Esporotricose

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Esporotricose
Preparado citológico mostrando células fagocitárias e e numerosas formas de leveduras intracelulares
Classificação e recursos externos
CID-10 B42.
CID-9 117.1
MedlinePlus Esporotricosis
Star of life caution.svg Aviso médico


A esporotricose é uma micose provocada pelo fungo da espécie Sporothrix schenckii.[1] Chega a afetar os vasos linfáticos, a pele e até a alguns órgãos internos, como o pulmão, ossos e cérebro. A micose é mais frequente em lugares de clima temperado e úmido e o fungo vive na natureza, sendo transmitida através de felinos como o gato, roedores e insetos.[2] O fungo encontra-se instalado na vegetação e entra no organismo através de rupturas na pele.[3] Portanto é uma doença ocupacional que pode atingir pessoas do campo, que manipulam rosas por exemplo.[3] É difundida por todos os continentes.[2]

Sintomas[editar | editar código-fonte]

Esporotricose felina

Os sintomas dependem de qual ou quais órgãos foram afetados. Na forma cutânea,existem quatro tipos:

  • Cutaneolocalizada:formação de ínguas, nódulos avermelhados que podem aparecer nos olhos e na boca.
  • Cutaneolinfática: caracterizada por nódulos que podem ferir e que depois formam um cordão duro que atinge os glânglios através dos vasos linfáticos. Também ocorre ínguas.
  • Cutaneodisseminada:os nódulos se disseminam pela pele. É frequente em imunodeprimidos.
  • Extracutânea: a esporotricose atinge outros órgãos como ossos, testículos, pulmões, articulações e o sistema nervoso.

Tratamento[editar | editar código-fonte]

Iodeto de potássio é o medicamento de primeira escolha, além de antimicóticos administrados por via oral.[1] [2]

Notas e referências

  1. a b Manual Merck. Esporotricose. Página visitada em 12/06/2010.
  2. a b c MANZUR, Julian. et. al. Dermatología. La Habana: Editorial Ciências Médicas, 2002
  3. a b Medline. Esporotricosis. Página visitada em 12/06/2010.