.
  9. Diógenes Laércio, iv. 3-4